sexta-feira, 31 de março de 2017

Maduro convoca Conselho de Defesa para resolver crise institucional na Venezuela


Venezuela's President Nicolas Maduro speaks during a meeting with businessmen in Caracas, Venezuela January 9, 2017

Maduro convoca Conselho de Defesa para resolver crise institucional na Venezuela

© REUTERS/ Miraflores Palace

O Tribunal Supremo da Venezuela assumiu as funções do Parlamento do país. A oposição, que controla o legislativo, acusa o governo de provocar golpe institucional.

 
O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, disse nesta sexta-feira (31) que resolverá em poucas horas a controvérsia sobre a decisão da Suprema Corte de assumir as funções do Parlamento, liderado pela oposição. 
Protestos protestos generalizados organizados pela oposição aconteceram hoje na Venezuela. A comunidade internacional criticou veementemente a situação institucional do país sul-americano. 

"Eu acredito no diálogo e no uso da Constituição para resolver a controvérsia", disse ele, convocando uma reunião do conselho de segurança do Estado para discutir as críticas do procurador-geral à decisão do tribunal superior.

Manifestantes invadem e incendeiam Congresso do Paraguai (VÍDEO) - O PARAGUAI É GOVERNADO POR UM "JUDEU SIONISTA" QUE DERRUBOU "LUGO" EM UM GOLPE, A EXEMPLO DO QUE FOI FEITO NO BRASIL


Manifestações em Paraguai contra lei que permite a reeleição do presidente do país

Manifestantes invadem e incendeiam Congresso do Paraguai (VÍDEO)

© REUTERS/ Jorge Adorno
Mundo
URL curta
141975210

Manifestantes invadiram o prédio do Congresso do Paraguai e incendiaram parte do edifício nesta sexta-feira (31) em meio a violentas manifestações contra uma votação secreta do Senado no início do dia para aprovar um projeto de lei que permitiria ao presidente Horacio Cartes concorrer à reeleição.

​Imagens de televisão mostraram os manifestantes quebrando as vidraças do Congresso após várias horas de intensos protestos e confrontos com a polícia.
"O edifício do Senado está em chamas, enquanto alguns parlamentares aindas estão dentro", informou a rádio 970 AM através do Twitter.




MXQnoticias @MXQnoticias
Manifestantes incendian la sede del Congreso en tras aprobación de reelección presidencial por parte de legisladores.

Bombeiros chegaram ao local para tentar controlar o fogo.
A situação levou o presidente da Câmara dos Deputados, Hugo Velázquez, a suspender a sessão programada para este sábado, na qual a Câmara iria votar o projecto aprovado pelos senadores.

"Dado o cenário de eventos que aconteceram no Congresso Nacional desde a sexta-feira, se tomou a decisão de cancelar a reunião especial que estava agendada para o sábado de manhã", disse Velazquez, segundo o jornal ABC Color.
Em uma sessão considerada irregular, 25 dos 45 senadores do Paraguai aprovaram nesta sexta-feira um projecto de emenda constitucional para permitir a reeleição presidencial, proibida de forma taxativa pela Constituição do país.

TEMER O "T U R C O L A D R Ã O E BANDOLEIRO" - APÓS O GOLPE CONTRA A DEMOCRACIA, APOSENTADORIA E AGORA CONTRA OS TRABALHADORES, NÃO VAI PARAR ATÉ A DESTRUIÇÃO TOTAL DAS INSTITUIÇÕES E CONQUISTAS DO POVO BRASILEIRO


Michel Temer

Temer sanciona lei da terceirização sem garantias para trabalhadores, redundando num golpe massivo contra a categoria

Beto Barata/PR

O presidente Michel Temer sancionou nesta sexta-feira (31) a lei da terceirização sem salvaguardas para os trabalhadores.



O projeto da terceirização foi aprovado pela Câmara no último dia 22 de março. A proposta permite a contratação de serviço terceirizado em qualquer tipo de atividade de uma empresa.


A expectativa inicial era de que Temer sancionasse a proposta aprovada na Câmara em 12 de abril, mas foi recomendado a antecipar para evitar pressão de senadores do PMDB que queriam que a proposta fosse vetada.  Com a antecipação, cai por terra a possibilidade da proposta sofrer medidas provisórias para incluir salvaguardas para os trabalhadores afetados.

O projeto sancionado por Temer teve três vetos, incluindo o artigo que prevê a possibilidade de prorrogação do prazo de 270 dias de experiência.

A notícia foi divulgada no momento em que ocorrem protestos contra a medida em todo o país.

Venezuela denuncia ataque da direita regional contra a democracia


Delcy Rodríguez, ministra das Relações Exteriores da Venezuela (arquivo)

Venezuela denuncia ataque da direita regional contra a democracia

Federico Parra/AFP

A ministra das Relações Exteriores da Venezuela, Delcy Rodríguez, divulgou uma mensagem na internet condenando um ataque da "direita regional" contra o sistema democrático do seu país, atingido por uma profunda crise política e econômica que, na última quarta-feira, culminou na destituição do parlamento pelo Tribunal Supremo de Justiça (TSJ).


Rodríguez, que, recentemente, qualificou o Brasil como "vergonha mundial", também utilizou seu Twitter para criticar o Peru, que retirou o seu embaixador de Caracas por considerar que houve uma ruptura da democracia na Venezuela.
"A Venezuela rechaça categoricamente o comunicado ingerencista do governo peruano sobre assuntos da jurisdição interna venezuelana. É lamentável que, ante os graves problemas que sofre o povo irmão do Peru, suas autoridades se dediquem a agredir a Venezuela", disse a chanceler.
Ao tomar sua decisão ontem, o TSJ da Venezuela disse que a Assembleia Nacional, controlada pela oposição ao governo de Nicolás Maduro, estaria em situação de desacato, por não cumprir uma série de determinações judiciais. Com isso, o poder legislativo passou para o Tribunal Supremo de Justiça, manobra duramente criticada no exterior e vista, por opositores, como um golpe de Estado.

quinta-feira, 30 de março de 2017

"EUA JUDAICO SIONISTA" SÃO LADRÕES DIZ O "IRÃ" - "Será aceitável que um ladrão armado entre na casa de alguém esperando um tapete vermelho? É um dos absurdos da época contemporânea", acrescentou.


Porta-aviões USS Dwight D. Eisenhower (CVN-69)  dos EUA no Gólfo Pérsico

Irã aconselha os EUA a abandonar o Golfo Pérsico

Resultado de imagem para FOTOS Hossein Dehghan

Hossein Dehghan

MINISTRO DA DEFESA DO IRÃ

O ministro da Defesa do Irã, Hossein Dehghan aconselha os EUA a abandonar o Golfo Pérsico e não importunar os países da região, informa a agência Mehr.



"O que os norte-americanos estão fazendo no Golfo Pérsico? Deverão abandonar essa área para não causarem incómodos aos países da região", cita a Mehr as palavras do ministro.


"Será aceitável que um ladrão armado entre na casa de alguém esperando um tapete vermelho? É um dos absurdos da época contemporânea", acrescentou.

As relações entre os EUA e o Irã mudaram completamente após a tomada de posse de Donald Trump. O presidente norte-americano declarou, nomeadamente, que não será tão amável em relação ao país do Oriente Médio como foi seu antecessor — Barack Obama. 

O novo chefe da Casa Branca tem uma atitude cética perante o acordo nuclear com Teerã, que foi atingido pelos cinco membros permanentes do Conselho da Segurança da ONU e Alemanha em 2015. 

Conforme o documento, o Conselho da Segurança da ONU levantará as sanções econômicas e financeiras impostas ao Irã em troca da aceitação do caráter pacífico do programa nuclear do país.

15 ANOS DE CADEIA AO GANGSTER MÓR DA POLÍTICA BRASLEIRA, O HOJE PRESIDIÁRIO "EDUARDO CUNHA, "RESPONSÁVEL DIRETO NA CASSAÇÃO DE "DILMA" - AQUI SE FAZ , AQUI SE PAGA - MAS ELE NÃO PENALIZOU SÓ A PRESIDENTA, PENALIZOU UMA NAÇÃO E SEU POVO



15 ANOS DE CADEIA AO GANGSTER MÓR DA POLÍTICA BRASLEIRA, O HOJE PRESIDIÁRIO "EDUARDO CUNHA, "RESPONSÁVEL DIRETO NA CASSAÇÃO DE "DILMA" - AQUI SE FAZ , AQUI SE PAGA - MAS ELE NÃO PENALIZOU SÓ A PRESIDENTA, PENALIZOU UMA NAÇÃO E SEU POVO, JOGANDO O PAÍS NAS MÃOS DOS "JUDEUS SIONISTAS" QUE HOJE COMANDAM E IMPÕEM SUAS MAZELAS AOS BRASILEIROS, ATRAVÉS DE OUTRO "GANGSTER" - TEMER - USURPADOR E GOLPISTA...

O Deputado Federal Eduardo Cunha renuncia à presidência da Câmara

Eduardo Cunha é condenado a 15 anos de prisão

Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Sérgio Moro, juiz responsável pelos processos da Lava Jato, condenou hoje (30) Eduardo Cunha a 15 anos e 4 meses de prisão, informa o G1.

"O condenado recebeu vantagem indevida no exercício do mandato de Deputado Federal, em 2011. A responsabilidade de um parlamentar federal é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes. Não pode haver ofensa mais grave do que a daquele que trai o mandato parlamentar e a sagrada confiança que o povo nele deposita para obter ganho próprio. Agiu, portanto, com culpabilidade extremada, o que também deve ser valorado negativamente", afirmou o juiz federal, citado pelo G1.


“Entre os crimes de corrupção, de lavagem e de evasão fraudulenta de divisas, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a quinze anos e quatro meses de reclusão, que reputo definitivas para Eduardo Cosentino da Cunha. Quanto às penas de multa, devem ser convertidas em valor e somadas”, diz a condenação. 
Segundo o acórdão do juiz federal, Eduardo Cunha recebeu cerca de 1,5 milhões de dólares, atualmente cerca de R$ 4.643.550. Este valor foi usado como base para definir o ressarcimento para a Petrobras.

“A corrupção com pagamento de propina de US$ 1,5 milhão e tendo por consequência prejuízo ainda superior aos cofres públicos merece reprovação especial. A culpabilidade é elevada. O condenado recebeu vantagem indevida no exercício do mandato de deputado federal, em 2011”, diz Moro. 
No que diz respeito às acusações de Cunha contra Michel Temer, no veredito Moro declara que o Juízo não tem "competência para apurar condutas do Exmo. Sr. Presidente da República" e que "não se pode permitir que o processo judicial seja utilizado para que a parte transmita ameaças, recados ou chantagens a autoridades ou a testemunhas de fora do processo".

Eduardo Cunha foi acusado de receber propina por um contrato da Petrobras para exploração de petróleo no Benin.
Cunha foi preso em outubro de 2016, em Brasília. Atualmente ele está no Complexo Médico-Penal em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

terça-feira, 28 de março de 2017

"O FUTURO DE UMA ILUSÃO - "UE" COMEÇA A DESINTEGRAÇAO GRADUAL, IMPLACÁVEL E IRREVERSÍVEL - ONDE 75% QUEREM SAIR DA "UE" E MIGRAR DE VOLTA AO FUTURO COM A RÚSSIA E APENAS 5% QUEREM FICAR


"O FUTURO DE UMA ILUSÃO - "UE" COMEÇA A DESINTEGRAÇAO GRADUAL, IMPLACÁVEL E IRREVERSÍVEL - ONDE 75% QUEREM SAIR DA "UE" E MIGRAR DE VOLTA AO FUTURO COM A RÚSSIA E APENAS 5% QUEREM FICAR
Dia da Bandeira na Rússia, foto de arquivo

 

Ilusões se dissipam: Europa do Leste vira o olhar da "UE" para Rússia

© Sputnik/ Aleksandr Kryazhev
Europa
URL curta
283320461

 

O projeto europeu parece se estar desintegrando gradualmente e muitos países do antigo bloco soviético começaram a perceber que se decidiram juntar à "família europeia” precipitadamente, que a União Europeia nunca foi "um jogo limpo" e que ali eles foram "deixados para estagnar". Assim, agora eles se estão virando para a Rússia.


"Os países do antigo bloco soviético são uma espécie de papel tornassol que mostra que a "UE" nunca foi um jogo limpo. A Alemanha e os países da Europa Central prosperaram por um tempo, enquanto outras nações foram deixadas a estagnar", escreve o cientista político, analista e especialista em Europa de Leste Phil Butler em seu artigo para a revista online New Eastern Outlook.

"A UE, a OTAN e a aliança ocidental falharam completamente perante o povo da Europa de Leste. O amor desenfreado dos ex-membros do bloco soviético está virando lentamente em desprezo. 

Na "Ucrânia" o Euromaidan e depois a guerra civil revelaram uma divisão ideológica e cultural", disse.

Em seguida, o cientista político deu como exemplo os processos políticos que estão decorrendo em vários países da Europa do Leste.

Na Moldávia, diz ele, se observa "uma viragem geral em direção à Rússia". O novo governo do país foi capaz de vencer porque "a maioria dos moldávios são a favor da parceria estratégica com a Rússia" que o novo governo está defendendo.


"Em 2014, a nossa atual coalizão pró-europeia no parlamento assinou um acordo de associação com a União Europeia e nós não recebemos quase nada da União Europeia, tendo tido uma grande redução econômica por perdermos o mercado russo. [A Rússia] é o nosso parceiro estratégico, é o que acontece quando os políticos que tentam destruir os laços e tradições antigas entre os nossos povos chegam ao poder", cita o analista a ex-premiê da Moldávia e atual chefe do Partido Socialista Zinaida Greceanii.

Ao sul e oeste da Moldávia, uma série de estados-membros da ilusória "UE", discutem um processo semelhante ao Brexit para abandonarem o sistema globalista que muitos veem como condenado ao fracasso, disse ele.

Numa pesquisa recente realizada na Hungria, 75% dos entrevistados queriam relações pragmáticas e favoráveis com a Rússia, contra isso se pronunciaram apenas 5%.
 
A reinicialização das relações turco-russas, especialmente a renovação do projeto do gasoduto Corrente do Sul, reflete a viragem em direção à Rússia na Grécia, Macedônia, Eslovênia, Itália e outros ex-devotos da OTAN e da UE.
 
"Não importa como são classificados todos esses movimentos geopolíticos, é claro que existe uma tendência a favor dos laços com a Rússia", conclui.

OPINIÃO
"O que ninguém percebe ou não quer ver, é que por trás da "UE" vem a "OTAN", logo em seguida estão os "ESTADOS UNIDOS", mas acima de todos, dominando a todos, existe uma eminência parda, ou seja, os "JUDEUS SIONISTAS DE ISRAEL", portanto os estados que aderem à "UE", não são parceiros e sim "rendidos", e que ao entrarem no bloco tornam-se presas fáceis nas mãos dos "JUDEUS SIONISTAS", com seus bancos agiotas, seus laboratórios farmacêuticos que em vez de produzirem remédios, fabricam venenos e falsas vacinas, e mais, implantam a agricultura "Transgênica" carregada com seus venenosos agrotóxicos, que são a verdadeira causa dos falsos virus "ZIKA" - "DENGUE" - "CHICUNGUNHA" e o "EBOLA", trazendo mais, e por indução, doenças terríveis e crônicas, como "DIABETES" - "CÂNCER" - "OBESIDADE" - "HOMOSSEXUALISMO" - TRANSFIGURAÇÃO DO "DNA" E ETC... , e a famosa "MÍDIA OCIDENTAL", que em vez de informar, desinforma", a exwmplo do que acontece no Brasil e Estados Unidos, daí  a declaração do especialista em Europa de Leste Phil Butler em seu artigo para a revista online New Eastern Outlook,  diz  que  a  "UE"  não é  "JOGO LIMPO".

sábado, 25 de março de 2017

"MÁFIA DA CARNE PODRE" - Operação Carne Fraca aponta indícios de curral político em indicações, ou seja, uma verdadeira "MÁFIA", comandada pelo Pseudo Presidente e real Bandoleiro Golpista e seus asseclas "TEMER" do "PMDB", mais os Bandoleiros do "PP".



Mais importante do que o “fato” é a “versão”.
Mais importante do que a “prova” é a “notícia”. 
"política aplicada no mundo ocidental pela "máfia dos judeus sionistas de israel", e agora aplicada no brasil por Temer e seus bandoleiros"

Esquema de propina na pecuária teria beneficiado partidos políticosOperação Carne Fraca aponta indícios de curral político em indicações,  ou  seja,  uma  verdadeira  "MÁFIA"  comandada pelo Pseudo Presidente e real Bandoleiro Golpista e seus asseclas "TEMER" do "PMDB", mais os Bandoleiros do "PP". 

 Não bastasse a divulgação do esquema de pagamento de propinas de empresários a agentes de fiscalização sanitária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a Operação Carne Fraca aponta agora a influência de partidos, em especial PMDB e PP, na indicação política das superintendências nos estados.


Nesta sexta-feira, o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, desmentiu que tenha interferido para evitar o fechamento de um frigorífico no Paraná, quando ainda deputado federal pelo PMDB. Serraglio também negou qualquer ligação com o agente Daniel Gonçalves Filho, atualmente preso pela Polícia Federal, por integrar o esquema, segundo as investigações.
O novo presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara, o deputado federal Sérgio Souza (PMDB-PR) também é citado em grampos da Operação Carne Fraca como beneficiário do esquema. Ronaldo Sousa Troncha, ex-assessor de Sérgio Souza, disse em depoimento na PF que Serraglio participou da indicação de Daniel Filho para assumir a superintendência do ministério no Paraná. Ainda segundo o depoimento, isso aconteceu em 2008, quando o atual ministro ainda era deputado federal. 
Parlamentares do PT e do PMDB, de dois dois maiores estados produtores de carne, Paraná e Mato Grosso do Sul, divergem sobre recebimento de benefícios e indicações políticas em postos-chaves nas áreas das superintendências estaduais e nos quadros de fiscalização sanitária. O deputado federal Ênio Verri (PT-PR) afirma que as investigações apontam nesse sentido.

"As pessoas recebiam esses cargos como forma de obter recursos para financiar a campanha desses parlamentares. O lado positivo é que se está mostrando que esse modelo eleitoral, de financiamento empresarial, tem muito de desonesto e precisa ser mudado. É importante que a polícia investigue o máximo possível até para descobrir o quanto o PMDB entregou ao ministro, também o PP, mas em especial o PMDB, partido de Michel Temer, que aplicou um golpe contra  democracia no Brasil. Hoje seus ministros, a ampla maioria deles, estão envolvidos em denúncias. Fico me perguntando: se um ministro se torna ministro para depois cometer irregularidades ou se torna ministro porque cometeu irregularidades? Todo ministro que entra um dia depois se descobre que está envolvido em algumas denúncia" diz Verri.

Zarattin afirma que a denúncia gerou impacto econômico imediato, praticamente parou a exportação de carne no Brasil e isso é um desastre econômico.
Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

O deputado Sérgio Souza, por sua vez, lembra que os ministérios são indicados por partidos, o que se replica nos estados. No Paraná, a agricultura estava sob comando do PMDB há uma década até ser substituído agora pelo PP, e neste período os deputados federais e senadores do PMDB é que sugeriam nomes que podiam ou não ser aceitos pelo ministro da Agricultura e mesmo assim após uma verificação da Agência Brasileira de Informação (Abin). Segundo o deputado, essa é uma praxe normal de todos os governos. 

"Nesta última indicação do Daniel em 2015, eu já como deputado federal também assinei a indicação dele, assim como todos os deputados. Um ex-funcionário meu, que já tinha assessorado outro deputado em outros tempos, foi citado por ter recebido valores em 2009,  2010. Ele teve uma pena em processo administrativo, uma suspensão por nove meses e foi exonerado da superintendência", diz o parlamentar.
Souza conta que esse funcionário alegava perseguição política por conta de perseguição minha e do Osmar Serraglio pela posição com relação ao impeachment da presidente Dilma Rousseff e foi aconselhado pelo parlamentar a buscar orientação jurídica. "Nunca tivemos nenhum envolvimento a frigoríficos e a tudo mais. Se ele achacava frigoríficos é problema dele, e vai ter que responder."
Outro parlamentar que vê exploração midiática do tema é o deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS).

"É completamente pusilânime essa tentativa de envolver uma pessoa honrada como é o ministro Osmar Serraglio num escândalo absurdo como esse. O PMDB deveria inclusive processar as pessoas que estão fazendo esse tipo de ilação. Isso tem que ser reduzido ao que efetivamente é: um esquema de corrupção que envolve alguns funcionários concursados do Ministério da Agricultura. O equívoco que está sendo cometido por autoridades das nossas polícias e do nosso judiciário que tomou uma proporção muito maior do que tem e traz prejuízos para toda a população brasileira", diz Marun, que considera um absurdo uma investigação como essa levar dois anos.

O deputado também questiona as notícias de que há risco à saúde pelo consumo de carne não certificada.
"Você já ouviu de alguém falar que tenha tido uma dor de barriga por comer carne produzida no Brasil? Não. Isso deveria ter sido comunicado há dois anos ao Ministério da Agricultura, ter sido feita uma inspeção nesses frigoríficos e terem sido afastados esses fiscais. 

O erro da nossa Justiça é trabalhar om a ideia de que mais importante do que o fato é a versão, mais importante do que a prova é a notícia. Isso começa a acontecer num setor importante da economia e que trará perdas irreparáveis", diz Marun, lembrando quer, por conta da crise, dos sete maiores frigoríficos de Mato Grosso do Sul seis foram fechados.