sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

VACINAS DA MORTE 3 - Por que as Vacinas Obrigatórias são uma Flagrante Violação da Ética Médica e dos Direitos Humanos Fundamentais?





Você já pensou sobre a violação dos direitos humanos e da moral médica encontrada na indústria das vacinas que envolve as vacinas obrigatórias para todos? Dos profissionais médicos(DESONESTOS OU IGNORANTES QUE SOFRERAM LAVAGEM CEREBRAL EM CONGRESSOS MÉDICOS BANCADOS PELOS LABORATÓRIOS DOS JUDEUS SIONISTAS QUE FABRICAM E DIFUNDEM INFORMAÇÕES FALSAS SOBRE AS VACINAS DA MORTE)

O fato de que a indústria deseja vacinar você e seus filhos sem divulgar os riscos das vacinas – os quais incluem danos permanentes, graves e morte – demonstra o quão tirânico e maligna a indústria de vacinas se tornou, além da intimidação e divulgação pelos principais meios de comunicação(MÍDIA JUDAICO SIONISTA - GLOBO-SBT-BAND-ISTO É-ÉPOCA-VEJA-CBN-ESTADO DE SÃO PAULO-CORREIO BRASILIENSE E ETC...)

.

Lembre-se: quando qualquer instituição(LABORATÓRIOS PERTENCENTES AOS "JUDEUS SIONISTAS") exige que o governo force você a ser injetado com uma substância arriscada que esteja extremamente bem documentada por causar danos cerebrais, convulsões, paralisação permanente ou morte, você está vivendo no que só pode ser chamado de “estado policial médico”. O fato de que esses tiranos de vacinas perseguem essa tirania médica sob o pretexto de “saúde pública” apenas reflete a maneira como Adolf Hitler cometeu genocídio em massa em nome da criação de uma “raça mestre”. Na verdade, a Alemanha de Hitler praticou abertamente a eutanásia obrigatória pelo governo de idosos ou com deficiência física. 

Era parte do apelo do estado para a eliminação da genética “inferior” em nome da conquista “para o bem público” – a mesma lógica agora invocada pelos tiranos das vacinas nos Estados Unidos que são os "Judeus Sionistas de Israel".

Os EUA estão acordando para a tirania das vacinas obrigatórias, e a resistência informada está crescendo

Por causa das táticas totalitárias da indústria judaico sionista de vacinas violentas, mais americanos do que nunca estão despertando e reconhecendo a tirania que está agora na sua porta da frente. A resistência está crescendo a cada dia conforme mães e pais, cientistas e ativistas unem forças para se oporem à tirania médica e para restaurar a liberdade de saúde/escolha médica para todos.

Nos últimos dias, um excelente artigo de Paul A. Philips, autor do site New Paradigm, explicou por que o consentimento informado é um direito humano tão fundamental. Esse artigo traz um argumento tão convincente quanto ao consentimento informado que eu o estou publicando aqui para compartilhar sua sabedoria com todos.

Consentimento informado: um direito humano vital e básico para a nossa liberdade de saúde por Paul A. Philips, New Paradigm

Nos dias modernos, o consentimento informado é uma das questões/preocupações mais urgentes em relação à nossa liberdade de saúde. O consentimento informado é definido como ter o direito de fazer escolhas informadas enquanto conhece os riscos envolvidos quando oferecido tratamento médico. Além disso, seja como um paciente ou um assunto participante para pesquisa médica, os indivíduos envolvidos não devem ser coagidos ou criminalizados por recusarem o tratamento médico interveniente oferecido.

O consentimento informado foi um direito humano básico estabelecido para nossa liberdade de saúde após um Julgamento de Médicos em Nuremberg 1947.  No entanto, nos últimos tempos, houve uma tendência crescentemente perturbadora em que o princípio ético médico do consentimento informado foi violado pelos "Judeus Sionistas" donos dos Laboratórios que fabricam estes venenos.

Houve recentes desentendimentos com os pais que se recusaram a vacinar seus filhos, como a mãe de Michigan que recebeu ameaça de prisão. Outro caso de ameaça de prisão: tome o caso de uma mulher que foi abordada por 2 representantes da lei no distrito escolar de Claremont, Califórnia. Ela foi interrogada por esses representantes da lei (capangas do governo judaico sionista) e ameaçada de prisão porque seus filhos não foram vacinados.

– Este incidente foi relacionado à inconstituível lei SB277 introduzida no ano passado na Califórnia, exigindo a vacinação obrigatória, que, de fato, aboliu o direito ao consentimento informado, negando a escolha médica dos pais para seus filhos. 

Tenha isso em mente. Quantos mais casos deste fascismo médico dos "Judeus Sionistas" estão por vir? Não é apenas na Califórnia, isso é parte de uma agenda nacional e não vai apenas parar na vacinação obrigatória, mas vai muito mais longe com outras proibições.

Utilitarismo – a pseudo-ética para “justificar” a vacinação em massa

A intervenção médica através da vacinação traz consigo um risco não calculado e indeterminado: a vacina introduzida no corpo de um indivíduo saudável pode causar lesões graves ou mesmo a morte.

– É por isso que a vacinação deve sempre ser uma escolha. Para o caso, o mesmo deve ser aplicado a qualquer intervenção médica envolvendo risco. Deixe sua consciência ser o seu guia.

A agenda de vacinação em massa compreende um programa de intervenção médica “de tamanho único“. Assume erroneamente que todos os seres humanos são iguais. Não leva em consideração que os seres humanos em muitas culturas e sociedades possuem diferentes composições genéticas

Enquanto também como indivíduos, os humanos possuem um microbioma único e uma composição epigenética através de dieta, estilo de vida e influências ambientais.

– Tudo isso fará com que os humanos reajam de forma diferente às vacinas. Consequentemente, alguns desenvolverão reações adversas severas às vacinas (ou a outros produtos farmacêuticos) quando tratados.

De fato, os seguidores da mídia alternativa saberão que tem havido muita documentação para desafiar seriamente a segurança e a eficácia das vacinas. Depois, há evidências crescentes para mostrar que estamos melhor sem vacinas.

No entanto, apesar de tudo isso, os poderes que estão empurrando a agenda de vacinação em massa vê-la do ponto de vista do utilitarismo. O utilitarismo decreta a dispensabilidade: baseia-se na ideia de que, em uma causa para o “bem maior”, a minoria é dispensável. Daí o meme da vacina ‘os  benefícios superam significativamente os riscos.’  Bem, tente dizer isso a uma mãe que acabou de perder seu filho por causa de uma vacina. Ou aos pais cujo filho ficou paralisado após uma vacinação e não pode obter indenização por danos porque o fabricante da vacina, a empresa farmacêutica que são invariávelmente "Judeus Sionistas" não está legalmente obrigada a pagar…

Se uma vacina prejudica um em cada dez mil ou 1 em dez milhões de crianças ou um único filho, o que torna as autoridades moralmente obrigadas a não tornarem as vacinas obrigatórias para todos.

Assim, o utilitarismo – a terrível pseudo-moral para “justificar” a vacinação em massa, uma vez que a lei e a política de saúde pública precisam ser banidas. Uma moral compassiva baseada em empatia deve ser aplicada em vez disso: uma que aborde a lei e a política de saúde pública que respeitem nosso direito à autonomia, consentimento informado e liberdade de saúde.

Vacinas e redução populacional

Para adicionar a tudo isso, tem havido evidências científicas bombásticas recentes que revelam a implantação de armas químicas secretas de esterilização em massa através de vacinas. 

Em conjunto com a Organização Mundial de Saúde, as evidências sugerem que as vacinas estão sendo administradas a jovens mulheres africanas no Quênia e América Latina para efetivamente causar uma redução da população: enganadas em pensar que é para seu próprio bem e sem consentimento informado, essas mulheres não sabem que estão sendo alvo de esterilização através da aceitação destas vacinas contendo produtos químicos de esterilização como é o caso da vacina contra o HPV.

Fluoretação da água

Depois que nosso governo federal nos diz por anos que é para o nosso bem, evidências recentes revelam que a adição de flúor aos suprimentos públicos de água causa todo um catálogo de efeitos nocivos para a saúde. Isso inclui hipotiroidismo; um desequilíbrio hormonal que resulta em cansaço, fadiga, depressão e obesidade. Também pode causar uma série de cânceres, fluorose esquelética e redução do QI…

Não divulgar esta informação ao público ou aos pacientes não só vai contra a moral do consentimento informado, mas também devem levar a uma série de pessoas sendo responsabilizadas criminalmente por supervisionarem a adição de flúor ao abastecimento público de água.

Smartmeters e radiação

Os Smartmeters ou medidores inteligentes são instalados em casas sem o consentimento informado: os proprietários de casas não estão sendo informados sobre os riscos ligados à radiação proveniente dos smartmeters e como isso pode causar danos ao sistema nervoso.  – Outro exemplo para mostrar o comprimento e a largura para os quais há uma ausência de consentimento informado.

Finalmente – para reiterar

Como já mencionado, em todos os casos, uma moral compassiva baseada em empatia deve ser aplicada quando apropriado. Uma que aborde a lei e uma política de saúde pública que respeite nosso direito à autonomia, consentimento informado e liberdade de saúde.

Fontes:
– Natural News: Informed Consent: Why mandatory vaccines are a blatant violation of medical ethics and fundamental human rights




Nenhum comentário:

Postar um comentário