terça-feira, 13 de junho de 2017

Ministro da Defesa israelense compara Al-Jazeera com 'propaganda nazista'

A emissora qatarense Al-Jazeera

Ministro da Defesa israelense compara Al-Jazeera com 'propaganda nazista'

© East News/ Polaris Images
Oriente Médio e África
URL curta
0 28 0 0

O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Liberman, comparou a emissora qatarense Al-Jazeera com a propaganda de estilo nazista, acusando o canal de apoiar o Irã – país possuidor de relações tensas com Israel e Estados árabes do golfo Pérsico em meio ao conflito diplomático ligado ao Qatar.


Mais cedo neste mês, a Al-Jazeera foi bloqueada nos Emirados Árabes Unidos e seus escritórios fechados neste país e na Jordânia. A Arábia Saudita exigiu que o Qatar mudasse imediatamente a política e a administração do canal para que as emissões não contradigam os interesses dos países do golfo Pérsico e do mundo árabe.
"Alguns interesses [dos países árabes] coincidem com os interesses israelenses, inclusive o caso da Al-Jazeera… Al-Jazeera não é mídia, nem jornalismo. É um instrumento de incitação. É uma propaganda, e das piores, no estilo da Alemanha Nazista ou União Soviética", disse Liberman na segunda-feira (12) no âmbito da reunião do parlamento de Israel para as estratégias do país quanto à Faixa de gaza, citado pelo jornal israelense Times of Israel.
Como as relações entre o Irã e os países árabes do mundo muçulmano, bem como com Israel, são muito tensas, o ministro israelense sublinhou que pelo visto a emissora está apoiando o Irã.
"Tenho monitorando a Al-Jazeera há muitos anos… Você nunca verá nenhum único artigo contra o Irã", frisou Liberman, citado pelo jornal.

Na segunda-feira passada (5), os governos do Egito, Arábia Saudita, Bahrein e Emirados Árabes Unidos anunciaram o rompimento das relações diplomáticas e suspenderam as comunicações terrestres, marítimas e aéreas com o Qatar. Outras nações seguiram o exemplo, acusando Doha de apoiar organizações terroristas e de desestabilizar a situação no Oriente Médio.
As relações entre Israel e o Irã têm permanecido tensas desde a Revolução Iraniana no fim dos anos 70. Os laços são prejudicados por vários assuntos, incluindo os programas nucleares e de mísseis de Teerã, acompanhados por afirmações contraditórias anti-israelenses dos altos funcionários iranianos, tais como do ex-premiê do Irã, Mahmoud Ahmadinejad.

Nenhum comentário:

Postar um comentário