segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

RÚSSIA IMPENETRÁVEL, VENHAM DE ONDE VIER, MAS NINGUÉM CHEGARÁ INTEIRO - 'Mísseis monstruosos' passam a proteger o litoral da Rússia


Sistema de defesa costeira Bal, foto de arquivo

'Mísseis monstruosos' passam a proteger o litoral da Rússia


A Marinha da Rússia começou a reforçar em grande escala suas brigadas de mísseis da defesa costeira.

"Devido à criação de novas divisões de mísseis e ao rearmamento com os sistemas Bastion e Bal, estas brigadas se transformaram em verdadeiros monstros, capazes não somente de proteger o litoral, mas também de destruir objetos terrestres", assinalou a edição russa Izvestia


Para garantir uma autonomia completa na busca de objetivos, essas unidades militares foram equipadas com drones de reconhecimento mais avançados.

Entre 2017 e 2020, a Marinha russa receberá anualmente quatro sistemas de mísseis antinavio Bal e Bastion. Os militares da Marinha deixarão de usar os antigos sistemas Redut e Rubezh.

O rearmamento foi realizado em todas as regiões onde operam as forças da Marinha. Os primeiros a receber os novos sistemas foram os militares da brigada de tropas costeiras da Frota do Pacífico. Assim, os Bastions apareceram na ilha de Iturup e os Bals na ilha de Kunashir (a soberania de ambos os territórios é disputada entre a Rússia e o Japão).

A Marinha também reforçou as tropas costeiras da região de Kaliningrado. A chegada do avançado Bastion causou certa preocupação por parte dos países da OTAN, assinalou a mídia russa.


Espera-se que o rearmamento aconteça também nas brigadas das bases militares russas que serão construídas no Ártico.
No momento, a Frota do Mar Negro conta com duas brigadas de tropas costeiras. Uma é destinada para a defesa de Sevastopol e outro para a região de Krasnodar e da base militar na cidade de Novorossiysk.

Os Bastions instalados inicialmente na Crimeia, em 2016 foram transferidos para a Síria, onde esta unidade realizou ataques contra alvos terrestres de terroristas. Segundo os planos, no futuro próximo, uma nova brigada costeira será criada, perto da cidade de Anapa, que por sua vez incluirá ao menos duas divisões do Bastion.

"Essas 'super-brigadas' serão capazes de realizar ataques maciços, com mísseis de cruzeiro Oniks do sistema Bastion, contra grupos navais inimigos e seguramente superarão quaisquer sistemas de defesa antimíssil do tipo Aegis", assinalou o especialista militar Dmitry Boltenkov, citado pela Izvestia.


"Os navios que conseguirão sobreviver a esses ataques e se aproximar de nosso litoral, estarão sob o fogo dos mísseis Uran do sistema Bal", disse ele.

O sistema de defesa costeira Bastion, equipado com 24 mísseis antinavio, é capaz de proteger o litoral dentro de um raio de 600 quilômetros contra qualquer operação de desembarque inimiga. Quanto ao sistema de mísseis antinavio Bal, este foi projetado para controlar estradas e águas territoriais, bases navais e outras instalações e infraestruturas costeiras em áreas de provável desembarque do inimigo.

As tropas costeiras destinam-se para a proteção das frotas, tropas, população, do litoral em geral, defesa das bases navais e outros objetos importantes da Marinha instalados em terra, bem como para a destruição de navios e submarinos na zona de alcance de suas armas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário