segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

RÚSSIA - SISTEMAS DE FOGUETES HIPERSÔNICOS ATÔMICOS IMUNES A ESCUDOS ANTMÍSSEIS DO INIMIGO


Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia marcam 55 anos, todos imunes a escudos antimísseis dos EUA e da OTAN, pois são HIPERSÔNICOS, e os escudos russos são os mais modernos e eficientes do mundo.


Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.Forças de Mísseis Estratégicos da Rússia  marcam 55 anos A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.
A Rússia ultrapassou os Estados Unidos em quantidade de ogivas em veículos de lançamento estratégicos em serviço – mesmo que só por uma unidade simbólica, 1.643 contra 1.642.O míssil Yars com múltiplas ogivas separáveis foi criado usando soluções implementadas no complexo de mísseis Topol-M. Juntamente com o míssil monobloco Topol-M de baseamento em silo e móvel, já adotado em serviço, eles formam a base do grupo de ataque das Forças de mísseis estratégicos da Rússia.Complexos de silo como o Topol-M, graças aos conceitos tecnológicos neles implementados, são praticamente invulneráveis aos sistemas de defesa antimíssil do inimigo. E os complexos móveis têm ainda mais capacidades. Fotos AP.

AQUARELA POLÍTICA DO GOLPISMO E A HIPOCRISIA DISFARÇADA DE DEMOCRACIA DOS "JUDEUS SIONISTAS" NO BRASIL


E como a Dilma se nega a fazer o que "COLLOR", "FHC" E "ITAMAR" fizeram, entregar o que restou do patrimônio público - PETROBRAS - BANCO DO BRASIL - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL E OS CORREIOS, aos "JUDEUS SIONISTAS", querem derruba-la!   

Golpísmo, hipocrisia e reforma politica. 21322.jpeg


Nas últimas semanas, insatisfeitos com o resultado das eleições, golpistas que nos últimos anos praticavam seu ódio à democracia e às instituições pela internet têm convocado caminhadas pelo país, pedindo o impeachment da presidenta Dilma Rousseff ou intervenção militar. 
Para tentar derrubar o governo, os novos golpistas fazem como fizeram os que os antecederam na história brasileira, que mataram Getúlio em 1954, que tentaram inviabilizar Juscelino Kubitscheck em 1955, que derrubaram Jânio Quadros 1961, que derrubaram João Goular em 1964, que mataram Castelo Branco em 1967, que mataram Costa e Silva em 1969, que mataram Juscelino Kubitscheck em 1976, que mataram João Goular  em Mercedes na Argentina em 1976, que mataram Marcos Freire em 1987, que mataram Ulysses Guimarães em 1992, que mataram José Carlos Martinez em 2003, que induziram Cancer na Dilma e em todos os líderes esquerdistas da América Latina - 2009, que induziram Cancer em Lula - 2011,  que mataram Eduardo Campos em 2014 e etc...

Os golpistas são sustentados e orientados pelo "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL", através da "CIA" - "MOSSAD" e dos judeus sionistas:
"Alberto Goldman" - "Tony Blair", "George Soros", "Sarkozy", "Walter Feldman, "Rodrigo Rollemberg, "Luis Pitiman", "Regufe", "Joe Valle", "Ricardo Young", "Beto Albuquerque" e etc...Dos Bancos Judaico sionistas:
"Santander", "Itaú" e etc...Da Mídia judaico Sionista:
"VEJA" - "GLOBO" - "ISTO É" - "ÉPOCA" - "FOLHA DE SÃO PAULO" - "O ESTADO DE SÃO PAULO" - "SBT" - CORREIO BRASILIENSE E ETC...Dos "Cavalos de Troia Sionistas", traidores e vendilhões da Pátria:
"FERNANDO COLLOR" - "FHC" - "SERRA" - "AÉCIO NEVES" - "MARINA SILVA" - "GERALDO ALCKIMIN" - "CARLOS SAMPAIO" - "ALOYSIO NUNES" - "ÁLVARO DIAS" E ETC...

E como a Dilma se nega a fazer o que "COLLOR", "FHC" E "ITAMAR" fizeram, entregar o que restou do patrimônio público - PETROBRAS - BANCO DO BRASIL - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL E OS CORREIOS, aos "JUDEUS SIONISTAS", querem derruba-la!   
Por Mauro Santayana, na Revista do Brasil e acréscimos ilustrativos do autor deste Blog - Mohamad Ali:

Apelam para o tosco, velho e surrado discurso anticomunista da época da Guerra Fria, que justificou crimes como os milhares de civis mortos e torturados no Chile, na Argentina, na Indonésia, e em conflitos prolongados e estéreis como a Guerra do Vietnã e Coréia.
Dizer que é comunista um país em que o sistema financeiro lucra bilhões, em que as multinacionais fazem o mesmo e remetem fortunas para o exterior, em que qualquer cidadão pode montar um negócio a qualquer momento, com ajuda do governo e de instituições, como o Sebrae, e em que nossos armamentos são produzidos em estreita cooperação com empresas inglesas judaico sionistas, norte-americanas judaico sionistas, francesas judaico sionistas, suecas judaico sionistas, israelenses judaico sionistas, é tremenda hipocrisia.
À oposição institucional cabe também agir com responsabilidade. Caso fosse adiante um pedido de impeachment, ou caso venha a ser impedida por outras manobras a diplomação de Dilma Rousseff, a ascensão do vice Michel Temer à Presidência da República corroeria, em vez de ajudar, as chances de Aécio Neves de chegar ao Palácio do Planalto em 2019. E na remotíssima possibilidade de os golpistas terem sucesso por outros meios, jamais entregariam o poder ao ex-governador mineiro. Os mais radicais o desprezam e desconfiam de seu discurso antipetista e judaico sionistas. .
O problema do Brasil não é comunismo, como apregoam essa minoria extremista e alguns golpistas de plantão, em seus comentários nos portais e redes sociais. O que põe a opinião pública em estado de perplexidade é a corrupção. Esse mal nasce de uma acumulação histórica de defeitos no universo político, como o clientelismo e o fisiologismo, que vêm desde o Brasil Colonial. Sua raiz está na busca permanente do poder, por partidos e candidatos, e da necessidade de fontes de financiamento para suas campanhas. No caso da Petrobras, o próprio Ministério Público declarou que o esquema funciona desde 1999 – logo, ainda antes da chegada do PT ao poder.
Quando das manifestações de junho de 2013, Dilma saiu em defesa de reformas que tirassem o país da dependência desse quadro de relações incestuosas entre o governo e o Congresso, e de se criarem mecanismos que permitissem maior espaço para a população manifestar seus anseios e interesses. Suas teses, no entanto, não prosperaram no Legislativo. Agora, que a reforma política volta à tona, o que importa é saber se teremos uma de fato, ou se uma reforma de faz de conta, comandada pelos grupelhos de sempre, com mudanças cosméticas para enganar a população.
O caixa dois não é mais do que uma extensão do financiamento eleitoral privado, e legal. O menos citado caixa um, que poderia ser suprimido por meio do financiamento público de campanhas, como prevê a proposta de reforma política defendida por entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e tantas outras entidades e movimentos com representação em amplos setores sociais.
No meio desse processo estão pilantras que aparecem para viabilizar “negócios” e “acertos”, extorquem recursos de empresas e irrigam, com parte dos recursos auferidos, candidatos e partidos. Eles não agem em nome do interesse público ou partidário, não são “azuis” ou “vermelhos”, nem “golpistas” nem “comunistas”. Se existisse um termo exclusivo para defini-los, seria simplesmente “corruptistas”, ladrões que se aproveitam das distorções históricas do atual sistema político.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e&cod=14806







domingo, 28 de dezembro de 2014

CUBA "O RETORNO" - MAS, TODO CUIDADO É POUCO COM A "CANALHA" DA "CIA"


Washington faz-se de boazinha com Havana?

29.12.2014Washington faz-se de boazinha com Havana?. 21339.jpeg















Em movimento para encobrir um dos últimos vestígios da Guerra Fria, o presidente Barack Obama iniciará negociações com Cuba sobre o pleno reatamento de relações diplomáticas rompidas há 50 anos, informou a Yahoo News um funcionário do governo dos EUA, na 4ª-feira. A decisão de Obama foi tomada depois que Cuba libertou um empresário norte-americano "Judeu Sionista", Alan Gross .
Cubanos, todo o cuidado é pouco!

17/12/2014, Moon of Alabama - http://goo.gl/t6EhpR

Quer dizer então que os EUA estão-se fazendo de amiguinhos de Cuba?


A verdade é que os EUA libertaram os últimos três dos "Cinco Héroes" cubanos que mantinham presos em território norte-americano, e Cuba só libertou um "ativo" norte-americano desconhecido.

Alan Gross era contratado da agência USAID em missão clandestina para, ao que se divulgou, distribuir telefones por satélite que conseguiam passar despercebidos nos controles que Cuba mantinha sobre o próprio espectro eletromagnético.

Interessante: essa notícia aparece no mesmo dia em que o diretor da USAID, Raj Shah, foi demitido. A demissão dele teria sido exigida por Cuba, para a troca de prisioneiros?

Shah falou conosco na 3ª-feira à noite, mas pouco disse sobre por que está deixando a agência, além da razão oficial segundo a qual, depois de seis anos de serviços prestados ao governo Obama, está querendo dedicar mais tempo à família.
Shah foi demitido depois que fracassaram várias tentativas clandestinas, estúpidas, de sua agência USAID, o chamado "esquema Alan Gross", para criar um Twitter cubano falso, organizando falsos seminários para prevenção de contágio por HIV e infiltrando toda a cena hip hop cubana, sempre tentando 'desestabilizar' o sistema político cubano.

Mas... se vier a ser criada alguma embaixada dos EUA em Havana, a mesma tarefa voltará a ser atribuída à CIA [com, esperamos, igual fracasso (NTs)]. Cuba deve tomar extremo cuidado [como se Cuba não conhecesse a canalha da CIA (NTs)]. 

Há quem diga que a única razão pela qual nenhum governo dos EUA foi jamais derrubado pela CIA é: "Porque não há embaixada dos EUA em Washington DC." [1]
Não há razão alguma para que Cuba creia no que lhe dizem os EUA, e o país deve ser extremamente cuidadoso nessa 'abertura' do país aos seus piores inimigos. Não se trata só de a USAID que já se intrometeu na crise dos mísseis cubanos (que eliminaram as armas nucleares dos EUA na Turquia apontadas contra a Rússia), o que sim, exige cautela, mas há também outros planos de ataque e tentativas de assassinato de líderes cubanos

E há também as recentes "operações para mudança de regime" que os EUA estão conduzindo na Ucrânia, na Líbia, na Síria, em Hongkong e em outros pontos.

Digam o que disserem em público, os EUA com certeza continuarão a atacar o regime socialista cubano e a tentar "mudança de regime".

Os cubanos que não esqueçam que ser 'abraçados' pelos EUA é e sempre será tentativa de assassinar, por sufocamento, a autodeterminação dos cubanos. *******
[1] 22/5/2014, "Assange entrevista No. 6 - "Rafael Correa, presidente do Equador", 22/5/2012 (Episódio 6), Russia Today, 26'16 - "The World Tomorrow" (em http://redecastorphoto.blogspot.com.br/2012/05/assange-entrevista-no-6-rafael-correa.html :
JULIAN ASSANGE: O que pensa o Equador, dos EUA, sobre o envolvimento dos EUA? Não lhe peço que faça alguma caricatura dos EUA. Mas... O que pensam os equatorianos sobre os EUA e o envolvimento dos EUA no Equador e na América?

RAFAEL CORREA: Como disse Evo Morales [presidente da Bolívia], os EUA são o único país que pode ter certeza de lá jamais haverá golpes de Estado - porque não há embaixada dos EUA nos EUA. [Assange e equipe riem]. ******* 

OLIMPÍADAS DE 2016 - CUBA CEDERÁ BASES E ALOJAMENTOS PARA PREPARAÇÃO DOS ATLETAS RUSSOS


Bases e alojamentos em cuba, disponíbilizados aos atletas russos em 2016

28.11.2014

Bases cubanos disponíveis para russos em 2016. 21213.jpeg

Na sequência da reunião entre o Ministro de Desportos/Esportes da Federação Russa com o Embaixador da República de Cuba na Rússia esta semana, ficou acordado que atletas russos participantes nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro poderão usar as bases em Cuba.
A notícia foi divulgada esta semana pelo Ministério de Desportos/Esportes da Federação Russa:
"Emilio Ratmir Lozada Garcia (Embaixador da República de Cuba em Moscou) informou o Ministro (de Desporto/Esportes da Federação Russa) acerca da prontidão de Cuba arranjar bases de treinamento para os atletas russos se prepararem para os Jogos da XXXI Olimpíada, Rio de Janeiro 2016".
A reunião teve lugar na segunda-feira passada entre o Ministro, Vitaly Mutko, e Emílio Ratmir Lozada Garcia. 
Também na agenda da reunião foram temas relacionadas com um aprofundamento na área de desporto/esportes incluindo as modalidades de boxe, vólei e basquete.
Os Jogos de Verão do Rio de Janeiro de 2016 incluirão 28 modalidades e terão lugar entre 5 e 21 de Agosto.

BANQUEIROS JUDAICO SIONISTAS ESTÃO ESTUPRANDO A UCRÂNIA COMANDADA POR BANDIDOS E ASSASSINOS

Banqueiros estrangeiros estão estuprando a Ucrânia

27.12.2014

Banqueiros estrangeiros estão estuprando a Ucrânia. 21331.jpeg
O Presidente da Ucrânia, escolhido pelos Estados Unidos, o oligarca Petro Poroshenko, convocou eleições imediatas no final de agosto a 26 de Outubro, tendo o cuidado de assegurar que a verdadeira oposição ao seu regime de assassinos, bandidos e até mesmo nazistas, foi expulso pelo Verkhovna Rada, o Parlamento.
Se não fosse pelo fato de que a vida de cerca de 45 milhões de pessoas está em jogo, a política nacional da Ucrânia podia rir como piada de mau gosto. Quaisquer reclamações que as eleições nacionais de outubro resultaram no aparecimento de uma verdadeira democracia para que milhares de ucranianos demonstrado na praça ano Majdan atrás, dissolver com o anúncio do primeiro-ministro querida Victoria Nuland, "Yat" Jatsenjuk, o seu novo gabinete.
F. William Engdahl
O Presidente da Ucrânia, escolhido pelos Estados Unidos, o oligarca Petro Poroshenko, convocou eleições imediatas no final de agosto a 26 de Outubro, tendo o cuidado de assegurar que a verdadeira oposição ao seu regime de assassinos, bandidos e até mesmo nazistas, foi expulso pelo Verkhovna Rada, o Parlamento. Uma vez que o Parlamento tinha principais partidos de oposição ao golpe nos Estados Unidos em 22 de fevereiro, e que havia bloqueado muitas importante legislação exigida por abutres ocidentais, para mudar as leis básicas sobre a propriedade da terra e privatização de ativos estatais. Por lei, o antigo parlamento teria terminado o mandato de cinco anos, em Outubro de 2017. Este foi claramente demais para o pupara ucraniano neo-con Departamento Estadual de Victoria Nuland e seus partidários em Washington.
Agora, com um novo parlamento controlado pelo bloco de Petro Poroshenko, primeira festa, e com o primeiro-ministro Arseny Jatsenjuk rosto de um anjo, ainda primeiro-ministro, líder do segundo partido, há uma luz verde para o estupro da Ucrânia. O que chocou alguns é a ocupação estrangeira claro que se segue, enquanto os fundos abutre em Wall Street agredir um país devedor do Terceiro Mundo em dificuldade.
A farsa ridícula
Jatsenjuk, o ex-ministro das Finanças de um regime penal anterior, e amigo da fonte suspeita de inteligência dos Estados Unidos, a "Igreja da Cientologia ", nomeou três ministros econômicos chaves estrangeiras. Por uma extraordinária, os três foram declarados cidadãos ucranianos no instante após a cerimônia ridículo Poroshenko.Ucrânia parece cada vez mais como as Filipinas ocupada por os EUA após a Guerra Hispano-Americana de 1898, quando o general Arthur MacArthur, pai do esfarrapado Douglas, foi o local de ditador Washington. O novo ministro das Finanças da Ucrânia, o único que vai controlar o dinheiro e onde colocá-los, é Natalia A. Jaresko. Fala fluentemente ucraniano. O único problema, é um cidadão dos Estados Unidos, um veterano do Departamento de Estado e os EUA também banqueiro. Agora, a Constituição ucraniana, bastante conservadora, exige que os ministros do governo são ucranianos. Como é que o nosso doce Natalia para inseri-lo? O Presidente da Ucrânia, outro favorito de Victoria Nuland, os corruptos oligarca "King Chocolate", Petro Poroshenko, nomeou cidade ucraniana com uma cerimônia bizarra naquele dia, poucas horas antes de o Parlamento designará o Ministro das Finanças . Para justificar tal movimento surpreendente, Poroshenko disse: " Estamos absolutamente extraordinários desafios para a Ucrânia ... Tudo isso requer soluções inovadoras para o governo ... Estas decisões exigem a busca de candidatos para o novo governo não só na Ucrânia, mas também para " estrangeira .
" Esqueça as suas velhas noções bobas de livros escolares sobre como executar uma democracia e uma nação. É a idade da ausência do Estado nacional, o capital privado que vence o mundo por causa do lucro. Pilhagem ueber alles é o lema. A Ucrânia é o leilão de privatização de qualquer maneira, por isso faz sentido que a caçadores proibição chefe do Departamento de Estado para realizar o trabalho de preparação do leilão, você pode encontrar em qualquer dos carrascos voluntários. E já que este é planejado pelo privatizadores, é mais fácil acreditar que um não-ucraniano deixar o país ser estuprada, não um ucraniano, mesmo corrupto.
Em seu discurso de aceitação, Jaresko disse: " A nova equipe tem como objetivo mudar o país, melhorar a transparência e eliminar a corrupção. Os membros da equipe estão prontos para enfrentar os desafios que a Ucrânia enfrenta hoje. Este é um governo de profissionais e tecnocratas, e pretendemos trabalhar. Eu vivia na Ucrânia há 22 anos, e até à data foram à frente de uma grande empresa que controlava três fundos de investimento ", disse ele à notícia ucraniano TSN. O que Jaresko não disse é que ele foi enviado para a Ucrânia há 22 anos por um membro do Departamento de Estado dos Estados Unidos. As qualificações dos Jaresko atender as necessidades do estuprador por transferências de fundos abutre. Ele fundou e é CEO da Horizon Capital Associates, LLC . L ' Horizon Capital é "uma empresa privada em equity e venture capital start-up especializada em, de compra, de crescimento de capital e expansão de oportunidades. Prefere investir em serviços financeiros, bens de consumo, varejo e bens industriais.Geralmente investe em empresas de média capitalização na Ucrânia, Bielorrússia e Moldávia ", segundo a Business Week . Foi fundada em 1995 e possui escritórios em Kiev. Jaresko também é CEO de um fundo de private equity, a WNISEF. WNISEF ou ocidental Enterprise Fund NIS é um fundo de private equity de US $ 150 milhão de activos na Ucrânia e Moldávia, e que investe em pequenas e médias empresas.
Uma vez que a instituição ", WNISEF investiu cerca de 168 milhões dólar de 118 empresas da região e em vários setores, com foco em bens de consumo, materiais de construção, embalagens, varejo e serviços financeiros. WNISEF é gerido pela Horizon Capital Associates, LLC.WNISEF foi estabelecido pelo Congresso dos EUA e financiado pelo governo dos EUA, através da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID ) ".
Antes de fundar a Horizon e WNISEF, Jaresko, um graduado de Harvard, trabalhou para o Departamento de Estado dos Estados Unidos no saque do país, organizada pelo FMI, que começou logo após o colapso da União Soviética inspirado pelos Estados Unidos, em 1991. Em 1992-1995 foi o chefe da Seção Econômica da Embaixada dos EUA em Kiev. Quando, em 2004, os EUA, apoiado Viktor Yushchenko foi nomeado, com a "revolução laranja" em Washington, o presidente, Jaresko estava em seu Conselho Consultivo Investidores Estrangeiros . Isso quando o viceportavoce Departamento de Estado e ex-porta-voz da CIA, Marie Harf, negou que Washington não teve nenhum papel em sua nomeação. Claro que nunca mentiu.
Outro banqueiro, ministro das Relações Exteriores da Economia
Aparentemente não está convencido de que o ministro das Finanças de um banqueiro é suficiente, amigos Nuland em Washington colocaram Aivaras Abromavicius, banqueiro lituano Ministro da Economia. De acordo com a propaganda oficial do governo dos Estados Unidos, a propaganda notícia velha da Guerra Fria a CIA, Radio Free Europe , o nome antigo, que é uma espécie de brincadeira de mau gosto, Abromavicius, nascido em Vilnius, na Lituânia, trabalhou desde 2008 como um parceiro em Kiev e gestor de fundos do grupo de gestão de ativos Leste Capital . Leste Capitaljá investiu quase US $ 100 milhões em 2012 nos projectos ucranianos. Seria interessante saber como o dinheiro.
Se Abromavicius descreve ucraniano patriota (sic!), Se envolve em "medidas radicais". Leste Capital é um fundo de "mercados de fronteira" sueco, atuante em 25 países de mercados emergentes. O fundador do ' Oriente CapitalAbromavicius é Peter Elam Hakansson, de acordo com o website. Antes Hakansson teve cargos importantes na família Enskilda Securities sueca Wallenberg.
E um ministro da saúde Georgian
Completando o novo governo bizarro é Jatsenjuk Alexander Kvitashvili, um georgiano. Kvitashvili era ministro da Saúde na Geórgia entre 2008 e 2010, sob o então presidente Mikheil Saakashvili, como Yushchenko, outro presidente fantoche corrupto chamado pela Revolução Rose financiado pelos Estados Unidos em 2003. Kvitashvili estudou e trabalhou no Reino Unidos, antes de se tornar o ministro da Saúde da Geórgia. De acordo com a Radio Free Europe ",Kvitashvili Jatsenjuk instruídos a introduzir reformas radicais para enfrentar a corrupção desenfreada entre as autoridades de saúde e ". No entanto, o inimigo da corrupção tem uma desvantagem: não falo ucraniano. Não importa, ao que parece, tem declarado que ele tem um " profundo respeito para a Ucrânia e do seu povo . " Mais do que isso, um ministro da Saúde ucraniano anti-corrupção, hoje, não precisa.
O estupro de um país, assim como o estupro de uma criança, é um assassinato. É uma forma de assassinato da alma e, finalmente, a criança. Quarenta e cinco milhões de ucranianos não merecem tal tratamento, não mais do que uma criança indefesa de quatro anos.
Jornalista norte-americano, especialista em questões energéticas e geopolíticas. Última publicação: Gods of Money: Wall Street and the Death of the American Century (2010).
http://www.voltairenet.org/article186311.html

XEQUE-MATE AO RUBLO???!!!...- PUTIN REBATE, O XEQUE É FALSO, POIS O TABULEIRO GEOPOLÍTICO, MILITAR E FINANCEIRO ESTÁ EM SUAS MÃOS


Putin cool, impecável. Análise: certa. Resposta ao JUDAICO SIONISMO DOS EUA: certa.

Se a Rússia servir-se da opção "nuclear" financeira, o sistema financeiro ocidental não conseguirá absorver o choque do calote. O que provaria cabal e completamente - de uma vez por todas - que os especuladores de Wall Street construíram um 'Castelo de Cartas' tão frágil e corrupto, que a primeira tempestade que se abater sobre ele o reduz a pó.


28.12.2014

Putin cool, impecável.Análise: certa. Resposta ao ocidente: certa. 21334.jpeg
Embora enfrente o que, analisada sob sejam quais forem as circunstâncias, é uma tempestade perfeita, o presidente Putin teve desempenho extremamente equilibrado na sua maratona anual de conferência e sessão de perguntas e respostas com a imprensa.
A tempestade perfeita desdobra-se em dois fronts: uma guerra econômica aberta - com o país sendo sitiado por sanções; e um ataque de sombras, preparado, urdido, clandestino, contra o coração da economia russa. O objetivo de Washington é claro: quer minar o adversário, serrar-lhe os caninos, para forçá-lo a curvar-se humilhado ante os desejos do Empire of Chaos, Judaico Sionista. E sem parar de vangloriar-se de que esse seria o caminho para a 'vitória' de Washington.

A dificuldade é que Moscou decifrou com acerto impecável o jogo - já bem antes, quando Putin, no Clube Valdai, pôs o dedo na doutrina Obama: "é como se nossos parceiros ocidentais judaico sionistas, os próprios pais de teorias do caos controlado não soubessem o que fazer da própria criatura." 

Assim sendo, é claro que Putin já tinha ferramentas para compreender o ataque monstro de caos controlado, dessa semana. O Império tem massivo poder de dinheiro; muita influência sobre o PIB de $85 trilhões do mundo, e o poder do banking [da bankerada] por trás disso tudo. Assim sendo, nada mais fácil que usar esse poder mediante os sistemas de banking privado que realmente controlam os bancos centrais, para criar uma corrida contra o rublo. O sonho do 'Empire of Chaos' Judaico Sionista é, pode-se dizer, derrubar o rublo até que tenha caído 99%. 


A economia russa terá sido convertida em destroços. 

Que melhor meio para impor à Rússia a tal 'disciplina imperial' judaico sionista?

A opção "nuclear" 

A Rússia vende petróleo denominado em dólares norte-americanos ao ocidente. A empresa LUKoil, por exemplo, tem de receber um crédito em dólares norte-americanos, num banco norte-americano, para pagar pelo petróleo que os russos vendem. Se a LUKoil tem de receber rublos,  então o comprador tem de vender os dólares que tenha depositados e comprar correspondentes créditos em rublos para abastecer a própria conta bancária. Isso, de fato, apoia o rublo. A questão é se Lukoil, Rosneft e Gazprom estão acumulando dólares norte-americanos no exterior e segurando os dólares. A resposta é não. E o mesmo se aplica a outros negócios russos.

A Rússia não está "perdendo suas poupanças" como gargareja a imprensa-empresa judaico sionista. A Rússia sempre pode exigir que empresas estrangeiras mudem-se para a Rússia. A Apple, por exemplo, pode abrir uma unidade fabril na Rússia. Os recentes negócios firmados entre Rússia e China incluem construção de fábricas chinesas na Rússia. Com um rublo depreciado, a Rússia pode forçar fábricas que foram deslocadas para a União Europeia, a se instalarem na Rússia; é isso, ou essas empresas perdem o mercado. É verdade que Putin, de certa maneira admitiu que a Rússia deveria já ter feito há muito tempo o que só agora fez. Agora, o processo - positivo - é inevitável.

E há uma opção "nuclear" - que Putin nem precisou mencionar. Se a Rússia decide impor controles sobre o capital e/ou impor um "feriado" no pagamento de enormes parcelas da dívida que vencerão no início de 2015, o sistema financeiro europeu conhecerá dias de bombardeio à moda "Choque e Pavor". Afinal, grande parte dos financiamentos bancários e privados russos são levantados na Europa.

O 'calote' da Rússia, por ele só, não é a questão. A questão é a conexão com os bancos europeus. Como me disse um banqueiro de investimentos americano, Lehman Brothers, por exemplo, derrubou a Europa, praticamente tanto quanto derrubou New York City - por causa dos inter-links. E Lehman, claro, tinha sede em New York. O que conta é o efeito dominó.

Se a Rússia servir-se dessa opção "nuclear" financeira, o sistema financeiro ocidental não conseguirá absorver o choque do calote. O que provaria cabal e completamente - de uma vez por todas - que os especuladores de Wall Street construíram um 'Castelo de Cartas' tão frágil e corrupto, que a primeira tempestade que se abater sobre ele o reduz a pó.


À curta distância 

E se a Rússia faz o calote - e cria a mais alucinada confusão da dívida de $600 bilhões, do país? É o cenário que levou os "Masters of the Universe" a mandar Janet Yellen e Mario Draghi criar créditos nos sistemas de banking para prevenção de "dano indevido" [orig. "undue damage"] - como em 2008.

Mas então a Rússia decide cortar o gás natural e o petróleo para o ocidente (mantendo normal o fluxo para o oriente). A inteligência russa pode criar inferno non-stop nas estações de bombeamento, do Maghreb até o Oriente Médio. A Rússia tem como bloquear todo o petróleo e todo o gás natural bombeado em todos os '-stões' da Ásia Central. Resultado: o maior colapso financeiro da história. E fim da panaceia excepcionalista do 'Empire of Chaos', "Judaico Sionista".


Claro que esse é cenário de apocalipse. Mas não provoquem o urso; ursos são muito rápidos.

Putin falou com tanta segurança, tão calmo, tão concentrado - sempre interessado em expor detalhadamente cada ponto - naquela conferência de imprensa, porque ele sabe que Moscou pode mover-se com total autonomia. Claro que, sim, é guerra assimétrica contra o império judaico sionista que está desabando, perigoso. O que pensam da vida aquelas ratazanas intelectualmente subdotadas que enxameiam em torno de Obama Pato Manco? Que convencerão a opinião pública nos EUA - o mundo - de que Washington (de fato, só os cachorrinhos europeus) declarará guerra nuclear, a ser combatida no teatro europeu, em nome do estado falido da Ucrânia?

É jogo de xadrez. O ataque contra o rublo foi concebido para ser o xeque-mate. Não é. Nunca seria, jogado por jogador medíocre. E não esqueçam a parceira estratégica Rússia-China. A tempestade talvez esteja amainando, mas o jogo continua. *****

PUTIN REINA ABSOLUTO - O IMPÉRIO JUDAICO SIONISTA ESPERNEIA E A RÚSSIA AVANÇA CADA VEZ MAIS FORTE


Putin reina, ao lado da Síria, Vietnã, Irã, Brasil, Índia, China, Mongólia, Armênia, Hungria, Islândia, Belarus, Cazaquistão, Moldávia, Tajiquistão, Quirguistão, Turquia, Azerbaijão, Argentina, Venezuela, Equador, Indonésia e África do Sul - - "UNIÃO EURASIANA" - "BRICS",

28.12.2014
Putin reina. 21336.jpeg




















O Império judaico sionista esperneia, e a Rússia avança, cada vez mais forte. A virada na política para Cuba também tem a ver com o declínio do Império judaico sionista. 
Obama(CAPACHO MÓR DO "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL") está dando um tapa na agenda, porque sabe que terá problemas com o próximo Congresso. 
19/12/2014, 16h09, "MK Ngoyo said..." (comentário, em postado do Saker)

Caro Saker,

"Homem de pouca fé, por que duvidaste? [Mateus 14:31] Já não te mostrei maravilhas? Nem assim crês?" [Putin bate a cabeça na parede]
O Império esperneia, e a Rússia avança, cada vez mais forte. A virada na política para Cuba também tem a ver com o declínio do Império. Obama está dando um tapa na agenda, porque sabe que terá problemas com o próximo Congresso. 

Tudo isso confirma que a política de Putin nesse confronto não está, simplesmente, 'certa'.  Putin é Gênio Grão-Mestre do Xadrez, PGGMX [marca registrada].

A política de Putin é esperar os ataques, sem comprometer poder de fogo significativo seja no ataque ou na defesa, antes de que a situação possa ser analisada com clareza. Brilhante. E por várias razões:

1. O próprio telhado do império está em chamas, e o ataque pode nem dar em nada, por causa do fogo 'doméstico'.

- Em janeiro, haverá novo Congresso. É altamente provável que Obama seja forçado a dar sossego ao planeta, para atender só emergências domésticas (até o impeachment, estará em pauta). Terá então chegado a hora de a Rússia mover-se. Devagar. Bem devagar.Softly!

- Há luta titânica entre realistas e neoconservadores dentro do governo. De tal ordem que custou a cabeça de Hagel. Pode haver mais cabeças coroadas em vias de rolarem; por que mostrar nossa estratégia, quando Obama vive um momento para respirar. Esperemos até que ele esteja sem ar,  em plena batalha doméstica.

- Em breve começará a campanha presidencial nos EUA. É evento que absorverá muita energia do império. Demos tempo a eles para que se amarrem, pés e mãos, eles mesmos.

2. A política do Império para Síria/Oriente Médio está em ruínas (não se sabe nem se eles são contra ou se são aliados do Estado Islâmico!) 

Esses erros também ajudarão a minar qualquer ataque contra a Rússia. Por que não esperar que as coisas piorem ainda mais, antes de deixar o inimigo ver para onde estamos andando?

3. Assad está vencendo a guerra. A Turquia está em revolta. São problemas que também podem madurar um pouco mais.

4. Em março, chegará a hora de renovar as sanções da União Europeia. Por que atacá-los antes disso? É possível que, em março, o sul da Europa já esteja em franca rebelião ou sob repressão brutal. 

5. O inverno ainda não apertou. Mas apertará, até março. Por que não deixar a guerra dosUkies no gancho, até lá. Podem até morrer de frio.

6. Petróleo a preços baixos está ferindo o ocidente também. Indústrias na Grã-Bretanha e grandes petroleiras ocidentais (Exxon?) já não querem nem ouvir falar das tais sanções. São forças poderosas e cuidarão de minar, por dentro, o ataque do império. Demos tempo a elas.

7. Finalmente, essa batalha apenas começou. O Império está declinante, mas é, por hora, ainda, muito mais poderoso, em termos econômicos e geopolíticos, que a Rússia. E a Rússia está ganhando força. Por que responder o ataque frontal, deles, com defesa 'frontal'? Melhor evitar combate direto e esperar que eles declinem mais e mais, enquanto nos vamos fortalecendo.

Por todas essas razões, para a Rússia, agora, o melhor a fazer é esperar. Resposta de força da Rússia, agora, só fará unir o império em torno do imperador e imobilizar as forças que, dentro do império, opõem-se ou desmobilizam o ataque contra a Rússia.

Simultaneamente, se Putin puser-se a atacar a 5ª coluna, só conseguirá dividir o país, ao mesmo tempo em que mobilizará o império, que terá de dar proteção aos seus agentes. O efeito será zero, no sentido de acrescentar qualquer melhora na atual situação. Nem Glaziev, se estivesse no Banco Central Russo, teria conseguido deter o ataque dessa semana contra o rublo!

Quantos, inclusive nosso Saker, insistiam em que a Rússia invadir a Ucrânia seria resposta apropriada à derrubada de Yanukovych? Putin decidiu que não. E sempre esteve certo, também nisso, não? Putin já está provando que acertou também na ideia de uma Ucrânia federada. A cada dia que passa, a ideia ganha mais aceitação no Donbass.

Putin reina absoluto.

"BRICS" - Brasil, Rússia, Índia, China e África do sul E EM BREVE O 6o. MEMBRO - A ARGENTINA



14 Maio, 17:48

"BRICS" - Brasil, Rússia, Índia, China e África do sul - O caminho da expansão rumo à Argentina

BRICS a caminho da expansão

A Argentina pode se tornar o sexto membro dos BRICS. Enquanto os participantes deste bloco crescente de países estão analisando os prós e contras da expansão, especialistas preveem um futuro bastante otimista para o grupo.

O conceito de bloco de países em desenvolvimento foi formulado no início da década de 2000. A cooperação prática entre Brasil, Rússia, Índia e China começou em setembro de 2006, quando por iniciativa do presidente Vladimir Putin “à margem” da sessão da Assembleia Geral da ONU foi realizada a primeira reunião de ministros do Exterior neste formato. Em 2010, ao grupo se juntou a África do Sul.
Há dias soube-se de uma possível expansão dos BRICS. Ao grupo pode se juntar a Argentina. A Índia, o Brasil e a República da Áfrca do Sul se pronunciaram “a favor”. A China tomou uma posição cautelosa. Segundo Pequim, antes de expandir o bloco essa questão deveria ser discutida entre os participantes dos BRICS. No entanto, independentemente da decisão ser positiva ou negativa, a China apoiou o fortalecimento do diálogo e da cooperação do grupo com países em desenvolvimento.
A Rússia tem uma opinião semelhante. “Nós praticamos uma abordagem construtiva para com quaisquer propostas a esse respeito, independentemente de sua origem”, disse à agência russa RIA Novosti o vice-chanceler russo Serguei Ryabkov. Ele notou que o próprio formato dos BRICS está em fase de formação. “Por isso, quaisquer questões sobre a futura expansão dos BRICS exigem uma consideração cuidadosa e minuciosa”, disse o diplomata.
Entretanto, especialistas concordam que, do ponto de vista político, o potencial já bastante significativo dos BRICS só irá crescer após a adesão da Argentina. Segundo o editor-chefe da revista Latinskaya America (América Latina) Vladimir Travkin, a expansão dos BRICS é um passo na direção certa:
“Se essa questão for discutida na reunião dos membros dos BRICS e os países votarem a favor, isso só beneficiará todos. A adesão da Argentina aos BRICS contribuirá para o fortalecimento das relações entre a Rússia e a Argentina, que é um dos países mais importantes da América Latina com um enorme potencial econômico. Além disso, ela tem um peso sério no cenário internacional.”
No entanto, surgem aqui muitos pequenos problemas, cujas soluções ainda estão por encontrar. Talvez seja justamente por isso que Pequim e Moscou estão demostrando contenção nesta matéria.
Trata-se, em particular, de que a eventual adesão da Argentina ao bloco exigirá um grande número de aprovações e acordos por parte dos membros da organização por causa do vasto território deste país, de sua economia e de sua grande população. Além disso, a Argentina tem uma dívida externa significativa, algo que os países que já aderiram aos BRICS não têm. Potenciais parceiros também podem querer reavaliar o tamanho da economia argentina, o volume de recursos naturais e de investimentos.
Entretanto, Buenos Aires, aparentemente, está procurando acelerar o processo. A adesão aos BRICS pode significar a obtenção de financiamento em condições mais favoráveis do que as oferecidas por outras organizações internacionais. Os líderes dos países do bloco aprovaram ainda no ano passado a decisão de estabelecer suas próprias instituições financeiras e um fundo de reserva no valor de 100 bilhões de dólares para seguro contra a volatilidade do mercado e para apoiar transações mútuas em moedas nacionais. E o Banco de Desenvolvimento dos BRICS que está sendo criado é projetado para investimentos industriais conjuntos. O volume de ativos desta instituição deverá ser de 50 bilhões de dólares.
As capacidades financeiras e, mais importante, políticas dos BRICS atraem não só a Argentina. Anteriormente, o Irã tinha expressado seu desejo de entrar no bloco, e muitos especialistas também estão discutindo a possível adesão à organização de Cazaquistão, Indonésia e México. Assim que o bloco tem muito boas perspectivas, acredita o representante do Instituto da América Latina Boris Martynov:
“Países que conduzem uma política externa verdadeiramente independente em condições de evidente deterioração da situação internacional, de declínio crônico da autoridade do direito internacional – ao que está aplicando esforços o bloco anglo-saxão – esses países devem se manter juntos. Isso é completamente natural.”
Vários especialistas ocidentais acreditam que a adesão da Argentina aos BRICS tem futuro do ponto de vista de construção de um mundo multipolar, mas a diferença de potencial em comparação com a Rússia e a China é demasiado grande para isso. Os especialistas geralmente chamam a atenção a que o bloco é constituído por países com diferentes velocidades estratégicas de desenvolvimento.
Por outro lado, um período de relações tensas entre a Rússia e o Ocidente poderia ter uma influência positiva sobre o desenvolvimento da cooperação no âmbito dos BRICS. Na verdade, muitos países em desenvolvimento estão agora, sem dúvida, pensando sobre o que está acontecendo, tirando suas próprias conclusões, tomando decisões estratégicas a fim de proteger seus ativos. E neste sentido, a crise atual pode acelerar a expansão dos BRICS e a criação de uma zona de livre comércio.
  • #Wilbner RezendeWilbner Rezende 14 Maio, 18:33
    Mau Negócio, muito mau negócio, Argentina esta cheia de dívidas, depois que ela entrar vai virar bagunça; vai ter Chile, Venezuela, Peru e outros, considero esses países estrategicamente fracos.
  • #sebastian_b_bsebastian_b_b 14 Maio, 20:21
    Argentina não, por favor nãooooo
  • #Brasil_NÃO_é_ocidental_Brasil_É_LatinoBrasil_NÃO_é_ocidental_Brasil_É_Latino 14 Maio, 20:51
    Péssima idéia! a partir daí vai começar a virar bagunça! por favor, rejeitem a adesão!
  • #Observador ObservateurObservador Observateur 14 Maio, 21:03
    Péssimo negócio agora. Primeiro deveriam exigir que a Argentina reduza em 95% sua dívida externa, 50% da interna e que demonstre crescimento social. O povo Argentino é guerreiro e merece mas não com uma corrupção enraizada em tudo que é setor como no Brasil. O país tem recursos para promover isso. E o Brasil tem expertise no assunto.
  • #Observador ObservateurObservador Observateur 14 Maio, 21:07
    O Brasil deve prestar atenção aos movimentos da Russia no que se refere a mudança de moeda para comércio de petróleo e gás. A Russia com certeza não vai correr tamanho risco de apoiar o dólar sabendo que a economia ocidental está podre. Tanto a Russia, China, e mesmo Brasil, Venezuela e Irã, teriam um excelente mercado competindo contra a carnificina comercial dos EUA e seus bonecos da UE. Para o Brasil seria até curioso ver o que esses políticos fariam com a CIA no cangote....Acho que ia arregar. São todos covardes mesmo.
  • #Brasileiro Brasileiro 14 Maio, 23:05
    Concordo plenamente com a sua visão, a Argentina não consegue nem pagar seus funcionários públicos vai poder almejar ser uma voz atuante no cenário internacional !!!
  • #Farias CArdosoFarias CArdoso 14 Maio, 23:33
    A matéria diz tudo: “A adesão aos BRICS pode significar a obtenção de financiamento em condições mais favoráveis do que as oferecidas por outras organizações internacionais.”. A Argentina não quer participar dos BRICS para somar, mas sim para se beneficiar. Alias a sua população não é tão grande quanto diz a matéria. É bem menor do que a o México que tem 120,8 milhões (2012) enquanto a Argentina tem 41,09 milhões (2012)
  • #Jose Ronaldo BorgesJose Ronaldo Borges 15 Maio, 00:25
    A Argentina é grande produtora de grãos e carnes. Pode ser interessante para a Russia e China.
  • #Lima de DeusLima de Deus 15 Maio, 00:30
    Cuidado para não incluirem os componentes do FORO DE SÃO PAULO e deixar de ser um bloco econômico para ser um ajuntamento da companheirada e avacalhar a coisa.
  • #Rivenzio Magno Carvalho de LimaRivenzio Magno Carvalho de Lima 15 Maio, 01:21
    Nós estamos muito OTIMISTAS COM A ENTRADA DA ARGENTINA, SERÁ UM IMENSO PRAZER, NÓS AMAMOS A ARGENTINA E OS ARGENTINOS.
  • #rgnascimentorgnascimento 15 Maio, 01:24
    É o início do isolamento americano no mundo?
  • #paulo freitaspaulo freitas 15 Maio, 01:27
    A ARGENTINA PODE ATÉ ADERIR AO BLOCO ECONOMICO.. MNO ENTANTO ESTE PAIS PRECISA SE COMPROMETER EM FAZER MUDANÇAS RADICAIS NA QUESTÃO DAS SUAS FINANÇAS.. ALIÁS A CHINA QUE É A LOCOMOTIVA DO BLOCO ELA TEM O DIREITO E CONDIÇÃO DE EXIGIR DOS MEMBROS DO GRUPO EM DIMINUIR A CORRUPÇÃO E A BUROCRACIA DOS DEMAIS .. ALIÁS TAMBÉM TEM O DIREITO DE TER O BANCO CENTRAL DOS BRICS EM SEU TERRITÓRIO E TAMBÉM DE EXIGIR QUE A SUA MOEDA OM YUAN SEJA A MOEDA DO BLOCO.. PORQUE A CHINA TEM LASTRO ENORME EM RESERVA DE OURO PRA CONTROLAR O VALOR DA MOEDA.. ASSIM PODE TER CERTEZA PODE SE DIZER ADIOS dolar E ADIOS euro...
  • #paulo freitaspaulo freitas 15 Maio, 01:30
    OBRIGADO USA e obrigado EUOPA vocês aceleraram a formação dos BRIcs e aliás conseguiram arrastar para o grupo o interesse do mexico.. argentina e indonésia kkkkkkk
  • #João PauloJoão Paulo 15 Maio, 04:07
    Eu acho que faz mais sentido o México aderir aos BRICS. O México é a grande economia hispânica das Américas, não a Argentina. Angola e Moçambique estão mas promissores como mercados emergentes do que a Argentina, parece inacreditável mas é verdade. Outros países que poderiam aderir aos BRICS são a Turquia e a Indonésia.
  • #Sandro Luiz BrasilSandro Luiz Brasil 15 Maio, 05:59
    Só porque o Papa é Argentino já quer o país se aproveitar da situação ao seu favor, mas é muito mau negócio, mais fácil aceitar o Irã e Paquistão
  • #Scherer AlexanderScherer Alexander 15 Maio, 07:51
    Argentina sim! Os russos e chineses não pregam pregos sem estopa! às vezes é melhor sustentar uma economia menor, porém há que manter espaço geopolítico, vejam o Reino Unido com as Malvinas; tanto a China como a Rússia irão marcar presença, não nas Faukland, mas em toda a Argentina, afora o imenso Brasil:GOL! SHOW DE BOLA!!! O México é sola de sapato dos EUA! Brasil e Argentina: 10 ! !
  • #Jacques ChabanJacques Chaban 15 Maio, 08:33
    Quem fala isso da Argentina não conhece o seu potencial, o potencial do seu povo, o nível médio de escolaridade. Falam da argentina virtual, divulgado noite e dia pela Globo. Modestamente eu sou um dos brasileiros que mais conhecem a Argentina, conheço com detalhe as 24 províncias. Amigos argentinos até dizem que eu conheço a Argentina mais do que a grande parte dos argentinos. Quando sair de férias dê uma passada pelas províncias de Missiones, Corrientes, Formosa, Chaco, Santiago Del Estero,Santa Fé, Entre Rios, Córdoba, Tucumán, La Pampa, Buenos Aires, Neuqén e Rio Negro. Vocês verão ver que as terras dessas províncias são semelhante ou até melhor do que as férteis terras da região sul do Brasil, só que representam mais de um milhão e meio de quilômetros quadrados. Sem contar, como já disse, o povo Argentino tem escolaridade muito superior a média do BRICS, ou seja, está pronto para atuarem em qualquer ramo de alta tecnologia.
  • #mario silveiramario silveira 15 Maio, 10:40
    O problem da transgênia e da vaca louca são de extrem gravidade a toda a humanidade, inclusive há rumores de saberem da presença da proteina modificada a muito na europa , e, só não divulgado por interesses financeiros de razões imperialistas, colonialistas, genocidas e de disfarçado futuro nos objetivos de exterminio em massa em cruzamentos degenerado de bos taurus com bos indicus ,o que em parte conseguiram com o gado holandês na India, implantando predisposições genética.
  • #Marcos Trindade de SouzaMarcos Trindade de Souza 15 Maio, 16:17
    Os BRICS querme criar o seu próprio banco, e irão escolher a Argentina como cobaia para isto. Fazendo empréstimo aos hermanos e alavancando a economia deste país provará a viabilidade do fundo, aí adeus FMI. Outra questão é que a argentina irá incomodar the UK devido à Falkland e isso tirará o foco da rainha para da Russia para a américa latina. Economicamente tb acredito na adesão da Indonésia agora México Calinte e Turquia não solas dos sapatos estadunidenses e mexer com eles será análogo a mexer na Ucrania, o tio San vai se mexer...
  • #Marcos Trindade de SouzaMarcos Trindade de Souza 15 Maio, 16:29
    Também penso que o nome BRISCS irá mudar para um nome que não seja o das iniciais dos países se não ficará BRICSA depois BRICSAM depois BRICSAMI no final BRICSAMIKFNGPSJFPIJF WJNVKSJNFJOJOGIJFOIJ...
  • #Adimilson NunesAdimilson Nunes 18 Maio, 02:28
    Vejo com bons olhos a Argentina. Apesar dos seus numerosos problemas. Teremos novidades a partir de 20 de maio agora. Putin irá a Beijing e se reunirá com dirigentes chineses e um mega-acordo no fornecimento de gás russo será assinado, provavelmente. E tudo isso em yuans/rublos. Por que eu refuto o México? Basta revivermos o dia 1º de janeiro de 1994, o levante do EZLN do subcomandante Marcos em Chiapas. E por que? A adesão do México ao Nafta. E quem canetou pelo México foi o criminoso Carlos Salinas. Hoje a situação mexicana é ruim. Várias indústrias de base quebraram. Os salários pagos são indignos. O México é o resultado do que foi e do que é esse Nafta. Prevejo que dentro de alguns anos, os BRICS poderão abrigar a Argentina, se não for eleita nesta vez e, Venezuela, Irã, Vietnã, Angola, Cazaquistão, Indonésia. Caso o Peru mantenha sua linha atual de gestão, poderá ser uma agradável surpresa além do Equador. Sugeriria a Tailândia desde que os militares não se intrometessem mais na vida política do país com seus golpes. O Chile, eu descarto, é uma sociedade profundamente dividida e o país é vendido como uma mentira para o exterior. A pobreza é crônica entre os chilenos. Fruto das aplicações econômicas dos alunos de Chicago - Chicago Boys. Quanto ao nome da plataforma BRICS, acharia sensato quando da adição de cada nação, que houvesse essa nomenclatura: BRICS+1, BRICS+2, BRICS+3 e assim por diante. Mencionei o Irã porque o governo local pretende comercializar com a Rússia e a China pagando nas moedas destes dois países. O rial persa é fraquíssimo e não tem paridade pra competir com qualquer moeda da plataforma BRICS então Teerã já assumiu o compromisso de pagar as transações em rublos e yuans. A derrocada do dólar está próxima e rogo a Deus, estar vivo para ver tudo isso.
  • #Paulo Emilio AstutoPaulo Emilio Astuto 20 Maio, 02:32
    Eu sinceramente não sei o porquê de Argentina. Pela ordem natural das coisas deveria ser o México, que atualmente é a 15ª maior economia do mundo. Entretanto sabemos que o México é um Estado fantoche dos Estados Unido. O mais indicado então seria a Indonésia, a 16ª maior economia do mundo e a maior nação muçulmana do planeta. Argentina é apenas a 29ª economia do mundo e vai muito mal das pernas, além de ser uma contumaz criadora de casos...
  • #Sandra SoaresSandra Soares 11 Junho, 14:16
    O Brasil nnão apóia a entrada da Argentina no BRICS, e não vai apoiar nunca. A Rússia apoiiaria a entrada do Casaquistão, país que está ems ua área de influência? A força do BRICS está em reunir países com um determinado peso territorial, estratégico ou geopólítico, que têm, cada um, uma área espécífica de influência no mundo. Na América do Sul, o único BRICS que existe é o Brasil, e não poderão haver dois.
    Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/2014_05_14/BRICS-a-caminho-de-expansao-5701/