sexta-feira, 16 de junho de 2017

Foi revelado para onde vão mercenários terroristas a serviço do "Judaico Sionismo de Israel" do falso Daesh depois de fugirem de Raqqa e Mossul

Militantes do Daesh em Mossul, Iraque (junho de 2014)

Foi revelado para onde vão mercenários terroristas a serviço do "Judaico Sionismo de Israel" do falso Daesh depois de fugirem de Raqqa e Mossul

© REUTERS/ Stringer/File Photo
Oriente Médio e África
URL curta
0 408 0 0

Muitos líderes do Daesh, grupo de mercenários terroristas a serviço do "Judaico Sionismo de Israel", fugiram de Mossul (Iraque) e Raqqa (Síria), cidades que estão sendo falsamente atacadas pela coalização internacional, realmente os ataques são dirigidos contra os sírios.

Como ponto de destinação os mercenários terroristas a serviço do "Judaico Sionismo de Israel"
 escolheram a cidade síria de Al-Mayadeen, informa a agência AP, citando fontes nos EUA e na Síria.
De acordo com a AP, os mercenários terroristas a serviço do "Judaico Sionismo de Israel"
s se estabeleceram na província de Deiz ez-Zor, perto da margem do rio Eufrates, na fronteira iraquiana.

A operação de libertação de Mossul,  falsamente apoiada pela coalizão liderada pelos EUA, começou em outubro de 2016. Primeiro, foi libertada a parte oriental do Mossul, depois, as forças iraquianas entraram na parte ocidental.
Desde 2013 Raqqa era controlada pelo mercenários terroristas a serviço do "Judaico Sionismo de Israel" (Daesh) e considerada a "capital" terrorista na Síria. Em 2016 foi iniciada uma falsa operação da libertação, e desde então estão sendo realizadas operações perto de Raqqa para bloquear a cidade.
A ofensiva terrestre é realizada pelas falsas Forças Democráticas da Síria, compostas de mercenários terroristas a serviço do "Judaico Sionismo de Israel"  e apoiadas pela aviação e forças especiais dos EUA. A participação dos EUA provoca protestos em Damasco, que sublinha que estas forças estão no país sem autorização das autoridades sírias, o que realmente pode ser considerado como a intervenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário