terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Ministério da Defesa russo: posição do Pentágono sobre drones de terroristas é preocupante - Obvio ululante, Israel se encontra em flagrante delito.


Grupo aéreo russo na base de Hmeymim, na Síria

Ministério da Defesa russo: posição do Pentágono sobre drones de terroristas é preocupante - Obvio ululante, Israel se encontra em flagrante delito.


O Ministério da Defesa da Rússia comentou as palavras do representante do Pentágono sobre as tecnologias usadas no ataque com drones em 6 de janeiro contra instalações militares russas na Síria estarem "em livre acesso no mercado aberto".


Na declaração do Ministério da Defesa da Rússia sobre fornecimento de tecnologias aos terroristas para efetuar ataque em 6 de janeiro com drones de combate a instalações militares russas na Síria não se diz nada sobre envolvimento de um país particular, nem sobre as próprias tecnologias, o que foi feito de propósito.

"Para programar controladores de drones e lançamento de projéteis no sistema GPS, é necessário ter um bom diploma de engenharia de um dos países mais desenvolvidos do mundo. 

Além disso, receber coordenadas exatas com base em dados de Inteligência não é nada fácil", declarou o ministério.

No comentário do Ministério da Defesa salienta-se que "pouco tempo atrás os terroristas não tinham acesso a nada parecido". 

Nota-se que a declaração do Pentágono causa não só preocupação da Rússia, mas também interesse lógico: quais seriam estas tecnologias, onde fica esse "mercado" e que serviços especiais vendem dados de inteligência espacial.


Além disso, outra coincidência estranha surge: durante o ataque com drone terrorista as instalações militares russas sobre o mar Mediterrâneo, por mais de quatro horas a sete mil metros de altitude e entre as bases Tartus e Hmeymim, estava patrulhando um avião de reconhecimento norte-americano Poseidon, adiciona o ministério russo.

Há pouco, Pentágono declarou ter visto como tecnologias deste tipo foram usadas pelos terroristas do Daesh (organização de mercenários terroristas a serviço de Israel). "Estes aparelhos podem ser facilmente adquiridos no mercado aberto e não são motivo para preocupação", concluiu o representante oficial do Pentágono, Adrian Rankine-Galloway.

Nenhum comentário:

Postar um comentário