sexta-feira, 28 de abril de 2017

GREVE - Ministro da Justiça: Impedir que as pessoas cheguem no trabalho ‘merece reprimenda’


PMs lançam bombas de efeito moral a manifestantes durante um ato que acontece no âmbito da greve geral em São Paulo em 28 de abril de 2017

Ministro da Justiça: Impedir que as pessoas cheguem no trabalho ‘merece reprimenda’

© AFP 2017/ Miguel Schincariol
 Cobertura completa da TVT, sobre a GREVE e manifestação em defesa da classe trabalhadora
 

O Ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB), afirmou que a greve geral desta feira, dia 28, é uma “baderna generalizada” e que impedir o transporte das pessoas “merece reprimenda e é o que estamos fazendo em âmbito nacional”.

O ministro disse que os piquetes encontrados pelo país estão sendo desobstruídos por meio de um trabalho “muito eficiente” da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e das polícias estaduais. Serraglio também negou que a greve seja nacional e questionou a legitimidade da movimentação. Para ele, trata-se de uma greve das centrais sindicais e não dos operários.
A reforma trabalhista — uma das principais pautas do movimento grevista — foi defendida pelo político: “a reforma trabalhista chegou para dizer ao trabalhador ‘você é livre para fazer o acordo que você queira’”. As declarações foram feitas em entrevista à Rádio Jovem Pan.
“Não há greve. O que é há é uma baderna generalizada. Uma insatisfação daqueles que estão percebendo que estão perdendo a fonte de recursos que os levavam a manipular a vontade de nossos trabalhadores”, disse Serraglio.
Confira a íntegra da entrevista:

Nenhum comentário:

Postar um comentário