domingo, 11 de junho de 2017

Irã envia navios de guerra ao Omã, em meio às tensões no Golfo Pérsico

Navios de guerra da Marinha do Irã

Irã envia navios de guerra ao Omã, em meio às tensões no Golfo Pérsico

© AP Photo/ Fars News Agency, Mahdi Marizad
Oriente Médio e África
URL curta
202994210

Neste domingo, a Marinha do Irã enviou navios de guerra ao Omã, para uma operação em águas internacionais, em meio às tensões no Golfo Pérsico, segundo informações da imprensa local.


A 47ª flotilha da Marinha do Irã, composta por contratorpedeiro Alborz e o navio de guerra e de logística Bushehr, partiu da cidade portuária de Bandar Abbas, após uma cerimônia com a presença do comandante da Marinha, o Almirante Habibollah Sayyari, segundo a agência Tasnim News.
De Omã, os navios partirão para o Golfo de Aden e as águas internacionais no norte do Oceano Índico.
Ao mesmo tempo, a 46ª flotilla, composta pelo contratorpedeiro Sabalan e o navio de guerra Lavan, retornará ao Irã no domingo, depois de completar uma missão de dois meses para assegurar as rotas navais e proteger navios mercantes e petroleiros no Golfo de Aden. A Marinha iraniana vem realizando patrulhas na região desde novembro de 2008, como parte dos esforços internacionais contra a pirataria.
"Hoje temos uma situação de insegurança controlada no Golfo de Aden e conseguimos escoltar mais de 4 mil petroleiros e navios de carga para as regiões seguras, sem qualquer interrupção nos nossos planos de exportações e importações de petróleo e outros produtos", afirmou o almirante Sayyari à Fars News Agency neste domingo.

Os navios iranianos fazem parte nas manobras no estreito de Ormuz (Uma foto de arquivo)
© AFP 2017/ EBRAHIM NOROOZI / JAMEJAM ONLINE
O Golfo de Aden, localizado entre o Chifre de África e a ponta sul da Península Arábica, vive momentos de tensão. O conflito no Iêmen, entre o governo apoiado pela Arábia Saudita e os rebeldes houthis, apoiados pelo Irã, provocou uma série de ataques contra navios em trânsito. Enquanto isso, os piratas na Somália aproveitaram o caos para lançar incursões contra navios mercantes em uma das rotas marítimas mais movimentadas do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário