quinta-feira, 20 de abril de 2017

CÂNCER DE MAMA, MULHERES AS MAIORES VÍTIMAS DE MÉDICOS - Mulheres Estão Sendo Enganadas a Fazer Mastectomia por Médicos que as Assustam com Falsos Resultados de Testes Genéticos


Bomba sobre o Câncer de Mama Mulheres Sendo Enganadas a Fazerem Mastectomia por Médicos que as Assustam com Falsos Resultados de Testes Genéticos, Advertem Pesquisadores Médicos de Stanford


Bomba sobre o Câncer de Mama: Mulheres Estão Sendo Enganadas a Fazer Mastectomia por Médicos que as Assustam com Falsos Resultados de Testes Genéticos, Advertem Pesquisadores Médicos de Stanford


As mulheres que têm variantes genéticas inofensivas chamadas VSI (Variantes de Significado Incerto), estão sendo falsamente ditas por quase metade de todos os cirurgiões de câncer de mama que elas têm o “gene do câncer da mama” (BRCA1 ou BRCA2) e, portanto, devem fazer a cirurgia para salvar suas vidas. 
Famosamente, Angelina Jolie sofreu uma mastectomia bilateral após ter sido dito que ela carregava o gene para o câncer de mama, mas estas novas descobertas por pesquisadores de Stanford questionam se a cirurgia foi clinicamente necessária.
Em essência, os pesquisadores da Universidade de Stanford revelam que os cirurgiões inescrupulosos de câncer estão defraudando pacientes com táticas de “suspeitas de ciência falsa” . Isso também está aumentando as despesas com cuidados de saúde de programas de pensões, seguros privados e sistemas de seguros públicos como o Obamacare, fazendo com que os governos desperdicem enormes quantias de dinheiro em cirurgias medicamente injustificadas. Não por coincidência, os cirurgiões de câncer mais desonestos podem assustar as mulheres em concordarem com procedimentos cirúrgicos, para lucrarem (independentemente da necessidade médica do procedimento). Em essência, a “falsa ciência” de interpretação errônea de resultados de testes genéticos, tornou-se uma lucrativa fonte de receita para a indústria da cirurgia de câncer de mama.
“Nossas descobertas sugerem uma compreensão limitada entre os médicos e pacientes do significado dos resultados de testes genéticos“, disse Allison Kurian, MD, professora associada de medicina e de pesquisa em saúde e política em Stanford, como relatado neste comunicado de imprensa de Stanford.
Em outras palavras, é incrivelmente fácil para os médicos enganarem os pacientes com histórias científicas que parecem assustadoras, sabendo que poucas pacientes podem interpretar os resultados de testes genéticos por conta própria. Kurian continua explicando que os médicos estão conscientemente assustando as mulheres que têm essas variantes não-arriscadas, a acreditarem falsamente que elas têm “genes de câncer de mama”.
Ela explica: “As diretrizes da prática clínica afirmam que as variantes de significância incerta não devem ser consideradas como conferindo alto risco de câncer, e que as pacientes com essas variantes devem ser aconselhadas de forma semelhante à uma paciente cujo teste genético é normal. No entanto, muitos dos médicos pesquisados ​​em nosso estudo afirmaram que eles gerenciam essas pacientes da mesma forma como fazem com as pacientes com mutações conhecidas por aumentarem o risco de uma mulher.
Quando os testes genéticos mostram baixo risco, os cirurgiões de câncer dizem às mulheres que elas estão em alto risco de câncer de mama
Em outras palavras, mesmo quando os resultados genéticos mostram que as mulheres têm um risco muito baixo de câncer de mama causado geneticamente, muitos médicos invocam a “ciência falsa” e dizem às mulheres que elas estão em alto risco de câncer de mama. Infelizmente, o estudo também descobriu que apenas cerca da metade de todas as mulheres que se submetem a testes genéticos, nunca discutem os resultados do teste com um conselheiro genético qualificado que pode interpretar corretamente os resultados.
TIPO DE AÇÃO: Nunca consinta com a cirurgia de remoção de mama, a menos que você tenha um teste genético interpretado por um conselheiro genético independente e qualificado para interpretar os resultados (e que não tenha participação financeira na sua cirurgia). Nunca confie em um cirurgião de câncer que pode lucrar com sua cirurgia.
Não surpreendentemente, o estudo também descobriu que os cirurgiões de câncer de mama, tendem a pré-definir a interpretação “mais assustadora” dos resultados dos testes genéticos. Quando eles não estão certos exatamente sobre o que todas as variantes genéticas realmente significam em termos de risco real para a paciente, os cirurgiões de câncer geralmente apenas dizer às mulheres que elas estão em “alto risco” e ordená-las a sofrerem uma cirurgia. Como explica Stanford:
Incertezas quanto ao significado dos resultados dos testes podem levar os cirurgiões menos experientes a recomendarem o tratamento agressivo sob a forma de mastectomias bilaterais, ou fazer com que as mulheres optem pelo que eles acham que é a opção mais segura para controlar seu câncer.
Através da “opção mais segura”, eles indicam a remoção cirúrgica de ambos os seios, mesmo que isso seja medicamente desnecessário. Essa é uma forma da chamada “violência médica”, e é mais comum do que você pode suspeitar.
Muitos cirurgiões de câncer mentem para as mulheres, a fim de ganharem dinheiro por mutilá-las para sempre
O estudo também descobriu que metade de todos os cirurgiões de câncer de mama dizem conscientemente e deliberadamente às mulheres com mutações VSI inofensivas, que elas têm o “gene do câncer de mama” e desenvolverão câncer se elas não “tratarem” sua “doença” genética (através da remoção cirúrgica de seus seios).
Um estudo anterior realizado pela mesma equipe também descobriu que menos de 27% das mulheres diagnosticadas com câncer de mama procuram o teste genético, e quando o teste é feito, mais de 40% revelam não ter mutações genéticas de alto risco, tais como BRCA1 e BRCA2.
O estudo também descobriu que cerca de um quarto das mulheres que foram submetidas a testes genéticos, só o fizeram após a cirurgia de remoção de mama. “Foram tomadas decisões sobre seus cuidados antes que as informações sobre seu status de mutação estivessem disponíveis“, diz o comunicado de imprensa de Stanford.
Estamos aprendendo que o conhecimento clínico sobre a genética do câncer de mama pode ser altamente variável“, disse Kurian, que é membro do Stanford Cancer Institute. Essa é uma boa maneira de dizer que os cirurgiões de câncer de mama muitas vezes não têm ideia do que eles estão falando, quando interpretam resultados de testes genéticos.
Muitos cirurgiões de câncer de mama já são conhecidos por serem sociopatas, pessoas perturbadas como o Dr. David Gorski, um psicopata que mutila cirurgicamente mulheres negras em Detroit com fins lucrativos. Conhecido como um dos cirurgiões mais psicologicamente instáveis ​​da nação, o Dr. David Gorski, passa a maior parte do seu tempo lutando contra os críticos da indústria farmacêutica, ganhando um fluxo constante de queixas de pacientes. O site Natural News apresentou uma queixa de fraude detalhada sobre o Dr. Gorski ao FBI.
Há pouca dúvida de que médicos como o Dr. Gorski mutilem rotineiramente as mulheres com fins lucrativos, mentindo sobre os resultados de testes genéticos para suas pacientes, assustando-as a fazerem tratamentos médicos de câncer desnecessariamente. Ele já é conhecido por ser apanhado em uma violação de ética de conflito de interesses em relação a um teste clínico que falhou. Ele também foi acusado de promover intervenções médicas causadoras de câncer que o beneficiou financeiramente. Ainda mais, um dos colegas do Dr. Gorski, o Dr. Farid Fata, foi indiciado, condenado e preso pelas autoridades federais por executar uma operação de fraude de câncer em massa, que diagnosticou falsamente pacientes com câncer para lucrar com seu “tratamento”. É por isso que o Dr. Gorski já é conhecido como uma “bomba-relógio” por negligência médica e ações judiciais.
É importante para as mulheres em alto risco que carregam uma mutação perigosa, procurarem alguém com experiência em genética do câncer ao planejar seus cuidados“, diz o Dr. Kurian. “Infelizmente, em muitos casos, os conselheiros genéticos podem não ser otimamente integrados no cuidado de pacientes com câncer recém-diagnosticado, tornando difícil a triagem rápida dessas pacientes“.
Em outras palavras, as mulheres que necessitam desesperadamente de interpretação precisa de resultados de testes genéticos, são muitas vezes apenas jogadas no moedor de carne da cirurgia de câncer de mama, mesmo quando elas não carreguam mutações genéticas de alto risco.
Os cirurgiões de câncer ganham dinheiro, independentemente de sua cirurgia ser medicamente justificada, é claro, e eles vieram a descobrir que é incrivelmente fácil assustar as mulheres ao consentimento, deslumbrando-as com linguagem genética. Desta forma, os cirurgiões de câncer se tornaram essencialmente os vendedores de veículos usados da medicina, mentindo para suas pacientes, a fim de lucrarem por mutilá-las para sempre.
Este estudo foi publicado on-line na edição de 12 de abril do Journal of Clinical Oncology. Os pesquisadores da Universidade de Michigan, Reshma Jagsi, MD, DPhil e Steven Katz, MD, MPH, compartilham a autoria sênior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário