sábado, 20 de janeiro de 2018

EUA EXPLODE COM MANIFESTAÇÕES ANTI-TRUMP LIDERADAS POR MULHERES - Anti-Trump, marcha das mulheres leva milhares às ruas dos EUA


A MAIOR MANIFESTAÇÃO JAMAIS VISTA CONTRA UM GOVERNANTE AMERICANO


Marcha das Mulheres reúne manifestantes em Filadélfia  (Foto: Jessica Kourkounis/Reuters)
Marcha das Mulheres reúne manifestantes em Nova York (Foto: SPENCER PLATT / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP)
Marcha das Mulheres reúne manifestantes em Nova York (Foto: Kena Betancur / AFP)
Manifestantes se reúnem para segunda Marcha das Mulheres, em Nova York (Foto: Eduardo Munoz/Reuters)
Manifestantes se reúnem para segunda Marcha das Mulheres, em Washington (Foto: AP Photo/Cliff Owen)
Manifestantes se reúnem para segunda Marcha das Mulheres, em Washington (Foto: Aaron Bernstein/Reuters)
Manifestantes se reúnem para segunda Marcha das Mulheres, em Washington (Foto: ANDREW CABALLERO-REYNOLDS / AFP)
Manifestantes fazem nova edição da Marcha das Mulheres nos EUA

Manifestantes fazem nova edição da Marcha das Mulheres nos EUA 
Manifestantes se reúnem para segunda Marcha das Mulheres, em Washington (Foto: Leah Millis/Reuters)
Marcha das Mulheres 2018 em Los Angeles.

Anti-Trump, marcha das mulheres leva milhares às ruas dos EUA


Mais de 250 cidades dos EUA assistiram à marcha das mulheres neste sábado (20).

No dia em que o presidente dos Estados Unidos completa 1 ano à frente do governo, uma marcha de mulheres foi convocada em diversas cidades do país. As maiores manifestações aconteceram em cidades como Nova York, Los Angeles, Filadéfia, Washington e Las Vegas.

O protesto nacional teve como alvo principal as políticas do presidente republicano, consideradas ofensivas e misóginas pelas manifestantes.


Em 2017, outra grande manifestação tomou as ruas do país com o mesmo formato. Logo após a posse de Donald Trump, uma marcha com milhões de mulheres também tomou as ruas do país.

Este ano, apenas em Nova York, pelos 120 mil mulheres estiveram presentes.

Além de ser Anti-Donald Trump, parte das organizadoras aponta para a organização em prol das eleições parlamentares que acontecerão ainda em 2018. Na ocasião, os eleitores norte-americano vão eleger senadores e deputados. Uma eventual vitória democrata poderia aumentar a pressão sobre a administração de Donald Trump.

Nenhum comentário:

Postar um comentário