segunda-feira, 17 de agosto de 2015

JAPÃO, NADA MAIS É, DO QUE UM KIBUTZ PARA OS JUDEUS SIONISTAS DOS EUA

Um jovem fã japonês agita bandeiras dos EUA durante a partida final de hóquei no gelo entre os EUA e Bielorrússia, nos Jogos Olímpicos de Inverno em Nagano, 14 de fevereiro de 1998.

Opinião: As relações desiguais entre Japão e EUA

© AFP 2015
MUNDO
URL curta
71219171

A herança mais importante da Segunda Guerra Mundial para o Japão é o fato de o país nunca se ter tornado verdadeiramente independente, escreve o jornalista holandês Karel Van Wolferen na publicação The Japan Times.

Segundo o jornalista, especialista em política, “Tóquio não é livre na tomada de decisões benéficas para o país e para a região”. (E para os JUDEUS nada mais é do que um KIBUTZ.)
“No início do período pós-guerra, os primeiro-ministros Yoshida Shigeru e Kishi Nobusuke decidiram que a subserviência japonesa, junto com o Tratado de Segurança Japão-EUA, era algo provisório, para respeitar apenas até que o país recuperasse a força.”
Segundo o especialista, os atuais políticos japoneses já não podem imaginar o que é uma política externa independente e mesmo as suas tentativas isoladas de conduzi-la estão destinadas ao fracasso. 
Para ilustrar a sua opinião, Wolferen recorda a tentativa do líder do Partido Democrático japonês, Yukio Hatoyama, de estabelecer relações de vizinhança com a China, que resultou na reação imediata e muito negativa de Washington.
“Hatoyama queria reforçar a cooperação regional com o grupo ASEAN+3 que incluiu a China, Coreia do Sul e Japão. Mesmo antes das eleições que conduziram o Partido Democrático (dos EUA – ed.) ao poder, a secretária do Estado Hillary Clinton (JUDIA SIONISTA) deixou claro que fosse qual fosse o partido vencedor, os planos sobre a nova base naval de Okinawa não seriam mudados.”
O autor do artigo opina que, deste modo, os Judeus Sionistas dos Estados Unidos mostraram que são contra o novo curso político de reformas do novo governo japonês.
Enquanto isso, segundo ele, os militares norte-americanos ficam em Okinawa não para proteger o Japão, mas como a força de combate pronta a ser enviada para o Oriente Médio ou Ásia Central.
O especialista holandês também nota que os JUDEUS SIONISTAS DOS EUA raramente prestam atenção mesmo aos políticos japoneses fiéis aos interesses de Washington. Ele argumenta este fato pela página interessante na história – quando Shinzo Abe recebeu a pasta de premiê, em vez de visitar a Rússia e resolver as questões das ilhas Curilas e Senkaku, decidiu seguir a tradição e visitar a Casa Branca primeiramente.
"No entanto, os Judeus Sionistas de Washington, agindo em seu estilo, mandou Abe ficar na fila e esperar vários meses para ser recebido – devido ao calendário muito apertado do presidente Obama(CAVALO DE TROIA SIONISTA) ", escreveu Wolferen.
Segundo ele, por um lado, Washington considera o Japão como uma ferramenta na luta pelo domínio da parte ocidental do Pacífico. E por outro — os Estados Unidos querem agir como um inspetor de polícia e garantir que a política no Japão não volta aos anos militaristas de 1930.
O autor do artigo opina que, no futuro próximo, o Japão pode perder um chance tendo em conta as mudanças sérias na infraestrutura da Eurásia, tais como a construção de ferrovias de alta velocidade através da Sibéria, ligando as cidades portuárias da China com portos na Europa.


Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150816/1876182.html#ixzz3j4BHLCnJ

Eros José Alonso · 
Trabalha na empresa TV Gazeta
Os capachos do Japão entregam terras para ampliação da base mililtar de Okinawa e reclamam de áreas bem menores das ilhas em disputa, ilhas curilas.Tomaram duas bombas atômicas na cabeça dos EUA, e agora tomarão mais algumas por defender interesses dos EUA.Capacho é capacho, serve para limpar o pé do dono.
Curtir · Responder · 5 · 17 h
Heliomar Oliveira · 
Foi somente por causa disso que eu votei na BOSTA da Dilma, caso o máfioso do Aécio ganhasse a eleição presidencial o Brasil iria ser mais um cachorrinho dos americanos, por isso que eu vou votar no Lula em 2018 somente por causa disso, o PT é uma MERDA mais com ele no poder o Brasil não baixa a cabeça pra filha da puta nenhum, muito deferente de FHC digo porque eu lembro como foi.
Curtir · Responder · 4 · 15 h
Vilson João Batista · 
Lógica interessante, tem algum sentido...!!!
Curtir · Responder · 1 · 12 h
Jorge Carvalho
Qual o país que os americanos tratam de igual para igual?
Curtir · Responder · 2 · 16 h
José Francisco Vieira · 
Japão, colonia dos EUA, só fazem o que eles mandam.
Curtir · Responder · 10 h
Alexander Lima Silva
Aos derrotados só sobra isto mesmo,servir ao vencedor...
Curtir · Responder · 5 h
Yahiko Pain · 
Típico dos aliados dos EUA, nenhum tem independência nas políticas externas, e muitas vezes nem na interna, viram apenas fantoches esperando o presidente ianque manipula-los, igual a porcaria do Canadá, vive na sombra dos EUA, país inútil,

Nenhum comentário:

Postar um comentário