domingo, 14 de maio de 2017

DIZ-ME COM QUEM ANDAS E DIRTE-EI QUEM ÉS - EM 2018: Bolsonaro pode disputar Presidência por partido de condenado no mensalão




O deputado Jair Bolsonaro fala à imprensa sobre o requerimento que fez ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar pedindo sua convocação para prestar esclarecimentos sobre as declarações que fez em um programa de TV

Eleições 2018: Bolsonaro pode disputar Presidência por partido de condenado no mensalão

© Foto: Renato Araújo/Agência Brasil
Brasil
URL curta
471515612

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) é um crítico constante da corrupção, mas poderá disputar as eleições presidenciais de 2018 por um partido a ser criado por um dos condenados no esquema do mensalão do PT, de 2005. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com a publicação, Bolsonaro negocia a sua saída do PSC, onde enfrentou resistências e rusgas com caciques da legenda, para o ‘Muda Brasil’, partido este que está em processo de criação patrocinado pelo ex-deputado Valdemar Costa Neto.
Costa Neto foi condenado em 2012 a sete anos e 10 meses de prisão, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, cometidos no mensalão do PT. Em 2016, ele recebeu perdão da pena. O ex-parlamentar foi também citado por um delator da Operação Lava Jato.
Apesar da ficha corrida de Costa Neto, a consolidação de Bolsonaro no segundo lugar da preferência do eleitorado para as eleições presidenciais de 2018 acelerou as negociações com a nova sigla, de acordo com a Folha.
A ideia de Bolsonaro é levar os seus três filhos – o deputado federal Eduardo Bolsonaro, o deputado estadual pelo Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro, e o vereador no Rio Carlos Bolsonaro – para a nova legenda, lançando dois à Câmara dos deputados e um, Flávio, ao Senado.
O presidente do Muda Brasil, José Renato da Silva, disse que vai entregar as 486 mil assinaturas para o registro do partido junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na próxima semana. Ele atuou em 2014 na prestação de contas da campanha de Eduardo Bolsonaro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário