sexta-feira, 31 de julho de 2015

RON PAUL DENUNCIA: EUA - FABRICAM INIMIGOS PARA JUSTIFICAR EXPANSÃO CRIMINOSA - O BODE EXPIATÓRIO DESTA VEZ É A RÚSSIA


JUDEUS SIONISTAS DOS EUA - FABRICAM INIMIGOS PARA JUSTIFICAR EXPANSÃO - O BODE EXPIATÓRIO DESTA VEZ É A RÚSSIA - DERAM UM GOLPE DE ESTADO NA UCRÂNIA E A OCUPARAM, JÁ MATARAM 10 000 CIVIS, ACUSAR OS RUSSOS É ESTRATÉGIA, O QUE NÃO FALAM É QUE A RÚSSIA NÃO DEU UM ÚNICO TIRO NESTA REGIÃO.
QUANTO À CRIMÉIA, 99% DO POVO DECLAROU INDEPENDÊNCIA DENTRO DOS PARÂMETROS DA ONU, E TAMBÉM NÃO HOUVE UM ÚNICO TIRO, NEM DE RUSSOS OU DE CRIMEANOS.

Ron Paul em 2011.

Ron Paul: complexo militar americano precisa da Rússia como inimigo

© flickr.com/ Gage Skidmore
MUNDO
URL curta
5393100

Durante uma convenção de Jovens Americanos para a Liberdade, o ex-candidato a presidente dos Estados Unidos Ron Paul atacou a indústria militar americana. Segundo ele, o país sempre precisa de um inimigo e vem forçando para que a Rússia ocupe esse papel hoje em dia.

"As pessoas precisam da propaganda para convertê-las em alguém que elas odeiam para que elas possam odiar", disse o ex-deputado nesta sexta-feira, em Washington D.C.



"… você precisa de um Saddam Hussein, um Aiatolá ou mais alguém, e hoje é a Rússia."

No discurso, Paul lembra que enquanto a Guerra Fria pode ter abastecido a necessidade americana de gastar com os militares, a época deixou Washington sem um inimigo claro para demonizar. O governo americano agora vem espalhando desinformação sobre assuntos como a crise na Ucrânia para pintar a Rússia como vilã.

"De repente, acabou a Guerra Fria e há uma explicação enorme sobre o que está acontecendo na Ucrânia, e não é tudo culpa dos russos, estou dizendo para vocês. Mas temos que ter inimigos para manter isso agitado."
"Vocês conseguem acreditar que talvez o complexo militar-industrial tenha algo a ver com isso?", insistiu Paul. "Porque eles provavelmente não dizem 'bem, isto começou uma guerra', mas 'isto começou um problema que terminou em uma guerra muito maior.'"

Paul também criticou as ações agressivas do governo dos EUA.

"Se você e eu não podemos, se nós não podemos machucar pessoas, se não podemos roubar e se não há agressão, então por que permitir que nosso governo faça? Por que permitimos que nosso governo tire nossas liberdades, cobre mais impostos do que o necessário e nos mande para guerras sem sentido?"

O tema é bastante familiar para o ex-deputado, que já escreveu vários textos sobre o militarismo americano.

"As novas 'ameaças' que estão sendo ressaltadas trazem grandes lucros para os contratantes militares e para uma rede de think tanks que são pagas para produzir propaganda pró-guerra", escreveu Paul em abril.

Desde 2013, o Pentágono concedeu US$ 850 milhões em contratos no setor de Defesa. A Raytheon, sozinha, recebeu US$ 700 milhões para instalar um novíssimo equipamento em um bunker nuclear dos tempos da Guerra Fria.

"A Raytheon é a principal financiadora de think tanks como Instituto para o Estudo da Guerra, que continuamente alimenta a propaganda pró-guerra. Tenho certeza que contratos gordos são um ótimo retorno para esse investimento", escreveu Paul.

"Não importa que a Rússia não tenha invadido nem ameaçado nenhum país na região… É surpresa que os burocratas e generais da OTAN continuem a nos assustar com contos sobre a nova ameaça russa? Eles precisam justificar seus planos de expansão!


Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150731/1730250.html#ixzz3hWjbvics


Carlos José de Oliveira · 

Só que a conta quem vai pagar é todo mundo, já que se o urso ficar acoado vai ter que mandar milhares de bomba nuclear para os ares destruíndo a terra mais de 7 vezes, será que vale a pena tanto pela ambição?
Curtir · Responder · 1 · 4 h
Ricardo Dutra · 

O papel da indústria bélica na política N-Americana é o mesmo das empreiteiras no brasil. Se a sociedade estadunidense não agir eles vão provocar a 3ª guerra mundial.
Curtir · Responder · 1 · 4 h
Edson Dinho · 
Trabalha na empresa Fiat

Esse verme dos EUA..com suas eplocresia aliada com sua soberba de superioridade. Viva a Rússia por fazer frente a esse país de merda que é Eua.
Curtir · Responder · 1 · 3 h
Rodrigo Santana Sacramento · 

Até o dia que a arma americana falhar e o inimigo atirar primeiro!
Curtir · Responder · 4 h
Ricardo Dutra · 

(fora do cinema), na vida real isso é o que mais acontece.
Curtir · Responder · 2 · 4 h
Edson Firmino Pereira Duarte
O mundo necessita de mais homens da envergadura de Ron Paul...um verdadeiro defensor do planeta e critico ferrenho da eterna hipocrisia americana. Quem em sã consciência acredita que o país que é maior fabricante e vendedor de armas do mundo esteja de fato interessado na paz. Os EUA dependem da guerra para movimentar sua economia e sempre irá atticular ou mesmo estimular conflitos mundo afora, pois vendem armas para os dois lados. Tomemos como exemplo o conflito entre palestinos e judeus que nunca termina e sempre com os americanos fingindo intermediar o processo de paz. que nunca acontece....dá pra acreditar!!! Só babando!!!!






SANÇÕES CONTRA RÚSSIA - EUA EXPANDEM E MOSCOU REAGE



Vista do edifício do Ministério das Relações Exteriores russo em Moscou, Rússia

Chancelaria da Rússia reage à expansão das sanções pelos EUA

© AP Photo/ Dmitry Lovetsky
MUNDO
URL curta
61041127

Ao introduzir novas sanções contra empresas e cidadãos russos os EUA mostraram mais uma vez a sua escolha pelo aumento da confrontação, diz uma nota oficial publicada nesta sexta-feira, 31, pelo ministério das Relações Exteriores da Rússia.

Na quinta-feira, 30, o ministério das Finanças dos EUA informou sobre a introdução de sanções em relação a novas 11 pessoas físicas e 15 pessoas jurídicas da Rússia. A lista inclui, entre outros, o empresário Roman Rotenberg e o filho do ex-presidente da Ucrânia Aleksader Yanukovich. Na relação também constam a Fábrica Mecânica de Izhevsk, a empresa Izhmash, uma série de portos comerciais da Crimeia, e subsidiárias do banco Vnesheconombank (VEB) e da petrolífera Rosneft.
A chancelaria russa destacou que Washington continua justificando suas decisões com a situação na Ucrânia, e "ao invés de encorajar Kiev a cumprir os acordos de Minsk, continua se exercitando na expansão da campanha de sanções contra a Rússia".
As relações entre a Rússia e o Ocidente deterioraram-se por conta da situação na Ucrânia. Em julho do ano passado, a UE e os Estados Unidos aplicaram sanções pontuais contra certos indivíduos e empresas da Rússia. Em seguida, foram implementadas medidas restritivas a setores inteiros da economia russa. Em resposta, a Rússia restringiu a importação de produtos alimentares de países que impuseram as sanções. Moscou tem afirmado repetidamente que não tem interferência no conflito interno ucraniano e possui interesse na resolução pacífica do confronto


Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150731/1726574.html#ixzz3hVkqvu7m

Ramom Pereira · 
Já passou da hora da Rússia enfiar a “bombinha” de “apenas” 50 megatons no rabo desses vermes e pulverizar essa raça maldita que está agindo como a Alemanha de Hitler.
Curtir · Responder · 4 · 1 h
Rafael Chev · 
Trabalha na empresa Por Ae :*
Chora Russia, porque os EUA não liga para teu choro, responda de forma Melhor que um simples chorinho.
Curtir · Responder · 2 · 3 h
Vanderley Sabino · 
Vejam vcs que o SETOR AGRÍCOLA europeu está passando por seríssimas dificuldades depois do embargo de alilmentos emposto por Moscou. A Rússia domina a nivel mundial a produção e comercialização de TITANIO, elemento fundamental para a indutria de alta tecnólogia, é utilizada por exemplo nos trem de pousos das aeronaves comerciais e militares, sendo a maior fornecedora desse material para a gigante BOING. A Rússia bem que poderia só pra deixa as gigantes americanas de cabelo em pé, parar de fornecer esses importante material, que essa palhaçada contra a Federação Russa iria parar imediatamente, pois no mundo não há outro país que possa substituí-la no fornecimento desse material.
Curtir · Responder · 1 · 3 h
Archeangel Blizz
EUA estao loucos para esmagar a Russia, Putin sabe disso e esta com o cu na mao, sabe q se envolver numa guerra com uma economia fudida que tem nao vao aguentar, e a Russia nao conseguirá fazer um ataque nuclear efetivo ja que ja esta cercado pela Europa e pelos paises asiaticos. Exercito chines é de papel so tem quantidade mesmo, nao aguentara a maquina belica americana e dos aliados asiaticos
Curtir · Responder · 2 · 1 h
João Piol
Voce é realmente um imbecil ao pensar que os Estados Unidos podem esmagar a Russia. Vai se informar melhor seu analfabeto. O poederio bélico e militar da Russia é tão poderoso ou mais que o dos americanos. Chupa seu trouxa
Curtir · Responder · Agora mesmo
Motxucua Francisco · 
Trabalha na empresa Privado
PUTIM esta acompanhando de perto a situaçao.Aeconomia dos EUA esta de mal a pior enquando k Russia esta em ascensao,o que os norte americanos querem e tambem por a Russia de pernas pra o ar.os Russos controlam a politica de contra a democracia de 14 paises do mundo e isso é uma grande armadilha conra o dolar.
Curtir · Responder · 1 h
Usados Vitória · 
A Russia tinha que fala bem assim ja que a gente ta levando pau por diserem que estamos envolvidos na ucrania entao vamos nos envolver e manda soldado pra la pora quem sabe dai acordao que se a russia quisece a ucrania toda ja tinha se juntado a russia.