sexta-feira, 9 de junho de 2017

Mídia norte-americana continua histeria militarista contra a Rússia



Predator, veículo aéreo não tripulado utilizado pelas Forças Armadas dos Estados Unidos

Mídia norte-americana continua histeria militarista contra a Rússia

© AFP 2017/ MASSOUD HOSSAINI
Mundo
URL curta
244327354

Um analista norte-americano escreveu na publicação The National Interest um artigo sobre a correlação entre o poder militar da Rússia e as ambições do país na política exterior, argumentando que a prova disso é o recente desenvolvimento de novas tecnologias pela Rússia.

Segundo o analista Blake Franko, a "arma segreda" da Rússia podem ser sistemas de robôs e equipamentos militares não tripulados. Ele opina que a Rússia tenta ultrapassar o modelo militar soviético, que segundo o autor do artigo, é  "quantidade acima de qualidade".
Blake Franko vê na modernização de armamentos por parte da Rússia, no desenvolvimento do tanque Armata e de outras tecnologias modernas "uma ameaça real e que pode tornar-se cada vez mais problemática".
"Os EUA devem estar preparados para lidar com a muito provável corrida aos armamentos robotizados", escreveu.
Deste modo, a propaganda norte-americana parece insistir na alegada “ameaça russa”. A mídia dos EUA já tem várias vezes mencionado os esforços intensificados da Rússia na área do desenvolvimento de tecnologias militares, especialmente drones. Uma coisa curiosa é que foram os próprios Estados Unidos que começaram a usar ativamente aviões não tripulados nos ataques aéreos contra terroristas da Al-Qaeda.
E ainda mais interessante é o fato de as vítimas mortais entre população civil parecerem nunca preocupar o governo dos EUA. Mesmo a declaração feita por presidente Obama em abril do ano corrente falava de vítimas "acidentais" de um ataque de drones no Paquistão.Enquanto isso, segundo várias estimativas, desde 2004, em resultado de ataques aéreos com o uso de drones, só no Paquistão foram mortas mais de 3 mil pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário