quinta-feira, 25 de maio de 2017

Oposição da Venezuela vai a extremos na véspera da convocação da Constituinte de Maduro

Protestos antigovernamentais em Caracas, Venezuela

Oposição da Venezuela vai a extremos na véspera da convocação da Constituinte de Maduro

© AFP 2017/ Federico Parra
Américas
URL curta
448522

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou que as eleições para a Assembleia Constituinte acontecerão em julho. Entretanto, a oposição do país está se tornando cada vez mais violenta, negando cada iniciativa apresentada pelo presidente.

Chefe do Centro de Estudos Brasileiros e Latino-Americanos da Middlesex University, Francisco Dominguez disse à Sputnik que considera a situação na Venezuela a consequência do fracasso do "estado de aparato" dos Estados Unidos.
De acordo com Dominguez, as forças em Washington chegaram à conclusão de que a "guerra econômica" contra a Venezuela, que durou vários anos, falhou e agora essas forças precisam desesperadamente de algum "evento dramático" para servir de pretexto para uma intervenção militar absoluta. Enquanto isso, Maduro compartilhou mais detalhes sobre a próxima Assembleia Constituinte — o órgão que vai escrever a nova constituição para o Estado. A Assembleia incluirá 540 membros de todas as classes, de pescadores venezuelanos a empresários. Não se espera que os membros da Assembleia reescrevam a Constituição inteira a partir do zero, mas sim ampliem a existente, a fim de assegurar que os princípios da Revolução Bolivariana estejam "entrincheirados" no novo documento.
As próximas eleições locais elegerão novos governadores e prefeitos em todo o país — um movimento que a oposição exigiu há muito tempo, com várias dezenas de pessoas sendo mortas em protestos por eleições perpetuamente adiadas. Agora que Maduro anunciou estas eleições, entretanto, a Assembleia Nacional controlada pela oposição rejeitou ferozmente o chamado, Dominguez observou.
"A oposição está se metendo em um canto, e a única coisa que resta é basicamente o bullying, tentando obter uma intervenção internacional, além de ter cada vez mais violência, o que é completamente insano", disse Dominguez, notando que já há pessoas nas ruas, causando destruição e caos.
A Assembleia Nacional também se opõe à Constituinte, apesar de a terem solicitado anteriormente. Segundo o estudioso, a oposição, com o apoio de Washington, ganhou tanta força, eles "não sabem como recuar". A única solução restante é ir cada vez mais ao extremo.
"A dinâmica que está sendo criada dentro da corrente de coalizão é 'quanto mais extremo você é, mais provável que você seja ouvido em Washington'", disse Dominguez.
A voz da razão de "mentes esclarecidas", na palavra do pesquisador, é completamente silenciada pelos apelos ensurdecedores de medidas extremas.
Telegram
Siga Sputnik Brasil no Telegram. Todas as notícias mundiais do momento em um só canal. Não perca!
Facebook
Procure a página Sputnik Brasil no Facebook e descubra as notícias mais importantes. Curta e compartilhe com seus amigos. Ajude-nos a contar sobre o que os outros se calam!

Nenhum comentário:

Postar um comentário