segunda-feira, 2 de março de 2015

Agora os ucranianos descobriram que, no tempo em que os soviéticos comandavam a Ucrânia, eles viviam no Paraiso, e hoje sob o comando dos JUDEUS SIONISTAS, vivem num INFERNO"


O que traz a guerra para Ucrânia Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.
Fotos AP.
Agora os ucranianos descobriram que, no tempo em que os soviéticos comandavam a Ucrânia, eles viviam no Paraiso, e hoje sob o comando dos JUDEUS SIONISTAS, vivem num INFERNO" 

O que traz a guerra para Ucrânia Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.
Fotos AP.guerra genocida que o "Judaico Sionismo de Israel" Sionistas traz a para UcrâniaO que traz a guerra para Ucrânia Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.
Fotos AP.

Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.
O que traz a guerra para Ucrânia Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.
Fotos AP.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). 
O que traz a guerra para Ucrânia Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.
Fotos AP.Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. 
O que traz a guerra para Ucrânia Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.
Fotos AP.Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. 
O que traz a guerra para Ucrânia Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.
Fotos AP.Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito. Fotos AP.O que traz a guerra para Ucrânia Os russos seguem agora com mais atenção os acontecimentos na Ucrânia: mais de 83% dos entrevistados acompanham as últimas notícias,segundo centro de pesquisas VTsIOM.Metade dos inquiridos (50%) chamou os eventos no país vizinho de guerra civil (40% em outubro). Os russos também são agora mais propensos a caracterizar a situação como genocídio e terror – 17% versus 12% em outubro. Kiev está realizando desde meados de abril uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas chegadas ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido em fevereiro de 2014 em Kiev. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 5.000 civis já foram vítimas deste conflito.
Fotos AP.
NO PERÍODO DOS SOVIÉTICOS ERA ASSIM 
Resultado de imagem para FOTOS DA UCRANIA NO PERIODO SOVIETICOResultado de imagem para FOTOS DA UCRANIA NO PERIODO SOVIETICOResultado de imagem para FOTOS DA UCRANIAResultado de imagem para FOTOS DA UCRANIA DA ERA SOVIETICAResultado de imagem para FOTOS DA UCRANIA DA ERA SOVIETICAResultado de imagem para FOTOS REGIÕES TURISTICAS DA UCRANIAResultado de imagem para FOTOS REGIÕES TURISTICAS DA UCRANIAhttps://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRz1I3T9B9Y78GyZf4Q2TQ8t7oL1M--5a-MAs9Bk2Sx2O4XojCJxw

Nenhum comentário:

Postar um comentário