domingo, 12 de março de 2017

COREIA DO SUL A UM PASSO DE SE LIBERTAR DOS AMERICANOS - IMPEACHMENT DA PRESIDENTE IRREVERSÍVEL O CONTRÁRIO DO BRASIL QUE HOUVE O IMPEACHMENT DA DILMA PARA APRISIONAR O BRASIL AOS AMERICANOS

BYBLOS HOTEL  EXPRESS  
SETOR HOTELEIRO NORTE   -  SHN 3 BL - E  –  BEM  NO  CORAÇÂO   DE   BRASÍLIA 
RESERVAS E INFORMAÇÕES TEL - 61 3326 1570 --  PROMOCIONAL
SOLT- 79,90 CASAL-99,90 TRIP-129,90 VAL–20/3/17

-----------------------------------------------------------------------

David Rockefeller (Neto)
A presidente sul-coreana Park Geun-hye em 24 de outubro de 2016

Coreia do Sul recolhe votos necessários para impeachment da presidente

© REUTERS/ Kim Hong-Ji
COREIA DO SUL A UM PASSO DE SE LIBERTAR DOS AMERICANOS - IMPEACHMENT DA PRESIDENTE IRREVERSÍVEL O CONTRÁRIO DO BRASIL QUE HOUVE O IMPEACHMENT DA DILMA PARA APRISIONAR O BRASIL AOS AMERICANOS, POIS TEMER É CAPAXO DOS JUDEUS SIONISTAS AMERICANOS

Uma parte dos deputados do partido governista sul-coreano Saenuri que está em oposição à presidente disse que conseguiu recolher o número de votos necessário para iniciar o impeachment de Park Geun-hye, informou a emissora NHK.

Segundo os líderes do grupo, "a presidente deve anunciar o prazo da sua renúncia".
"A data mais conveniente para isso é o fim de abril", cita a emissora a opinião dos políticos. O grupo do partido afirmou que, se nas consultas de 8 de dezembro, entre o partido ao poder e a oposição não for atingido o acordo, os seus deputados apoiarão a votação do impeachment da presidente em 9 de dezembro.
"Conseguimos assegurar o número necessário de votos para iniciar o impeachment", citou a emissora NHK a declaração da liderança da ala do partido.
Para iniciar o impeachment na Coreia do Sul é necessário o voto de 200 dos 300 deputados. Os partidos oposicionistas são representados por 172 deputados, assim, sem a concordância de 28 deputados do partido no poder, o impeachment não pode ser aprovado.
O escândalo político em redor da presidente sul-coreana estourou após Park Geun-hye ter se desculpado publicamente pelo chamado "vazamento" de dezenas de textos dos discursos presidenciais, mesmo antes de eles serem pronunciados, para sua amiga chegada, Choi Soon-sil.
Além disso, também houve especulações que Choi Soon-sil alegadamente teria se apropriado de 70 milhões de dólares, ou seja, de uma parte dos bens de grandes empresas sul-coreanas, visando comprar bens imóveis e pagar a educação da sua filha em uma das universidades mais conceituadas da Coreia do Sul.

Nenhum comentário:

Postar um comentário