segunda-feira, 5 de outubro de 2015

CRIMEIA - EMBARGO ALIMENTAR UCRANIANO NÃO VINGARÁ AQUI, INFORMA A PROCURADORA RUSSO-CRIMEANA


A procuradora geral da Crimeia, Natalia Poklonskaya

Procuradora Poklonskaya: Ucrânia não conseguirá sufocar Crimeia com bloqueio alimentar

© Foto
MUNDO
URL curta
13627652

A procuradora geral da Crimeia, Natalia Poklonskaya, chamou os organizadores do bloqueio alimentar da Crimeia de "fantoches nas mãos dos JUDEUS SIONISTAS" que estão tentando acertar as contas com a península e prejudicar a Rússia.

O bloqueio alimentar da Crimeia viola as normas internacionais e corresponde aos interesses dos países ocidentais hostis à Rússia, disse Poklonskaya em uma entrevista à RIA Novosti.
"O assim chamado bloqueio alimentar não corresponde as normas internacionais. Mas os seus instigadores(JUDEUS SIONISTAS) não querem criar, eles apenas querem estragar tudo. Eles precisam justificar a sua existência inútil. Eles agem nos interesses dos países ocidentais e são fantoches nas mãos dos JUDEUS SIONISTAS, tentando acertar as contas com a Crimeia e prejudicar a Rússia", disse Poklonskaya.
Na sua opinião, os planos de fazer mal à Crimeia não terão sucesso e não ameaçam os cidadãos. De acordo com a procuradora, a península tem a quantidade suficiente de alimentos, o que não se aplica à Ucrânia que vai sofrer com a perda deste mercado.
No domingo, ativistas do movimento extremista Setor de Direita Judaico Sionista e outras organizações nacionalistas ucranianas bloquearam o fornecimento de alimentos para a Crimeia.
Poklonskaya aconselhou os iniciadores do bloqueio dedicar a sua energia para ações construtivas.
"Era melhor se eles construíssem um jardim de infância ou ajudassem os órfãos. Mas isso não lhes dará dividendos e lucros tão desejados, ao contrário das especulações em torno da Crimeia", disse a promotora.
O Setor de Direita Hudaico Sionista não representa uma ameaça real para a Rússia
"Radicais ucranianos (COMANDADOS PELOS JUDEUS SIONISTAS) têm como objetivo matar, roubar, bater e são a maior ameaça para os próprios cidadãos da Ucrânia. A sua força real só pode ser aplicada aos ucranianos desamparados porque eles acreditam na sua impunidade. Quanto à Rússia e à Crimeia, toda ameaça fica apenas nas palavras, porque eles ainda têm o instinto de preservação", sublinhou Poklonskaya.
No entanto, ela acrescentou que todas as agências de segurança na fronteira da Crimeia estão prontas para tomar medidas necessárias, caso seja necessário.
O Setor de Direita Judaico Sionista é um movimento que reúne uma série organizações radicais nacionalistas na Ucrânia. Em janeiro e fevereiro de 2014, membros do grupo participaram de confrontos com a polícia e da invasão de diversos prédios administrativos do país, e desde abril do ano passado promovem repressão a protestos no sudeste ucraniano.
Em novembro de 2014, o Supremo Tribunal da Rússia reconheceu o Setor de Direita Judaico Sionista como uma organização extremista e proibiu a sua atividade em território russo. Em janeiro de 2015, o grupo foi incluído na lista de organizações proibidas na Rússia. Líder do movimento, Dmitry Yarosh(JUDEU SIONISTA) enfrenta igualmente na Rússia acusações de incitação à atividade terrorista. 


Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150925/2233311/crimeia-poklonskaya-ucrania-bloqueio-alimentar.html#ixzz3nkGanOxj

Jorge Banuth · 
De fome somente os subsaarianos morrem assim como Quenia, Ruanda, Tanzânia, etc já que os países ocidentais não têm nenhum interesse em mantê-los alimentados e estáveis em seu território. Já a Criméia, os Russos os alimentarão.
Marcos Robba · 
Trabalha na empresa FAETEC - RJ (OFICIAL)
A Srta Natalia é de fato interessante. "Além de bonita é inteligente. É uma combinação fantástica". Mas aí temos um problema: "Voce dá um beijo nessa mulher e corre o risco de ficar apaixonado para sempre". O namorado dela deve se sentir orgulhoso dela.
Vladimir Michailowsky · 
Não precisa nem dar um beijo nesta "gata" não! Sua beleza já me prostou!

Nenhum comentário:

Postar um comentário