domingo, 11 de junho de 2017

Uma falha atrás da outra: pilotos do F-35 americano voam sem oxigênio

F-15 da Força Aérea dos EUA (arquivo)

Uma falha atrás da outra: pilotos do F-35 americano voam sem oxigênio

© Sputnik/ Denisov Anton
Defesa
URL curta
321892121

Um total de 55 caças F-35 Lightning II foi proibido de voar temporariamente depois de problemas com o fornecimento de oxigênio para as aeronaves.

"A Força Aérea dos Estados Unidos deteve em solo 55 de seus caças F-35 na base aérea de Luke, no Arizona, depois de registrar cinco incidentes em que os pilotos sentiram sintomas de privação de oxigênio", informou o portal Defense One.

Os pilotos "relataram incidentes fisiológicos durante voo", disse o capitão Mark Graff da Força Aérea norte-americana, citado pelo portal. O sistema de reserva de oxigênio, então, foi ativado para que os pilotos pudessem voltar para a base de maneira segura, informou ele. Segundo o capitão, as aeronaves deverão voltar a voar já em poucos dias.
Defense One lembrou que esta é a segunda vez que os F-35 foram proibidos de voar, desde que foram postos em serviço e declarados prontos para o combate em meados do ano passado.
O caça polivalente de quinta geração F-35 tem sido considerado por muitos especialistas um fracasso das Forças Armadas dos EUA. A razão é explicada pelo seu alto preço, em torno de 1,4 bilhão de dólares (R$ 4,6 bilhões), além de suas inúmeras falhas críticas de desempenho e problemas de manutenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário