quinta-feira, 4 de maio de 2017

DESCASO DO "TURCO LADRÃO TEMER" CONTRA ÍNDIOS - 'Houve tentativa de massacre', diz missionária após ataque contra índios no Maranhão


Índio Gamela atacado no Maranhão

'Houve tentativa de massacre', diz missionária após ataque contra índios no Maranhão

© Foto: Ana Mendes / Cimi
Brasil
URL curta
659532

A missionária do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) Meire Diniz disse nesta terça-feira, em entrevista exclusiva à Sputnik, que “houve uma tentativa de massacre” de índios Gamela no último domingo, em Viana (MA), cidade que fica a 220 quilômetros da capital São Luís.

De acordo com a missionária, o ataque contra os indígenas já vinha sendo preparado há dias “repetidas reuniões entre fazendeiros, políticos e alguns adeptos da Assembleia de Deus da região”. Ela disse ainda que esses grupos consideram os índios “ladrões, bandidos e invasores de propriedades”.
“Não houve conflito. Houve uma tentativa de massacre. Houve um ataque contra o povo indígena Gamela e foi um ataque [...] premeditado e planejado para atacar os indígenas que sempre existiram naquele território, mas tiveram o seu território vendido, invadido e já não tinham nem condições de exercer as atividades essenciais à sua sobrevivência”.
Por conta do ataque, pelo menos 13 pessoas ficaram feridas, segundo dados do Cimi. Já a Secretaria Estadual de Saúde do Maranhão confirmou que apenas sete deram entrada no sistema. Os dois órgãos confirmam que três índios seguem internados. Destes, o Cimi diz que dois tiveram as mãos amputadas – o que a secretaria e o governo estadual negam.
“Duas vítimas tiveram sim as mãos amputadas. Foi o termo usado pelo médico hoje [terça-feira] quando estivemos no hospital. Nos braços de um deles... foram cortadas as duas mãos, de cima para baixo, em cima das articulações. Elas ficaram presas por um pedacinho da pele mesmo, mas foram cortadas. Eles perderam os ligamentos e os movimentos. Agora, essas mãos foram reconstituídas, os indígenas estão com as mãos todas enfaixadas, e a gente não sabe ainda se eles recuperarão os movimentos”, afirmou Meire Diniz.
A missionária garantiu ainda que os ataques com facões que deceparam as mãos dos dois indígenas ocorreram após eles já terem sido baleados. Ela complementou afirmando que a prática de corte usada contra os índios seria conhecida na região para abater animais.
“O Cimi e todas as entidades sustentam que as mãos foram amputadas. A violência do corte é como fazem como prática nessa baixada do território Gamela, onde está o município de Viana. As pessoas fazem isso para abater boi, abater búfalos que entram nos territórios: cortam as articulações. Os indígenas já tinham sido feridos a bala e tiveram as mãos amputadas quando estavam no chão, em um ato de brutalidade muito grande”.
O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), negou em várias postagens em suas redes sociais que qualquer indígena com mãos decepadas tenha sido atendido pela rede estadual


Governo do Maranhão
na segunda
NOTA OFICIAL SOBRE A VIOLÊNCIA OCORRIDA EM VIANA
Sobre a lamentável violência ocorrida no povoado Bahias, município de Viana, o Governo do Maranhão informa que:
1- A Polícia Militar do Maranhão atuou imediatamente no último domingo (30) apos ter conhecimento do conflito entre moradores da região e um grupo que reivindica reconhecimento como povo Gamela, evitando assim uma tragédia maior. A PM permanece no local com reforço do efetivo;
... Ver mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário