quinta-feira, 20 de abril de 2017

"TODO CUIDADO COM OS MÉDICOS É POUCO", POIS, Erros médicos são a terceira causa de morte em hospitais - Estudo Chocante Revela que seu Médico Está ERRADO 88% do Tempo…


Estudo Chocante Revela que seu Médico Está ERRADO 88% do Tempo... Segundas Opiniões Raramente Concordam com seu Primeiro Diagnóstico

ACERTO NOS DIAGNÓSTICOS INVARIÁVELMENTE É POUCO MAIS DE DECPCIONANTES 10%, OU SEJA, OS MÉDICOS ESTÃO ERRADOS EM 88% DAS VEZES,  PORTANTO  PACIENTES  EM  RISCO  DE  VIDA   -   9 ENTRE 10 MORREM...

Estudo Chocante Revela que seu Médico Está ERRADO 88% do Tempo… Segundas Opiniões Raramente Concordam com seu Primeiro Diagnóstico

Quando você está doente, nem sempre é fácil encontrar o caminho certo a seguir. Quando o seu prestador de cuidados de saúde regular recomenda a cirurgia ou um tratamento importante, pode ser uma boa ideia obter uma segunda opinião após a Mayo Clinic relatar que seu médico está errado 88 por cento do tempo.

Mesmo que o caminho para se tornar um médico seja longo, com quatro anos de faculdade para obter um diploma de bacharel, outros quatro anos de faculdade de medicina e três a sete anos a mais de residência e de bolsa de especialização, os médicos experientes e bem treinados ainda podem não conseguir seu diagnóstico correto. Uma segunda opinião pode dar-lhe não só a paz de espírito, mas também uma segunda chance de sobrevivência.
Quando se trata de sua saúde, dois cérebros funcionam melhor do que um
Os pesquisadores da Mayo Clinic examinaram 286 prontuários de pacientes que decidiram consultar a Divisão de Medicina Interna da Mayo Clinic em Rochester para uma segunda opinião entre 2009 e 2010. O grupo consistiu de pacientes encaminhados por enfermeiras e assistentes médicos, juntamente com um inúmeras referências de médicos selecionados aleatoriamente.
Para determinar a extensão dos erros diagnósticos, a equipe comparou o diagnóstico de referência com o diagnóstico final. Os pesquisadores descobriram que apenas 12 por cento dos pacientes receberam um primeiro diagnóstico correto, enquanto quase nove em cada dez pessoas (ou 88 por cento) que procuram por uma segunda opinião, desistem de um diagnóstico refinado ou inteiramente novo do que foi contado a eles pela primeira vez. Em 21% de todos os casos analisados, o diagnóstico foi completamente diferente do primeiro, enquanto que 66% dos pacientes desistiram de um diagnóstico redefinido.
O tratamento eficaz e eficiente depende do diagnóstico correto. Saber que mais de 1 em cada 5 pacientes encaminhados pode ser completamente [e] incorretamente diagnosticado é preocupante – não só por causa dos riscos de segurança para esses pacientes antes do diagnóstico correto, mas também por causa dos pacientes que presumimos não estarem sendo encaminhados de forma alguma“, disse o principal pesquisador James Naessens, Sc.D., um pesquisador da política de cuidados de saúde da Mayo Clinic, em um comunicado.
Erros médicos, a terceira causa de morte
De acordo com um estudo controverso da Universidade Johns Hopkins, os erros médicos, incluindo os diagnósticos errados, são a terceira principal causa de morte em hospitais americanos. A ProPublica, no entanto, observou que este número pode ser maior, uma vez que os médicos não listam os erros médicos no certificado de óbito, de modo que o número real de fatalidades pode ser impreciso.
Com milhares de doenças, algumas com sintomas semelhantes, nem sempre é fácil obter um diagnóstico honesto a partir da visita ao primeiro médico, por isso uma segunda opinião é tão crucial para a saúde e sobrevivência. Se podemos aprender alguma coisa com o estudo da Mayo Clinic, é o fato de que as práticas médicas e o diagnóstico devem ser um processo mais colaborativo. Os médicos e outros prestadores de cuidados de saúde devem trabalhar mais de perto em conjunto para garantir que os pacientes recebam o diagnóstico correto e tratamento adequado o mais rápido possível.
Apesar da onipresença dos erros diagnósticos, os quais poderiam ser fatais, pouca atenção tem sido dada à melhoria do sistema de encaminhamentos. O Dr. Naessens afirmou que as referências a cuidados de especialidade avançada para problemas indiferenciados são um componente essencial do atendimento ao paciente. Embora obter uma segunda opinião possa aumentar os custos de diagnóstico, um diagnóstico errado poderia levar a atrasos nos tratamentos e complicações, o que pode resultar na morte de um paciente.
O Dr. Naessens, no entanto, tem o prazer de ver que a Academia Nacional de Medicina está tomando medidas para melhorar os processos de diagnóstico e redução de erros. Eles pediram financiamento federal e plano dedicado para investigar ainda mais a ocorrência de erros de diagnóstico e encontrar novas maneiras de melhorar o processo.


Leia mais: http://www.noticiasnaturais.com/2017/04/estudo-chocante-revela-que-seu-medico-esta-errado-88-do-tempo-segundas-opinioes-raramente-concordam-com-seu-primeiro-diagnostico/#ixzz4en3cQdha

Nenhum comentário:

Postar um comentário