quinta-feira, 25 de maio de 2017

China alerta: navio de guerra dos EUA dever deixar as águas disputadas no Mar do Sul China

Mar do Sul da China

China alerta: navio de guerra dos EUA dever deixar as águas disputadas no Mar do Sul China

© AFP 2017/ STR
Ásia e Oceania
URL curta
324067284

A Marinha da China exigiu a saída de um navio de guerra dos Estados Unidos das águas do Mar do Sul da China. Segundo Pequim, a embarcação norte-americana navegou "sem permissão" a 12 milhas náuticas das Ilhas Spratly, o que pode afetar o processo de paz na região.

Depois do contratorpedeiro USS Dewey, equipado com mísseis guiados, ter navegado em águas próximas aos territórios disputados "sem a permissão do governo chinês", a marinha "emitiu um aviso", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang, em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira. Pequim pediu a Washington que "corrija esse erro" e se abstenha de novas provocações que possam prejudicar a "paz e a segurança da região", bem como a cooperação bilateral entre os EUA e a China.
​"Parem de empreender ações provocativas que prejudicam a soberania e os interesses marítimos da China, para evitar assim ferir a paz e a segurança da região e a cooperação de longo prazo entre os dois países", declarou Lu Kang. Ele acrescentou que patrulhas norte-americanas na região podem "provocar inesperados acidentes aéreos e marítimos", relata Reuters.
​Segundo fontes norte-americanas, o USS Dewey se aproximou do recife de Mischief, reivindicado pela China. O navio integra a operação Liberdade de Navegação, destinada a contrair as reivindicações marítimas da China.
As Ilhas Spratly estão no centro das disputas territoriais entre a China, as Filipinas, o Vietnã, a Malásia, o Brunei e Taiwan, uma vez que a região é estrategicamente importante para o comércio. As reivindicações de Pequim a quase todo o território do Mar do Sul da China e a construção de instalações militares empreendida pelo país na região foram criticadas pelas autoridades dos EUA. A China tem afirmado que a disputa será resolvida com os seus vizinhos, e rejeita uma decisão do tribunal de Haia de 2016 que negou as reivindicações chinesas em favor das Filipinas. As patrulhas dos EUA no Mar do Sul da China foram realizadas durante o governo de Barack Obama. No entanto, essa foi a primeira patrulha do tipo desde outubro do ano passado, e a primeira realizada sob a presidência de Donald Trump.
Facebook
Procure a página Sputnik Brasil no Facebook e descubra as notícias mais importantes. Curta e compartilhe com seus amigos. Ajude-nos a contar sobre o que os outros se calam!

Nenhum comentário:

Postar um comentário