sábado, 6 de maio de 2017

"CIA" E "MOSSAD" NA VANGUARDA DA GUERRA SUBTERRÂNEA CONTRA COREIA DO NORTE - Pyongyang: EUA organizam nos bastidores atos de terrorismo contra Coreia do Norte



O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un

Pyongyang: EUA organizam nos bastidores atos de terrorismo contra Coreia do Norte

© Sputnik/ Ilia Pitalev
Ásia e Oceania
URL curta
376911821

A Agência Telegráfica Central da Coreia (ACNC), mais conhecida por sua sigla em inglês KCNA, divulgou uma mensagem na qual exigiu que Washington pedisse desculpas de forma oficial e castigasse os responsáveis por uma tentativa de atentado contra o líder do país asiático.

Kim Jong-un, líder de Corea del Norte
© Sputnik/ Ilya Pitalev
Neste sábado (6), a KCNA divulgou um comunicado que exige a Washington que "peça desculpas de forma oficial e castigue de maneira dura os responsáveis principais que planejavam realizar um atentado" contra o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, comunica o RT. De acordo com a agência, os "EUA organizam, nos bastidores, terríveis atos de terrorismo de Estado contra a Coreia do Norte", dado que Washington financia organizações que "levam a cabo uma guerra psicológica e realizam outras atividades subversivas" contra Pyongyang.
Foi assim que a agência telegráfica comentou a falta de comentários por parte de Washington, depois de Pyongyang ter acusado a Coreia do Sul e os EUA de elaborarem uma conspiração com o fim de matar o líder norte-coreano, e ameaçou lançar um ataque antiterrorista contra as agências de inteligência de ambos os países.


IMPEACHMENT DE DILMA - CRISTINA - MADURO - ALLENDE - ZELAYA - LUGO - MORSI - KADHAFI - ASSAD - EVO MORALES - RAFAEL CORREA - PUTIN - YANUKOVICH - MUBARAC - BEN ALI - OMAR TORRIJOS - JOHN KENNEDY - NASSER - JANGO - EDUARDO CAMPOS - CHAVEZ - MITTERRAND - CASTELO BRANCO - COSTA E SILVA - TANCREDO NEVES - GETÚLIO VARGAS - SADAM HUSSEIN - ANUAR SADAT - JOHN KENNEDY JUNIOR -

"Impeachment", "Golpe de Estado" e "Ditadura de 'Mercado', ou seja, "Judeus Sionistas"

Os paladinos da educação defendem a educação primária geral, a atenção especial à primeira infância, a inclusão de todas as crianças e jovens (e os adultos?) no sistema. Não se fala muito na preparação de professores nem no horário integral nem nos efeitos, negativos e desestruradores, da televisão e da internet que os Judeus Sionistas disponibilisam ao sistema de ensino em seu cerne, que é o tempo dedicado aos estudos pelos jovens. Pode-se perguntar quando estes brasileiros, hoje infantes e jovens, entrariam no mercado de trabalho para tornar a mão de obra mais produtiva e o Brasil mais competitivo: daqui a 10 anos? Daqui a 15? E até lá?"




Judeus querem o impeachment da Dilma! Mas o quê é impeachment para os Judeus Sionistas?

O impeachment é a tentativa de anular, por via legislativa, pelo voto de 513 deputados e 81 senadores, os resultados das eleições de novembro de 2014 que refletiram a vontade da maioria do povo brasileiro ao reeleger a Presidenta Dilma Rousseff, por 53 milhões de votos.

"IMPEACHMENT" PELAS ALTAS CORTES COMPRADAS 
LUGO DO PARAGUAI FOI DEPOSTO NUM JULGAMENTO DE APENAS 24 Hs - PELO "STF" DOMINADO PELOS JUDEUS
ZELAYA DE HONDURAS FOI DEPOSTO PELO "STF" DOMINADO PELOS JUDEUS
MOHAMAD MORSI - O ÚNICO PRESIDENTE ELEITO DO EGITO EM 7 000 ANOS DE CIVILIZAÇÃO - FOI DEPOSTO PELO "STF" DOMINADO PELOS JUDEUS 

Os Judeus Sionistas fizeram algo semelhante ao impeachment no PARAGUAI, HONDURAS, e EGITO,  subornaram as Supremas Cortes desses países e derrubaram seus respectivos presidentes LUGO - ZELAYA E MORSI, todos legítimamente eleitos pelo voto popular, e nomearam fantoches em seu lugar, verdadeiros cúmplices, obedientes e cordatos para servi-los e ajuda-los a roubar as riquezas destes países.
"IMPEACHMENT" POR ASSASSINATOS

SALVADOR ALLENDE DO CHILE - FOI ASSASSINADO POR PINOCHET, LACAIO DOS JUDEUS, DENTRO DO PALÁCIO DE GOVERNO
Os mesmos Judeus Sionistas derrubaram com GOLPE DE ESTADO Salvador Allende e o assassinaram, havia sido eleito com o voto popular, implantando no CHILE a mais sangrenta DITADURA  da América Latina com o sanguinário PINOCHET. 
JOHN KENNEDY DOS ESTADOS UNIDOS - FOI ASSASSINADO PORQUE QUERIA ACABAR COM A GUERRA DO VIETNÂ - QUE ERA A MAIOR FONTE DE RENDA DOS JUDEUS SIONISTAS FORNECEDORES DE ARMAS AO GOVERNO
Assassinato de John Fitzgerald Kennedy
NASSER DO EGITO - DISCORDAVA DA POLÍTICA COLONIALISTA DOS JUDEUS - FOI ASSASSINADO A EXEMPLO DE TANCREDO, COSTA E SILVA E JANGO COM A PISTOLA DE DARDOS DOS JUDEUS QUE SIMULA ATAQUE CARDIÍACO

JANGO DO BRASIL - QUERIA FAZER A REFORMA AGRÁRIA E NÃO ERA PRIVATISTA - POR ISSO FOI DERRUBADO PELOS JUDEUS QUE PATROCINARAM O GOLPE DE 1964 E POSTERIORMENTE ASSASSINADO COM A PISTOLA DE DARDOS DOS JUDEUS QUE SIMULA ATAQUE CARDÍACO 
HUGO CHAVEZ DA VENEZUELA - EXPULSOU OS JUDEUS DA ECONOMIA E ESTATIZOU O PETRÓLEO, MINERAÇÕES DE OURO E UNIVERSIDADES - DECLAROU SEU PAÍS DE "TERRA E HOMENS LIVRES" - FOI ASSASSINADO COM CÂNCER INDUZIDO, SEGUNDO SUAS PRÓPRIAS PALAVRAS, A EXEMPLO DE MITTERRAND DA FRANÇA - A PROPÓSITO, O CÂNCER INDUZIDO ACOMETEU TODOS OS LÍDERES ESQUERDISTAS DO CONTINENTE - LULA - DILMA - CRISTINA - FIDEL CASTRO, E TODOS AO MESMO TEMPO 
MITTERRAND DA FRANÇA O PRIMEIRO E ÚNICO SOCIALISTA NO GOVERNO FRANCES(Hollande é um falso socialista) - A EXEMPLO DE "DE GAULLE", sempre impediram que a inglaterra entrasse na "UE", porque com ela viriam os Judeus Sionistas e quebrariam a Europa e após sua morte foi o que aconteceu - A Europa Ocidental está quebrada. Foi assassinado com câncer induzido e por fim uma injeção letal ministrada por médicos judeus- "El ex presidente francés François Mitterrand, afectado por un cáncer durante más de 14 años, vio su "calvario aliviado" en enero de 1996 por una "inyección" por "vía intravenosa", afirman dos periodistas franceses en un libro publicado este martes.
ANUAR SADAT DO EGITO - DERROTOU ISRAEL EM 1973 - DESTRUIU A FORÇA AÉREA ISRAELENSE COM OS MÍSSEIS "SAM 6" E "SAM 7" RUSSOS E RETOMOU O CANAL DE SUEZ E A PENÍNSULA DO SINAI, VINGANDO ASSIM A DERROTA SOFRIDA EM 1966 - Foi assassinado em plena tribuna de honra, num atentado prepaparado pelos judeus.
GETULIO VARGAS DO BRASIL - OS JUDEUS QUERIAM PRIVATIZAÇÕES E GETÚLIO NÃO ADMITIA VENDER NENHUMA ESTATAL E PRINCIPALMENTE A PETROBRAS CRIADA POR ELE - FOI ASSASSINADO NUM SIMULACRO DE SUICÍDIO, APÓS FORTE CAMPANHA MIDIÁTICA JUDAICO SIONISTA - DA MESMA FORMA QUE HOJE, OS JUDEUS FAZEM COM A DILMA, E O MOTIVO É O MESMO - QUEREM ROUBAR A PETROBRAS
TANCREDO NEVES DO BRASIL - FOI ASSASSINADO ANTES DE TOMAR POSSE - OS JUDEUS JÁ SABIAM DE SUAS TENDENCIAS POLÍTICAS E QUE JAMAIS ABRIRIA O PAIS PARA PRIVATIZAÇÕES COMO AS QUE COLLOR E FHC PROMOVERAM - OS JUDEUS USARAM A PISTOLA DE DARDOS DE GELO ENVENENADO DA "CIA", QUE NÃO DEIXA VESTÍGIOS

MARECHAL COSTA E SILVA DO BRASIL - EDITOR DO "AI-5" - OS JUDEUS SE SENTIAM TRAÍDOS PELOS MILITARES, QUE APESAR TEREM TRAMADO O GOLPE DE 1964, OS MILITARES NÃO ACEITARAM QUE SE FIZESSEM PRIVATIZAÇÕES, OBJETIVO DOS JUDEUS,  QUE JAMAIS ABRIRIAM O PAIS PARA PRIVATIZAÇÕES COMO AS QUE COLLOR E FHC PROMOVERAM - OS JUDEUS O ASSASSINARAM COM A PISTOLA DE DARDOS DE GELO ENVENENADO DA "CIA", QUE NÃO DEIXA VESTÍGIOS


"IMPEACHMENT" POR "ACIDENTES AÉREOS"
OMAR TORRIJOS DO PANAMÁ - OS JUDEUS COLOCARAM UMA BOMBA EM SEU AVIÃO - NÃO QUERIAM ENTREGAR O CANAL DO PANAMÁ

EDUARDO CAMPOS DO BRASIL - "CIA" E "MOSSAD" DERRUBARAM SEU AVIÃO PARA BENEFICIAR "MARINA SILVA" QUE É "Cavalo de Troia Sionista", ela e seu partido são financiados pela Judia Sionista "NECA" dona do Banco ITAÚ.
Segundo o jornalista investigativo norte-americano Wayne Madsen publicou um texto em sua coluna no site da Fundação da Cultura Estratégica — afirmando que a CIA, serviço de inteligência e espionagem do governo dos EUA, seria responsável pela morte do candidato à Presidência da República Eduardo Campos. Segundo o autor, o “assassinato” teve motivações políticas. 
JOHN KENNEDY JUNIOR DOS ESTADOS UNIDOS - SERIA UM CANDIDATO IMBATÍVEL À PRESIDÊNCIA, E O LOOBY DOS JUDEUS SIONISTAS NÃO QUERIAM OUTRO KENNEDY NA CASA BRANCA -  FOI ASSASSINADO POR SABOTAGEM EM SEU AVIÃO - OS AVIÕES FABRICADOS PELOS JUDEUS SIONISTAS AMERICANOS JÁ SAEM DE FÁBRICA COM SISTEMA DE PANE INSTALADO

MARECHAL CASTELO BRANCO DO BRASIL - FOI O PRIMEIRO MILITAR A PRESIDIR O BRASIL PÓS 64 - OS JUDEUS SE SENTIAM TRAÍDOS PELOS MILITARES, QUE APESAR TEREM TRAMADO O GOLPE DE 1964, OS MILITARES NÃO ACEITARAM QUE SE FIZESSEM PRIVATIZAÇÕES, OBJETIVO DOS JUDEUS,  QUE JAMAIS ABRIRIAM O PAIS PARA PRIVATIZAÇÕES COMO AS QUE COLLOR E FHC PROMOVERAM - OS JUDEUS O ASSASSINARAM DERRUBANDO SEU AVIÃO COM UM MÍSSIL DE UM AVIÃO DA FAB, E DEPOIS ALEGARAM QUE FOI UMA TROMBADA AÉREA, ONDE SÓ UM AVIÃO CAIU, JUSTAMENTE O DE CASTELO O

"IMPEACHMENT" PELA "MÍDIA JUDAICO SIONISTA" COM FALSAS DENÚNCIAS


CRISTINA KIRCHNER DA ARGENTINA  - ELEITA POR VOTO POPULAR E SOFRE OPOSIÇÃO CERRADA PELA MÍDIA JUDAICO SIONISTA COM FALSAS DENÚNCIAS 
NICOLAS MADURO DA VENEZUELA - OPOSIÇÃO CERRADA PELA MÍDIA JUDAICO SIONISTA COM FALSAS DENÚNCIAS E ATENTADOS COM MERCENÁRIOS TERRORISTAS SIONISTAS CONTRA INSTALAÇÕES GOVERNAMENTAIS E TENTATIVAS DE ASSASSINATO 
DILMA ROUSSEF DO BRASIL - Desde 2003, as televisões, em especial a TV Globo; os maiores jornais, como oEstado de S.Paulo, a Folha de S.Paulo e O Globo; e as principais revistas, quais sejam a VejaIsto É e Época, se empenham em uma campanha sistemática para desmoralizar o Partido dos Trabalhadores e os partidos progressistas e para tentar "provar" a ineficiência, o descalabro e a corrupção dos governos do PT, inclusive de seus programas sociais - que retiraram da miséria e da pobreza 40 milhões de brasileiros.
Agora, com a ajuda de membros do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal, os meios de comunicação, tendo seu candidato perdido as eleições, tentam criar um clima político e de opinião que venha a derrubar ou imobilizar a Presidenta e, assim, anular a vontade da maioria do povo brasileiro.
Fazem isto divulgando dia a dia as declarações de delatores, criminosos confessos, e de procuradores, policiais e juízes que as "vazam", seletivamente, para os meios de comunicação, cometendo notória ilegalidade, e publicando notícias sobre o extraordinário descalabro e corrupção em que viveria o país.
EVO MORALES DA BOLÍVIA  - ELEITO POR VOTO POPULAR E SOFRE OPOSIÇÃO CERRADA PELA MÍDIA JUDAICO SIONISTA COM FALSAS DENÚNCIAS 
VLADIMIR PUTIN DA RÚSSIA - ELEITO POR VOTO POPULAR E SOFRE OPOSIÇÃO CERRADA PELA MÍDIA JUDAICO SIONISTA COM FALSAS DENÚNCIAS DE INVASÃO DA UCRÂNIA, SENDO QUE OS JUDEUS SIONISTAS É QUE INVADIRAM E DERRUBARAM O GOVERNANTE ELEITO DEMOCRÁTICAMENTE, IMPLANTANDO UM ESTADO POLICIAL E CORRUPTO E JÁ ASSASSINARAM MAIS DE 10 000 UCRANIANOS - OS JUDEUS PROMOVEM TAMBÉM SANÇÕES ECONOMICAS DESCABIDAS - COM INTUITO DE DESMORALISAREM SEU GOVERNO E TEVE O EFEITO CONTRÁRIO - A POPULARIDADE DE PUTIN NA RÚSSIA SUBIU DE 62% PARA 82% - E TEM AINDA A APROVAÇÃO DE 78% DOS AMERICANOS
ASSAD DA SÍRIA  - ELEITO POR VOTO POPULAR E SOFRE OPOSIÇÃO CERRADA PELA MÍDIA JUDAICO SIONISTA COM FALSAS DENÚNCIAS DE USAR ARMAS QUÍMICAS CONTRA A FALSA OPOSIÇÃO, SENDO QUE FORAM OS PRÓPRIOS ACUSADORES QUE USARAM ESTAS ARMAS, FATO COMPROVADO PELA ONU - A REALIDADE É QUE OS JUDEUS INVADIRAM A SÍRIA COM MERCENÁRIOS TERRORISTAS ALICIADOS NOS ESTADOS UNIDOS E EUROPA, MAS ESTÃO SENDO DERROTADOS E EXPULSOS COM A AJUDA DO HEZBOLA - CHINA - RÚSSIA E IRÃ
RAFAEL CORREA DO EQUADOR  - ELEITO POR VOTO POPULAR E SOFRE OPOSIÇÃO CERRADA PELA MÍDIA JUDAICO SIONISTA COM FALSAS DENÚNCIAS 

"IMPEACHMENT" POR "GOLPE DE ESTADO"


VICKTOR IANUKOVICH DA UCRÂNIA  - ELEITO POR VOTO POPULAR E SOFREU GOLPE DE ESTADO CAPITANEADO PELA MÍDIA JUDAICO SIONISTA APOIADA POR 5 000 MERCENÁRIOS TERRORISTAS DO JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL - SEU MAIOR CRIME FOI O DE NÃO SE ASSOCIAR À "UE", POIS A CONDIÇÃO PRIMEIRA ERA APROVAR O CASAMENTO DE VEADOS E DEPOIS PRIVATIZAR AS ESTATAIS 


"IMPEACHMENT" POR "INVASÃO MILITAR"


KADHAFI TEVE O PAIS INVADIDO, FOI ASSASSINADO COM SUA FAMÍLIA - PUTIN AFIRMA QUE ESTADOS UNIDOS TIVERAM PARTICIPAÇÃO NO ASSASSINATO 
SADAM HUSSEIN DO IRAQUE - OS JUDEUS SIONISTAS DOS ESTADOS UNIDOS INVADIRAM SEU PAÍS O DEPUSERAM E ENFORCARAM, SIMPLESMENTE PARA ROUBAR O PETRÓLEO IRAQUIANO QUE É UMA DAS MAIORES RESERVAS DO MUNDO
Desde 2003, as televisões, em especial a TV Globo; os maiores jornais, como oEstado de S.Paulo, a Folha de S.Paulo e O Globo; e as principais revistas, quais sejam a VejaIsto É e Época, se empenham em uma campanha sistemática para desmoralizar o Partido dos Trabalhadores e os partidos progressistas e para tentar "provar" a ineficiência, o descalabro e a corrupção dos governos do PT, inclusive de seus programas sociais - que retiraram da miséria e da pobreza 40 milhões de brasileiros.

Agora, com a ajuda de membros do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Federal, os meios de comunicação, tendo seu candidato perdido as eleições, tentam criar um clima político e de opinião que venha a derrubar ou imobilizar a Presidenta e, assim, anular a vontade da maioria do povo brasileiro.

Fazem isto divulgando dia a dia as declarações de delatores, criminosos confessos, e de procuradores, policiais e juízes que as "vazam", seletivamente, para os meios de comunicação, cometendo notória ilegalidade, e publicando notícias sobre o extraordinário descalabro e corrupção em que viveria o país.

Instabilidade política

Diante da instabilidade política gerada por esta campanha, a Presidenta Dilma, com o objetivo de conter as manobras golpistas (recontagem de votos, acusações de fraude, ameaças diversas, etc.) e de apaziguar o "mercado", anunciou um programa de austeridade, de equilíbrio orçamentário, de contração de gastos do Estado, de redução de investimentos, na esperança de conquistar a "confiança dos investidores", seu principal objetivo, e de "acalmar" seus opositores políticos.

É preciso notar que o "mercado" não é uma entidade da sociedade civil, mas sim, na realidade, um ínfimo grupo de multimilionários, investidores, especuladores e rentistas, e seus "funcionários", quais sejam os chamados economistas-chefe de bancos e fundos, os jornalistas e articulistas de economia, e seus associados no exterior.

Há economistas e jornalistas que são notável exceção a esta afirmação, mas são eles pequena minoria.
Quando foi apresentado o programa de ajuste, declarou-se, com ênfase, que ele não iria afetar as conquistas dos trabalhadores (a legislação sobre horário de trabalho, férias, aposentadoria, seguro desemprego etc.), nem os programas sociais, mas que iria ele equilibrar o orçamento através do contingenciamento, da contenção de despesas e do aumento de impostos, com o objetivo de fazer um superávit primário que permitisse pagar os juros da dívida pública e conquistar a "confiança do mercado, a confiança dos investidores".

Conquistar a "confiança dos investidores" significa fazer com que tomem a decisão de realizar investimentos (para obter lucros) e assim ampliar a capacidade instalada, gerar empregos, condição para a retomada do desenvolvimento.

A "confiança dos investidores", todavia, tem a ver com a expansão da demanda, pois só com essa expansão (sustentada) podem surgir oportunidades de investimentos lucrativos.

A construção de "confiança" e a realização de investimentos são improváveis em uma conjuntura em que se elevam os juros dos títulos públicos e das aplicações financeiras para torná-los os mais altos do mundo, o que atrai os capitais para o setor financeiro, especulativo ou rentista, e os afasta do setor produtivo e, portanto, dos investimentos.

Outros fatores que afetam negativamente a "confiança" dos investidores são a competição predatória e destrutiva das importações; taxas cambiais inadequadas; a redução dos investimentos públicos em infraestrutura; o aumento das taxas de juros dos financiamentos de longo prazo do BNDES; a redução da demanda e o aumento do desemprego (que alguns esperam poderia criar as condições políticas para um clima favorável ao impeachment) devido à redução da atividade econômica.

Há um mantra, repetido sem cessar, sobre competitividade e produtividade, entoado por muitas autoridades públicas, acadêmicos, jornalistas "especializados", economistas-chefe de consultoras, de empresas, de bancos, que são, na realidade, empregados do "mercado".

Segundo esses "especialistas", a solução dos problemas internos, isto é a retomada do crescimento, e o afastamento para longe da crise externa latente e cada vez mais ameaçadora, dependeriam não somente da "confiança dos investidores" nas também do aumento da produtividade (isto é, da produção por trabalhador) e do aumento da competitividade das empresas brasileiras diante das chinesas, americanas e europeias, e da redução do "Custo Brasil".

No caso da produtividade, alguns afirmam que seu aumento resultaria de um grande investimento sustentado em educação, como teriam, segundo argumentam, feito os países desenvolvidos, tais como os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e a Coréia e que teria sido, segundo eles, uma razão importante, e talvez a principal, para explicar o seu desenvolvimento.

Educação primária geral

Os paladinos da educação defendem a educação primária geral, a atenção especial à primeira infância, a inclusão de todas as crianças e jovens (e os adultos?) no sistema. Não se fala muito na preparação de professores nem no horário integral nem nos efeitos, negativos, da televisão e da internet sobre o sistema de ensino em seu cerne, que é o tempo dedicado aos estudos pelos jovens. Pode-se perguntar quando estes brasileiros, hoje infantes e jovens, entrariam no mercado de trabalho para tornar a mão de obra mais produtiva e o Brasil mais competitivo: daqui a 10 anos? Daqui a 15? E até lá?

Outros argumentam que os "custos do trabalho" (parte do "Custo Brasil") seriam muito elevados (em comparação com os "custos" em que países? Na China? Nos Estados Unidos? Na Alemanha?) e que, portanto, seria necessário reduzir esses "custos", impedindo aumentos "artificiais" do salário mínimo (já que não haveria escassez de mão de obra), reduzindo os benefícios da legislação trabalhista, estimulando a rotatividade da mão de obra, etc.

Quanto ao "Custo Brasil", argumentam com os altos custos de transporte e de energia, com a carga tributária elevada, com a multiplicidade de impostos, com a burocracia "infernal".

Reclamam, também, da intervenção "excessiva" do Estado (empresas estatais e regulamentação) e pedem, ainda que até agora apenas insinuem, a privatização dessas empresas e a "desburocratização", isto é, menos lei e mais liberdade para o capital.


Segundo os defensores do programa de austeridade, em decorrência do aumento da produtividade interna, a competitividade internacional seria alcançada, com todas as suas vantagens, tais como um superávit comercial estável, a diversificação dos mercados e o aumento das exportações de manufaturados.

Assim, a crise atual seria superada. Todavia, a verdade é outra.

Crise atual em parte verdadeira...

A crise atual, em parte verdadeira e em parte fabricada, decorre da revolta conservadora devido ao fato de a Presidenta Dilma ter cometido dois "pecados mortais" à luz dos interesses do "mercado", isto é, daqueles indivíduos beneficiários da concentração de riqueza, de renda e de poder político no Brasil, que são os grandes multimilionários, os latifundiários rurais e urbanos, os rentistas, os banqueiros, e seus representantes na mídia, no Congresso, no Judiciário.

O primeiro "pecado" foi a política de redução, ainda que temporária, das taxas de juros; o segundo "pecado" foi o apoio, ainda que tímido, à democratização dos meios de comunicação.

O sistema financeiro e bancário é o principal instrumento de concentração de riqueza no Brasil. Ao reduzir as taxas de juros dos bancos públicos e ao forçar a redução dos juros dos bancos privados (que foi logo compensada pelo aumento das "taxas" de administração) a Presidenta diminuiu a transferência de riqueza da sociedade e do Estado para os bancos privados, seus acionistas e os detentores de títulos públicos. A Presidenta atingiu o cerne do mecanismo de concentração do sistema econômico e provocou a ira dos setores conservadores que hoje pedem a privatização dos bancos públicos.

O sistema de comunicações no Brasil é o instrumento das classes dominantes para construir o imaginário do povo, para manipular as informações e para justificar o sistema econômico e social vigente e desmoralizar aqueles que lutam por mais igualdade, mais liberdade, mais fraternidade e pelos direitos das minorias, em um contexto de desenvolvimento.

A concentração do poder midiático "condena" os que ele acusa ao difundir e repetir incansavelmente "informações" antes de julgamentos e transformou o mensalão em julgamento prévio contra o qual não soube resistir o STF ao aceitar a conduta imprópria de seu Presidente da época e a campanha de imprensa.

O mesmo ocorre com a operação Lava Jato. Não há nenhuma iniciativa do Poder Judiciário para impedir a formação de uma opinião pública contra os acusados, gerada pelas denúncias, sem provas, feitas por criminosos confessos que denunciam a torto e a direito quando, no caso dos procedimentos de delação premiada, as investigações deveriam ser feitas sob o maior sigilo, já que se trata de denúncias feitas por criminosos em busca de vantagens pessoais. A mídia transformou o pedido da Procuradoria Geral da República de investigar determinados indivíduos em prova de sua culpa. Aqueles indivíduos, políticos ou não, que vierem a ser investigados e julgados culpados devem ser punidos com rigor, mas a imprensa não pode substituir o Poder Judiciário nem constrânge-lo, por motivos puramente políticos.

Ao ameaçar aqueles dois fundamentos da ordem conservadora, o sistema financeiro e a mídia, a Presidenta Dilma se tornou "culpada" e a oposição insiste, ainda veladamente, em que deve ser punida pela destituição do cargo por um processo de impeachment.

Seria importante que o Governo compreendesse que o que está de fato ocorrendo é uma manobra política cujos objetivos são pela ordem:
- fazer o Governo adotar o programa econômico e social do "mercado", isto é, da minoria multimilionária e de seus "associados" externos;
- ocupar os cargos da administração pública (Ministérios, Secretarias executivas, agências reguladoras) com representantes do "mercado";
- enfraquecer política e economicamente o Governo;
- enfraquecer o PT e os partidos progressistas com vistas a 2018;
- aprovar leis de interesse do "mercado";
- e, se nada disso ocorrer, fazer o Governo "sangrar" e aí, então, se necessário e possível, exigir o impeachment da Presidenta.

Contra esta enorme e múltipla ofensiva econômica, midiática e política do "mercado", de seus "funcionários" e representantes somente há uma estratégia possível: a ação política intensa junto aos movimentos populares, junto às organizações da sociedade civil, junto ao Congresso, junto à Administração Pública e aos Governadores, enfim, a mobilização da sociedade pelo seu esclarecimento para a defesa da democracia em toda sua integridade.

É indispensável que, na distribuição de suas verbas de publicidade, o Governo leve em consideração a existência de televisões comunitárias, universitárias, educativas, de rádios comunitárias, de blogs e sites, e dos pequenos e médios jornais e emissoras regionais e deixe de concentrar a distribuição de verbas e anúncios apenas na grande mídia, o que fortalece os oligolipólios que atuam de forma ostensivamente partidária e contra a maioria do povo, estimulando antagonismos violentos e radicalizando a sociedade.

As manifestações populares contra o Governo e contra a Presidenta Dilma têm reunido cidadãos que, em sua maioria, votaram contra a reeleição da Presidenta em 2014.

Hoje, insuflados pela mídia e por organizações de identificação e origem nebulosa, através das redes sociais, inconformados com a derrota e a pretexto da denúncia de corrupção, iniciam o processo político de "Fora Dilma", que é, de fato, uma campanha pró-impeachment. 


O impeachment é o golpe de Estado do "mercado". Aqueles que defendem hoje o impeachment e criam o clima de instabilidade e de radicalização são os mesmos golpistas históricos de 1954 e de 1964: as classes privilegiadas que temem o progresso e os resultados da democracia e não os aceitam, apesar de ter o Brasil uma concentração de renda que se encontra entre as dez piores do mundo, enquanto seu PIB é um dos dez maiores do mundo, e de ser urgente deter o processo de concentração de renda (que a crise acentua) para que seja possível construir uma sociedade mais justa, mais democrática, mais próspera, mais estável.

Para que este objetivo possa ser alcançado, é preciso que a sociedade brasileira não se submeta à ditadura do "mercado", cujos integrantes têm sido os grandes beneficiários da crise, que se iniciou em 2008 e não apresenta sinais sólidos de fim. 
7/4/2015, Samuel Pinheiro Guimarães, Carta Maiorhttp://cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Impeachment-golpe-de-Estado-e-ditadura-de-u21Cmercado-u21D%0a/4/33218




sábado, 14 de dezembro de 2013


AS VEIAS ABERTAS DA AMÉRICA LATINA - "STF" DE INJUSTIÇAS - HONDURAS

JUDEUS SIONISTAS E SEUS CAVALOS DE TRÓIA SIONISTAS, PRATICAM  TORTURA E ASSASSINATOS EM HONDURAS

ome  »  Não foi notícia: manifestações em Honduras contra o governo golpista

Não foi notícia: manifestações em Honduras contra o governo golpista

TEGUCIGALPA / 27-01-2011
Dezenas de milhares de hondurenhos se mobilizaram hoje nas ruas de Tegucigalpa e outras cidades para exigir um fim ao exílio do Presidente deposto Manuel Zelaya e de outros duzentos compatriotas. Estes foram forçados a fugir do país depois do Golpe de Estado Militar em 28 de junho de 2009 ou para salvar-se durante estes 19 meses de guerra suja e da caça às bruxas contra o movimento popular hondurenho.

zelaya expulsado del congreso hondureno a palos

Faz exatamente um ano, depois de quatro meses de reclusão, o deposto Presidente Zelaya deixou a embaixada do Brasil e acompanhado pelo Presidente Leonel Fernández da República Dominicana, saiu para um exílio forçado que hoje completa um ano.
Havia entrado clandestinamente pela fronteira de um dos três países vizinhos com a ajuda internacional dos povos da América Central. Regressou à pátria por Morazán (departamento de El Salvador) no dia do seu aniversário e entrou na embaixada do Brasil na manhã do dia 21 de setembro de 2009.
Tentativa frustrada de insurreição
Haviam passado dois meses e três semanas do golpe de Estado e a incerteza da direção da ditadura militar-cívica era grande. O que sabemos é que o plano de Zelaya teve várias etapas: O retorno do presidente eleito pelo povo de Honduras foi o primeiro, seguido de uma greve geral convocada por três sindicatos de trabalhadores, culminando em uma revolta popular que iria forçar um retorno ao quartéis militares ou de ser derrubado pelo povo .
Líderes da resistência argumentam que o regime estava disposta a afogar o país em sangue e lidar com as pessoas com todo o seu poder militar. A resistência não teve os meios para derrubar o regime. Nas favelas e comunidades em Tegucigalpa, o povo se rebelou contra o toque de recolher por tempo indeterminado e também assumiu o controle de várias delegacias.
Após 38 horas, o ?regime de fato? levantou o toque de recolher, abalada pela fúria e a força popular desarmada, mas não pôde ser controlado pelos militares. Era preferível ter a Resitência manifestando-se nas ruas uma vez que o povo se organizara e onde estavam as massas hondurenhas, nas favelas e comunidades onde era praticamente impossível para as Forças Armadas manter o controle em um prazo largo

A ADVERTÊNCIA DE LULA PARA OS GOLPISTAS
La policia hondurena desaloja del Parlamento al ex presidente Manuel Zelaya. Foto: Reuters

Zelaya foi um ?Hóspede honorário? de Lula na embaixada e o mesmo Lula, ante as ameaças de um assalto militar na embaixada, advertia a cúpula militar-cívica do general Romeo Vázquez e ao autoelegido ?presidente? Roberto Micheletti de não mensar em tocar em seu amigo Manuel Zelaya ou a delegação diplomática.

Mas os quatro meses de reclusão foi uma tortura psicológica e também física contra as pessoas na embaixada. Foram utilizados diferentes tipos de tortura como sons penetrantes, dia e noite. Marchas na madrugada das tropas militares como aviso de um assalto em questão de segundos ou agentes da inteligência militar que interceptavam todo tipo de comunicação de celular ou correios eletrônicos, as entradas e saídas de pessoas que se encontravam dentro da embaixada, foram bem testemunhados. Os militares ou seus agentes introduziram nos tubos de esgoto químicos que teve efeito nos integrantes da embaixada, que a princípio eram mais de 60 pessoas, fazendo-os vomitar. Os militares deixavam os cachorros farejar a comida antes que pudessem passar pelos postos de controle que rodeavam toda a embaixada do Brasil em Tegucigalpa.

Em 27 de janeiro de 2010, Manuel Zelaya deixou a embaixada do Brasil com seus familiares abordo do avião presidencial da República Dominicana que o levou a um exílio forçado e que já cumpriu um ano
O POVO HONDURENHO DISSE: ?ATÉ LOGO, PRESIDENTE!?
Esse dia, foram preenchidas as ruas entre a Universidade Pedagógica e ai aeroporto internacional Toncontin. Entre 300.000-400.000 hondurenhos foram dizer um ?ATÉ LOGO, PRESIDENTE!? enquanto o senhor Porfirio Lobo foi juramentado e assumiu a presidência depois de umas eleições que a Resistência caracterizou de ?espúria? em 29 de novembro de 2009. O que é certo é que o Estadio Nacional, onde há espaço para 35 mil pessoas, só haviam apenas 30 mil, incluídos os militares e policiais. Era como um medidor da correlação de forças entre o povo nas ruas e a elite política, econoômica e militar no Estadio Nacional.



A mobilização hoje, em 27 de janeiro de 2011, confirma que o povo apesar dos assassinatos, guerra suja, caça Às bruxas contra nós na mídia só pelo direito de transmitir a realidade e a verdade do que diz um cidadão hondurenho comum, porque, apesar disso, o povo de Honduras esteve nas ruas para relembrar que ?estamos com o presidente e os companheiros exilados?, como diziam os manifestantes na mobilização.
La policia hondurena desaloja del Parlamento al ex presidente Manuel Zelaya. Foto: Reuters
TAMBÉM VÃO CAIR
Suyapa Valladares é uma dessas milhares de mulheres vendedoras ambulantes que buscam a sobrevivência como seja, mas sempre de forma honesta, trabalhando embaixo do Sol ardente que mancha a pele irreversivelmente vendendo caramelos, chicletes e doces como tantos outros do setor informal. Sabem em carne e osso quem é o amigo e quem é o inimigo. E para a combativa mulher da Resistência que nunca falha quando há mobilização, não há dúvida a quem admira:
? Temos lágrimas em nossos olhos pela ausência do Presidente. Mas de qualquer maneira, porque isto faz parte de nossa vitória. Saudações para nosso Comandante Mel Zelaya e a próxima presidenta de Honduras, Xiomara Castro de Zelaya, diz Suyapa que carinhosamente a chamam de ?Madona?, magra mas com um espírito incrível e vontade de combater aos inimigos do povo.
? Olhe Presidente, este é o seu povo, a este os golpistas tem medo! Mas também vão cair!
Com o tempo, o movimento que se fundou nesse dia trágico, 28 de junho de 2009 em uma ?Pupusería La Cabaña? (comida salvadorenha) frente a Casa Presidencial, virou um pesadelo para o Poder de Fato que o presidente deposto acusa de ser os verdadeiros autores intelectuais do Golpe de Estado em Honduras em aliança com a extrema direita republicana dos Estados unidos. A Frente Nacional de Resistência Contra o Golpe de Estado não se cansou nem se esgotou com os meses a fio, se fortaleceu e começou a dar estruturas orgânicas que no próximo 26 de fevereiro será materializado em seu primeiro Congresso Nacional com quase 600 delegados eleitos desde as bases municipais da Frente de Resistência Popular, como agora é chamado o pesadelo da oligarquia hondurenha.


manuel zelaya
VAMOS MATÁ-LOS DE UM POR UM?!
Mas durante estes já 19 meses, caíram muitos mártires e entre eles Walter Troches. Era um jovem de somente 26 anos quando foi assassinado. Foi primeiramente terrivelmente golpeado em julho de 2009 pelos militares, sequestrado e torturado em 4 de dezembro do mesmo ano, mas conseguiu escapar de seus carrascos para ser assassinado dez dias depois. Era líder da Resistência e passou clandestinamente para a fronteira entre Honduras e Nicaragua em 25 de julho de 2009, o dia que Mel Zelaya não pode ingressar em Honduras no posto fronteiriço entre os dois países mencionados sem ser preso pelo coronel do exército hondurenho. Troches era secretário-general da associação de hondurenhos com HIV e por isso teve que enfrentar uma dupla guerra dos setores fascistas e homofógibos mais obscuros de Honduras.

entenares de militantes y simpatizantes del Frente Nacional de Resistencia Popular (FNRP) y del partido Libertad y Refundación (LIBRE) colmaron este sábado la Plaza Francisco Morazán para conmemorar 5 años del fatídico golpe de Estado que rompió el orden constitucional en Honduras el 28 de junio de 2009. Foto: AP (Archivo).


E entre os milhares de hondurenhos que se mobilizam estes dias, vemos uma grande seY entre los miles de hondureños que se movilizan este día vemos una grande seção dos integrantes do grupo LGTB, lésbicas, gay, trans e bissexuais. A semana passada este grupo entregou um relatório que indicava a morte de 37 seres humanos do grupo LGTB desde 28 de junho de 2009, são centenas de crimes executados contra as pessoas deste grupo e todos ficaram impunes. Mas a Resistência e a luta do povo hondurenho tem espaço porque ser homossexual não é uma enfermidade, mas a homofobia sim, disse José Zambrano, secretário-geral da associação APUMIVEH:
? A situação é cada dia mais deplorável. ontem uma pessoa no Parque Central disse a um companheiro que anda agora conosco, que ?A vocês vamos matá-los um por um!?. É esse tipo de ameça que recebemos. E agora não são 37 companheiros assassinados, são 39. Nenhum dos casos foram resolvidos. No caso de Walter, não há se quer um relatório de fiscalização dos direitos humanos.
?A FRENTE DE RESISTÊNCIA DAS MENINAS E MENINOS ESTÁ PRESENTE?
Oscar Montesinos é também uma dessas crianças, bastante jovem, só 11 anos, que desde o Golpe de Estado está nas atividades convocadas pela Resistência. O domingo passado foram constituídos a ?Frente de Resistência das Meninas e Meninos?, mas Oscar não pode participar por estar promovendo seu segundo livro. O primeiro se chama ?Lápis em Resistência?. El primero se llama ?Lápis em Resistência?.


Marcha en Honduras por sexto aniversario de golpe de Estado a Zelaya
Estive no ano passado quando o Zelaya se foi. Mas no há que dizer ?ex presidente? porque não terminou seu mandato, me corrige este jovem ?combatente? com o Che Guevara bordado em seu chapéu que deve dar pesadelo aos golpistas, que acreditam que a Resistência está lavando o cérebro dos meninos e meninas, formando novos ?Che Guevaras? hondurenhos.
? Um ano atrás, o companheiro Zelaya mandou aos seus Avós (Yolanda e Denise), John Baker e seu servidor (ou seja, Oscar) a faixa presidencial e está atualmente cumprindo um ano, quando eles me deram, diz com orgulho em sua voz quando relembra o momento histórico.
Foi lá na Praça Murillo, Isis Obed, de 19 anos foi morto por atiradores de elite do exército, escondidos nos morros da base da Força Aérea em 05 de julho de 2009, quando Zelaya fez uma tentativa para pousar em um avião venezuelano que era esperado por meio milhão de hondurenhos, que tinham cercado o aeroporto. Isis morreu, mas não foi esquecido pelo povo de Honduras, que deu seu nome ao lugar onde morreu a primeira vítima do Golpe de Estado.
Todos os lucros do primeiro livro, ?Lápis de Resistência?é para crianças que ficaram órfãos após seus pais ou mães foram mortos pelo Golpe de Estado. E eles são muitos.

HondurasA REBELIÃO NAS FAVELAS E COMUNIDADES


Jesus Antonio Chávez representa a organização ?Moradores em Resistência?, que tem sua principal base política e social nas favelas de Tegucigalpa. Ele é um veterano na luta do povo hondurenho. Esteve na década obscura de 80, quando o homem forte de Honduras era o embaixador dos EUA, John Negroponte. Era o ?Homem Aranha? na guerra contrainsurgente em El Salvador e a Guerra de Alta Intensidade contra o governo Sandinista. Honduras foi convertido em um porta avião fixo de onde saíram as operações de morte aos povos irmãos vizinhos.
? Trabalhamos nas favelas com os meninos, jovens e mulheres. Trabajamos en los barrios con los niños, jóvenes y mujeres. Nascemos na luta popular e é um movimento político e social, integrante da Frente e estamos para tomar o poder. Estamos executando os objetivos da Frente que é a organização, formação política, mobilização e ?empoderamento? das favelas e comunidades.
Sostiene é a favela onde há uma verdadeira consciência que transita pela libertação nacional hondurenha e a tomada de poder..
? É nas favelas onde estão a grande concentração de gente que apóia a Frente. É nas favelas onde se concentra também a maior injustiça que o sistema capitalista e seu modelo neoliberal está gerando. Mas também é onde se luta e onde, com a Frente, estão criando as condições concretas e objetivas para que as favelas se rebelem massivamente, conclui Chávez.

Manuel Zelaya. Foto: Archivo."STF"HONDURENHO - RENOMEADO - CORTE SUPREMA DE INJUSTIÇAS?


Chegamos ao que os campesinos rebatizaram de ?Corte Suprema de InJustiça?. Fazem duas semanas que esta corte revogou um decreto, 18-2008, que dava títulos de propriedade a 100.000 famílias campesinas que haviam trabalhado nas terras há 30-40 anos sem ter o direito aos títulos. Mas o Presidente Zelaya deu aos campesinos seus títulos, aplicando assim o velho lema ?a terra é de quem trabalha?. Mas a Corte revogou o decreto em uma canetada, dizendo que era inconstitucional.
Lá está o mestre Francisco Ordóñez, dando verdaderas aulas sobre a Constituição e democracia a um muro de policiais atrás das grades da Corte que olham e escutam silenciosamente seus milhares de compatriotas que critam ?Corte Assassina?. Foi esta mesma Corte que aprovou judicialmente o Golpe de Estado em 28 de junho, diz a Resistência. A corte também despediu vários juízes e fiscais por não aceitarem o Golpe de Estado, feito que resultou em uma greve de fome de 4 juízes por mais de 45 dias.

ACABANDO COM ESTATUTOS DE DOSCENTES E PRIVATIZANDO A EDUCAÇÃO PÚBLICA
Topamos com Edgardo Casaña, presidente nacional de COPRUMH, de um dos seis colégios magisteriais que neste momento estão em luta de vida ou morte para salvar os Estatutos de Docente que o Congresso Nacional em uma canetada só eliminou uns dias antes do ano novo. Casaña é também o secretário do Executivo Nacional da Frente de Resistência Popular.
? Os Estatutos de Docente é a via legal que sustentou a possibilidade da educação ser pública. Se o Estado se desfaz da obrigação de seguir pagando os gastos com educação, o Estado vira um simples escritório administrativo, vão ser os pais de família que pagarão os salários dos professores, aniquilando os pobres, pagando preços acima de 15 dólares por livro. Vai ser um peso descomunal. Este decreto orgena que o Centro Educativo tem que pagar a luz, água e impostos. Eles chamam de ?descentralização?, mas é privatização.
Diz Casaña que o magistério em toda Honduras está encabeçando a luta e as mobilizações junto com os pais de família. Por outro lado, o Movimento Campesino Organizado tomou as estradas estratégicas de ponto de vista econômico para a exportação em toda a costa norte, batendo onde dói mais ao Poder de Fato; o bolso. Em seu comunidade, os campesinos dizem que hoje está executando a luta através de uma aliança estratégica entre campesinos, trabalhadores e professores, porque os 60.000 professores é a força vertebral da Resistência Popular que o regime quer derrotar através da ?Municipalização da Educação?.

?PROTEGER A UNIDADE DA FRENTE?
? Neste sentido, o Magistério está somado e unido. Repetimos: O espaço onde coincidamos todos é na Frente Nacional de Resistência Popular. Por isso dizemos; Não devemos, apesar de distintas posturas ou manifestações que existam no interior da Frente, não podemos acabar com nenhum ponto, quebrar a Frente! A Frente é a razão de ser de todas as conjunções, de todas as unidades, de todas as distintas e problemáticas e de distintas formas de pensar o interior dela. Construiremos a Constituinte, seguiremos lutando pela Constituinte! Discutiremos o tema de lançarmos o cenário político, falaremos, isso permitirá mantermos unidos. Não podemos afligir os companheiros da Frente Ampla ou de movimentos e ficarmos divididos. Aqui está o inimigo, a Corte Suprema de Justiça ou o Congresso Nacional, a oligarquia e as diferentes frentes obscuras deste país

A CARTA DE ZELAYA AO POVO DE HONDURAS
Em uma carta ao povo de Honduras sobre o primeiro ano de exílio forçado e o primeiro ano de governo do senhor Porfirio Lobo, Manuel Zelaya analisa a situação econômica, política e social do povo e recomenda seguir na luta para refundar a nação. Honduras virou um dos 3 Estados mais violentos do mundo onde assassinam 16 hondurenhos por dia ou 78,6 hondurenhos para cada 100.000 habitante que nem a Colômbia em sua pior época se registrou estes números.
Zelaya, que durante o exílio evoluiu politicamente e que hoje se declara um não liberal e sim um ?antiimperialista prosocialista?, termina sua carta com um chamamento:
?Chamamos novamente o povo a ser a vanguarda na luta e ao governo reconsiderar suas posturas, a terminar com a perseguição política e a repressão massiva e seleta da resistência, a devolver aos professores suas conquistas, aos campesinos o direito a terra, e aos trabalhadores seus salários, como passo fundamental para iniciar o processo de restauração democrática do país?.

CARTA AO POVO HONDURENHO PELO PRIMEIRO ANIVERSÁRIO DO GOVERNO DE PORFIRIO LOBO SOSA
Santo Domingo 27 de janeiro de 2011
O balanço do governo de Porfirio Lobo Sosa, um ano depois do meu exílio forçado e ilegal, apresenta resultados desalentadores e negativos. Ante a envergadura desta crise é um dever ineludível de todos os hondurenhos propor soluções reais e honestas, já que ao longo destes 12meses, a tendência do governo com as suas ações tem sido piorar a situação sócio-econômica e política do país.
Os acontecimentos que afetam a vida nacional são graves e entendidos em sua correta dimensão são o resultado da ausência absoluta de sensibilidade ante o sofrimento indizível das maiorias do povo; operários, camponeses, professores e trabalhadores, enquanto os que geraram o conflito continuam constituindo o poder real do país.
O desempenho econômico do país tem sido negativo, com todos os indicadores básicos em queda, endividamento, aumento do preço da cesta básica, combustíveis, energia elétrica, e com uma insegurança jurídica e crimes que têm convertido Honduras a um dos três países mais violentos do mundo. Os prognósticos de melhoras são muito reservados para o 2011. Sete de cada dez famílias no país vivem sob a linha da pobreza, e a situação parece piorar pelo pobre desempenho do investimento público e o comportamento de elevação dos preços nos mercados internacionais, especialmente alimentos e carburantes.
A situação no exterior é contraditória, o reintegro de Honduras à Organização de Estados Americanos (OEA), de onde foi suspendida em função do Golpe não tem podido consumar-se. As demandas colocadas pela comunidade latino-americana têm sido iludidas e ignoradas com aleivosia pelo governo do Porfirio Lobo. Este é considerado em todo o continente como um claro fracasso durante este ano de sua administração.
Povo hondurenho: a disposição do governo por alcançar uma reconciliação nacional, é impossível de valorar, já que o discurso conciliador de Porfirio Lobo Sossa, contrasta com a política de perseguição e repressão contra o povo em resistência, e ainda não se formaliza o reconhecimento da Frente Nacional de Resistência como a oposição autêntica no país.
A política agrária do governo, caracterizada pela dualidade, é uma séria ameaça à estabilidade e possibilidade de paz no campo. A falta de controle sobre grupos paramilitares privados, responsáveis de 90% das violações aos Direitos Humanos, desencadeiam mais tragédias especialmente massacres urbanos e no agro nacional.
Condenamos com vigor, todas as ações que suprimem as conquistas históricas dos professors e os operários.
O governo de Porfirio Lobo Sosa tem ignorado nossos repetidos chamados à reconciliação e a terminar com a impunidade e os privilégios da classe dominante e prefere que os entes administradores de justice sigam manipulando a jurisprudência, e mantenham a perseguição política na minha contra, apesar da condena mundial e o repúdio popular contra estes.
Devemos reconhecer no balanço legislativo, as reformas ao artigo 5 constitucional, que constituem uma resposta correta na direção das aspirações do povo; não assim as concessões para desmembrar o território nacional em cidades estado.
Ante estas circunstâncias, chamamos novamente ao povo para ser vanguarda na luta e ao governo a reconsiderar suas posturas, a terminar com a perseguição política, e a repressão maciça e seletiva, da resistência, a devolver aos professores suas conquistas, aos camponeses seu direito à terra e aos operários seu salário, como passo fundamental para iniciar o processo de restauração democrática do país.
*Presidente ConstitucionalTeiaLivre

JUDEUS QUEREM DERRUBAR A DILMA PARA ROUBAR A PETROBRAS, O BANCO DO BRASIL, A CEF, OS CORREIOS E O BANCO CENTRAL


Os JUDEUS se escondem matreiramente e desvirtuam falsamente a própria história através dos tempos, mas alguém chamado – H. G. WELLS, que é o maior historiador científico inglês, conseguiu identifica-los e escreveu algo sobre o maior feito dos judeus na antiguidade – “Eram uma horda de vagabundos que vagavam pelo deserto assaltando as caravanas” – Hoje assaltam nações. E o nome JUDEU, é um adjetivo correlato, pois além de assaltar as caravanas, "judiavam" e matavam seus componentes, com requintes de crueldade.



A estória da PETROBRAS contada pela falsa “Imprensa Livre” Judaico Sionista, é como a “Estória do Tarzan contada pela mãe do Jacaré”- é tudo invertido, pois quem plantou o esquema na ESTATAL foram os “Judeus Sionistas”, ainda no período de “FHC”, que sobreviveu graças à ganancia e ignorância de alguns políticos, mas com certeza os dados são SUPERESTIMADOS, e o objetivo é derrubar o governo Dilma e se apoderar da empresa

Os Judeus Sionistas entrincheirados atrás da falsa “Imprensa Livre”, é o Venenos Mundial da Informação, os  Cegos os Surdos, os Insensíveis e os Idiotas e Ignorantes que acreditam nela, são levados à sua própria destruição, como se estivessem sendo salvos.

Resultado de imagem para FUNDADOR DA PETROBRAS
FUNDADOR E PRIMEIRA VÍTIMA DA PETROBRAS - ASSASSINADO PELOS JUDEUS SIONISTAS EM 1954, POIS NÃO PRIVATIZAVA NADA E MUITO MENOS A PETROBRAS
O Manuseio deformado da informação real, gera benefícios aos interesses de grupos privilegiados(JUDEUS SIONISTAS), tem um impacto negativo sobre política, economia, sociedade, conhecimento e ao meio ambiente, com consequências imprevisíveis, como o caso da PETROBRAS, perseguida desde os tempos de   Getúlio Vargas, que foi perseguido, crucificado e “assassinado” pelos Judeus Sionistas da falsa “Imprensa Livre”.


Resultado de imagem para FOTOS DE CASTELO BRANCO PRESIDENTE

Com o GOLPE DE 1964, e militares cooptados, os Judeus Sionistas pensaram que se apoderariam das estatais brasileiras, LEDO ENGANO, os militares após estarem no poder, PATRIOTAS QUE SÃO, não cederam a PETROBRAS e nem uma única outra estatal das 500 que criaram, aos JUDEUS SIONISTAS que, reagiram com o assassinato de dois MARECHAIS (Castelo Branco morto em atentado aéreo a exemplo de Eduardo Campos e Costa e Silva)  e infernizaram através de sua falsa “Imprensa Livre” a vida de 3 GENERAIS Presidentes (Médici, Geizel e Figueiredo).

Após a saida dos militares e com os FAMIGERADOS E VENDIDOS “Collor”, Itamar  e “FHC” conseguiram se apoderar das mais importantes estatais do país, menos a PETROBRAS – BANCO DO BRASIL – CEF –CORREIOS E BANCO CENTRAL.

Lula e Dilma estancaram o roubo de estatais apelidado de “PRIVATIZAÇÃO”.

E os Judeus Sionistas recomeçaram os ataques midiáticos em massa (GLOBO – SBT – ÉPOCA ´- VEJA – ISTO É – CORREIO BRASILIENSE – FOLHA E ESTADO DE SÃO PAULO, para tentar derrubar a recém eleita Dulma, e o objetivo é o mesmo – se apoderar da maior Petroleira do Mundo Ocidental, Banco Central, Banco do Brasil, Correios e CEF.

Os acontecimentos históricos, processos sociais, guerras, revoluções, catástrofes humanitárias e ambientais, a morte, o curso da própria vida e, em geral, qualquer evento que possa gerar conhecimento para soluções reais, são tratados no mesmo "saco" como "notícias" sujeitos a censura desta indústria infame, citando aqui o caso do assassinato de Eduardo Campos, o único que teria condições de substituir a Dilma, e com sua eliminação tentaram emplacar, sem sucesso, a Maquiavélica e vendida MARINA SILVA, pois ela mesma declarou que entregaria a PETROBRAS AOS JUDEUS SIONISTAS, e também entregaria o BANCO CENTRAL ao BANCO JUDAICO SIONISTA – ITAÚ, POIS A Neca (JUDIA SIONISTA) é dona do ITAÚ e do “PSB” (FALSO PARTIDO SOCIALISTA – É O PARTIDO DOS JUDEUS SIONISTAS).

Marina naufragada sobrou o toxicomano Aécio Neves, que seria a mesma coisa que Marina, este naufragou também, inclusive em seu próprio estado – MINAS GERAIS. .

O foco desta indústria Judaico Sionista informativa denominada "imprensa livre" com o seu negócio e sua maior fonte de receita é a censura e a mentira, eles compram, produzem e vendem.

A imprensa livre Judaico Sionista marginaliza o próprio conhecimento da humanidade dos fatos que acontecem no mundo realmente, a censura dos pobres, desastres obscuros que os ricos e poderosos (JUDEUS SIONISTAS) causam com sua ambição e, em troca publicam calúnias em sua atividade sociail, o falso socialismo, o falso ambientalismo, os falsos revolucionários e os falsos manifestantes(BLACK BLOK).

A falsa Imprensa Livre Judaico Sionista é cúmplice de crimes contra a humanidade, para esconder e disfarçar como "excesso" e "maus tratos" da tortura e genocídio praticados pelas  potências ocidentais diáriamente (Estados Unidos, Inglaterra, Israel, Framça, Canadá e Austrália  ...).


طريق القدس ليست على جثث اطفال دوما ... شكرا ملالي #طهران

Os Judeus Sionistas proprietários da livre imprensa, são incapazes de esconder a realidade monstruosa do problema árabe - Israel para seu tamanho, justificado sob todos os pontos de vista dos abusos e crimes contra a humanidade cometidos durante décadas, o Estado de Israel atua contra o povo palestino. Adjetivam os povos árabes, dizendo que eles são apenas "bárbaros".
Imagem divulgada por membros do EIIL, sobre atuação em território iraquiano, onde o instigar das tensões sectárias, com apoio estrangeiro e imperialista, leva o país à beira da fragmentação.

A imprensa livre esconde o genocídio perpetrado diariamente com suas forças invasoras no Iraque contra a população de mulheres, crianças e velhos desarmados, morrendo de fome, aterrorizados e tristes que choram por seus mortos.


Na África não deixam por menos, os Judeus Sionistas estão assassinando boas porções de comunidades africanas onde existem PETRÓLEO E DIAMANTES (NIGÉRIA E REPÚBLICA CENTRO AFRICANA), usando MERCENÁRIOS TERRORISTAS (Boko Haram) sob comando direto da “CIA” e do famigerado “MOSSAD” e com a “CRUZ VERMELHA INTERNACIONAL” e mais os falsos “MÉDICOS SEM FRONTEIRA”, que inventaram o falso vírus “EBOLA”, e com o falso objetivo de vacinar a população, estes são assassinados com injeções letais, aplicadas pela “CRUZ VERMELHA INTERNACIONAL” e mais os falsos “MÉDICOS SEM FRONTEIRA”. Com o objetivo de desestabilizar os governos locais para roubar seu PETRÓLEO  e seus DIAMANTES.

Os JUDEUS se escondem matreiramente e desvirtuam falsamente a própria história através dos tempos, mas alguém chamado – H. G. WELLS, que é o maior historiador científico inglês, conseguiu identifica-los e escreveu algo sobre o maior feito dos judeus na antiguidade – “Eram uma horda de vagabundos que vagavam pelo deserto assaltando as caravanas” – Hoje assaltam nações. E o nome JUDEU, é um adjetivo correlato, pois além de assaltar as caravanas, "judiavam" e matavam seus componentes, com requintes de crueldade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário