domingo, 31 de agosto de 2014

DONETSK EX-UCRÂNIA - MILICIANOS TOMAM Novoazovsk E "CNN" VISITA A CIDADE E DESMENTE KIEV


"CNN" AMERICANA visita a cidade retomada ao exército ucraniano e constata:
Não há sinais de invasão russa na cidade de Novoazovsk - Ucrânia, a situação é pacífica, contradizendo o que Kiev diz, que a cidade foi tomada pelos russos, é mentira, a cidade foi retomada pelos ucranianos separatistas.

CNN - Tópico: Situação no sudeste da Ucrânia

There are no signs of “marauding” Russian Army in the town, with locals being much more concerned with the Ukrainian military.
© AP Photo / Sergei Grits 21:02 31/08/2014

Não há sinais de "saqueadores" do Exército russo na cidade, com os moradores sendo muito mais preocupado com o exército ucraniano.


MOSCOU, 31 ago (RIA Novosti) - A situação no sudeste da cidade de fronteira da Ucrânia de Novoazovsk é calmo e não há sinais de forças militares russas, segundo a CNN.

Para uma cidade no epicentro do que Kiev disse que houve uma invasão militar direta por parte da Rússia ", em Novoazovsk, a CNN AMERICANA desmente Kiev, a situação não poderia ser sentir mais tranquila, a CNN informou neste sábado.

Não há sinais de "saqueadores" Exército russo na cidade, com os moradores sendo muito mais preocupado com o exército ucraniano, de acordo com o repórter da CNN.

"Eu ouvi rumores sobre alguns tanques russos, mas ninguém podia provar que eles estiveram aqui, ninguém os viu. Tenho mais medo do exército ucraniano de qualquer maneira. Eles vêm por aqui em motocicletas, com armas. Às vezes, eles estão bêbados ", disse um morador local.

As milícias tomaram a cidade das forças ucranianas na quarta-feira e quer tomar Mariupol, um importante porto no Mar de Azov.

"É uma questão de treinamento, e os meus homens estão mais bem treinados do que as forças da Ucrânia", um comandante das forças independentistas, disse à CNN, sublinhando que os tanques da milícia têm vindo a utilizar são despojos de guerra ucranianos e não os da Rússia.

Desde abril, as autoridades ucranianas têm vindo a realizar uma operação militar contra os apoiantes da independência no leste da Ucrânia que se recusaram a reconhecer a legitimidade do novo governo ucraniano.

O Ocidente acusou repetidamente a Rússia de construir forças na sua fronteira com a Ucrânia oriental e fornecimento de apoiantes da independência com armas, uma declaração rejeitada por Moscou, e, agora confirmada pela CNN, pelo visto aqui a mentira tem pernas curtas.

DONETSK EX-UCRÂNIA - TERROR JUDAICO SIONISTA BOMBARDEIA GASODUTO




O MÉTODO É O MESMO USADO NA SÍRIA, GAZA, LÍBIA, AFEGANISTÃO, RCA E IRAQUE - OS MERCENÁRIOS TERRORISTAS DO JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL, PROCURAM ATINGIR MAIS OS SETORES COM GRANDE DENSIDADE POPULACIONAL.
Os TERRORISTAS são os mesmos que atuam na África, sob o nome de "Boco Haram" e "Al Chabab", na Ucrânia levam o nome de "Neo Nazistas"e  "SS", onde assassinaram 48 manifestantes de Odessa, num incêndio criminoso na Casa dos Sindicalistas, na Síria, Iraque e Afeganistão são denominados de "Al Qaeda", "Estado do Levante" ou "Califado", onde já mataram mais de 500 000 civis nestes países, no México são chamados de "Traficantes", e atuam nos assassinatos seletivos de políticos que não aderem ao Sionismo e também nos assassinatos de imigrantes sul americanos ilegais rumo aos EUA, na Líbia são chamados de "Islamitas" e "Jihadistas", aqui além de assassinar "Kadhafi", assassinaram aproximadamente 100 000 civis líbios.

Bombardeios atingem gasoduto na 

zona oeste de Donetsk

Ucrania, gasoduto, bombardeio, Donetsk
Foto de arquivo

O gasoduto na parte ocidental de Donetsk foi danificado na sequência de bombardeios contínuos da cidade pela artilharia ucraniana, lê-se numa nota disponibilizada no site da prefeitura.

Anteriormente, moradores da cidade tinham relatado ouvir explosões produzidas por projéteis de armas pesadas em quatro bairros de Donetsk. Às 17h00 locais (11h00 em Brasília) foi bombardeada uma vila no oeste da cidade.

"Um projétil perfurou o gasoduto na rua de Slepnev, dois prédios residenciais de nove andares ficaram com vidros quebrados. Informações sobre vítimas estão sendo apuradas", 
especifica a nota 

CORRIDA SEM FIM - China desenvolve submarino supersônico


Hoje, 11:59

China desenvolve submarino supersônico

China, submarino

O material publicado pelo South China Morning Post sobre as pesquisas na área da supercavitação que estão sendo realizadas pelo Instituto Politécnico de Harbin provocou um grande interesse da mídia internacional. Uma especial atenção foi suscitada pela afirmação dos pesquisadores chineses sobre a possibilidade de criação de submarinos supersônicos, ou seja, potencialmente capazes de atingir a velocidade do som em posição submersa.

A continuação dos trabalhos sobre supercavitação significa que a China, ao que tudo indica, continua investindo meios consideráveis na criação de um sistema de armas usando tecnologias desenvolvidas com os torpedos soviéticos Shkval.

As últimas informações podem criar a ideia que os pesquisadores chineses continuam trabalhando em mais um projeto exótico fantástico que não permitirá obter resultados práticos em um futuro previsível. Os objetivos desse projeto são, contudo, bastante práticos.

O princípio da exclusão total do contato com a água, usado em navios sobre almofadas de ar, também pode ser usado debaixo de água. O movimento dentro de água, a uma velocidade superior a 180 quilômetros por hora, provoca a criação de uma bolha de cavitação, que protege totalmente o corpo em movimento do seu contato com a água e reduz a resistência da água. Esse fenômeno obteve a designação de supercavitação.

Ainda nos anos de 1990 a China adquiriu ao Cazaquistão 40 mísseis soviéticos subaquáticos VA-111 Shkval, que usavam o princípio da supercavitação e capazes de atingir debaixo de água velocidades de 200 nós (cerca de 370 km/h). Simultaneamente decorriam negociações também com a parte russa para a compra das respectivas tecnologias. Foram desenvolvidos trabalhos para a criação de um análogo chinês do Shkval.

Os materiais anteriormente publicados na Internet chinesa demonstram que a China conseguiu criar antes de 2006 o seu próprio análogo do foguete subaquático Shkval e que possuía características aprimoradas por comparação com seu original soviético. As características do sistema chinês, que passou em todos os testes, foram reconhecidas como satisfatórias e seus criadores foram condecorados.

Entretanto, neste momento não existem informações acerca da sua produção em série e utilização. Isso não é de admirar. Apesar das suas características únicas, o Shkval tinha um nicho tático de utilização bastante estreito. O torpedo-foguete subaquático, possuindo uma enorme velocidade, era extremamente ruidoso e não podia ser equipado com um sistema de pontaria. Ele era disparado em linha reta e tinha um alcance limitado. Na marinha soviética ele era apenas equipado com uma ogiva nuclear e era, na prática, uma “arma de último recurso” em submarinos nucleares, que só poderia ser usada numa Terceira Guerra Mundial.

A marinha russa retirou este sistema do seu efetivo. Ele também dificilmente corresponde às necessidades da marinha chinesa, tanto mais que a China possui um arsenal nuclear limitado e não está instalando armas nucleares. Outro país que desenvolveu um análogo aproximado do Shkval foi o Irã, o qual, segundo tudo indica, poderá usar essa arma para bloquear o estrito de Ormuz.
A continuação dos trabalhos na área da supercavitação mostra que a China provavelmente continua investindo consideravelmente na criação de um sistema de armas que recorra às tecnologias desenvolvidas com o Shkval. Pelo visto os chineses esperam que seu foguete subaquático possa superar as insuficiências relacionadas com seu alcance limitado e ausência de sistema de pontaria. Algumas tentativas de evolução nesse sentido também foram realizadas nos últimos anos de existência da URSS.

A solução desses complexos problemas de engenharia pode resultar no aparecimento na marinha chinesa, além dos mísseis balísticos anti-superfície já conhecidos, de mais um tipo de arma que altera completamente as regras do jogo da guerra naval.

Entretanto, tendo adquirido tecnologia soviética de ponta para a época e continuando seu desenvolvimento, a China provavelmente já estará em posições de liderança mundial nessa área. As investigações da supercavitação também eram desenvolvidas pela agência norte-americana de estudos perspectivos DARPA. Além disso, também a Alemanha esteve desenvolvendo seu torpedo supercavitante Barracuda.
 

POLÍTICA - "BALCÃO DE NEGÓCIOS" DA CÂMARA, NA MIRA DO DEPUTADO "Chico Leite"

Negociatas

Voto secreto é artifício de quem faz do mandato "balcão de negócios"



















SAIU NO CORREIO
CorrupçãoCorrupção (Foto: Reprodução)




















A única missão do voto secreto, segundo o deputado
 distrital Chico Leite (PT-DF), entrevistado ontem 
no estúdio do Correio Braziliense, é possibilitar aos 
parlamentares “fazer do mandato um balcão de
 negócios em nome de interesses inconfessáveis”. 

“Aquele que não tem coragem de manifestar 
sua opinião não pode representar ninguém”,
 afirmou Leite.

Embora considere que a aprovação da Proposta
 de Emenda à Constituição n° 196/2012, que coloca
 fim ao anonimato nos processos de cassação de
 mandato, já seria uma vitória, o deputado insistiu na 
urgência do voto aberto em qualquer ocasião. 
“Voto secreto só se justifica para o eleito;
 para o eleitor, nunca.”

Fonte: Correio Braziliense  |  Editor: Paulo Pincel


o eleitor tem o direito de saber como vota seu vereador,
seu deputado e seu senador.
Ficará mais difícil a vida dos parlamentares que tiverem 
que decidir sobre a cassação de um colega.
De um lado, os compromissos partidários e os laços de 
amizade que se estabelecem nas casas legislativas. 
De outro, a pressão legítima dos eleitores,
que não desejam ser cúmplices de quem cometeu crimes
 no exercício de cargos públicos,
reafirma o DEPUTADO "Chico Leite" .

 A propósito o Chico é candidato novamente, e na eleição passada
 foi o deputado mais votado em Brasília, 

sábado, 30 de agosto de 2014

POLÍTICA - "Chico Leite" O PRIMEIRO A ABDICAR DOS 14o. E 15o. SALÁRIOS NO BRASIL, QUE FORAM EXTINTOS SÓ 8 ANOS DEPOIS


A economia aos cofres públicos foi descomunal, desta vez uma andorinha fez verão, envergonhados os outros parlamentares foram obrigados e extinguir o benefício espúrio e lesivo ao erário 8 anos após a iniciativa heroica do conciênte e despojado DEPUTADO "Chico Leite", que considerava este "beneficio" como "APROPRIAÇÃO INDÉBITA", "FURTO" E "ESTELIONATO", contra a sofrida população brasileira.
 

 Chico Leite é incansável e fervoroso na luta contra as injustiças praticadas contra o povo.
 Porque o parlamento não concedeu este benefício ao povo em geral?
 Porque o parlamento só concedeu este benefício a sí mesmo?

A propósito o Chico é candidato novamente, e na eleição passada foi o deputado mais votado em Brasília, 


POLÍTICA - DEPUTADO "CHICO LEITE" INCANSÁVEL CONTRA OS CORRUPTOS E PSEUDO-POLÍTICOS


Roberto Barroso - um ministro não alinhado, nem ESQUERDA, nem DIREITA e sim o DIREITO, recebe o apoio do Deputado Chico Leite, que enalteceu a decisão correta do Eminente Ministro
Chico Leite é incansável e fervoroso na luta contra o voto secreto, que o mais das vezes, trás dissabores e compromete o legislativo ante a opinião pública.

Ora, se o cargo dos parlamentares é público, porque as decisões tem que ser secretas?

Quem tem o que esconder, não deve ser parlamentar, tem que ser ESPIÃO ou BANDIDO, que age  sorrateiramente para obter sucesso em suas inconfessáveis empreitadas, não o parlamentar que tem de mostrar a CARA e as MÃOS limpas!...

Quantos parlamentares podem se mostrar? O Chico mostra a sua CARA, ao circular no meio do povo, nos bares, restaurantes e padarias que frequenta, onde ouve e é ouvido, tanto pelos empresários, funcionários e até os engraxates, inclusive é admirado por seus opositores, pois tem as MÃOS limpas!...

A propósito o Chico é candidato novamente, e na eleição passada foi o deputado mais votado em Brasília,
















sexta-feira, 29 de agosto de 2014

UCRÂNIA - Moscow Ridicules NATO's Images of Alleged Russian Troops in Ukraine


Moscow Ridicules NATO's Images of Alleged Russian Troops in Ukraine

 

Topic: Situation in the South-East of Ukraine

Russia’s Defense Ministry spokesman Maj. Gen. Igor Konashenkov says that NATO's Images of Alleged Russian Troops in Ukraine  have become ridiculous.
02:17 29/08/2014
Tags: troops, satellite shots, military conflict, NATO, Igor Konashenkov, Ukraine, Russia
MOSCOW, August 28 (RIA Novosti) - Moscow sees no sense in commenting on what NATO calls that it has satellite shots of Russian troops in Ukraine, Russia’s Defense Ministry spokesman Maj. Gen. Igor Konashenkov said Thursday.
"You know, it has become ridiculous… If earlier, someone would at least put their names to those images, be it Breedlove, Rasmussen, or even Lungescu, now, they are hesitant," Konashenkov said, referring to NATO Supreme Allied Commander Europe Philip Breedlove, Secretary General Anders Fogh Rasmussen and Spokesperson Oana Lungescu.
"It makes no sense to seriously comment on this," he added.
He added that the phrase "NATO published shots of Russian troops in Ukraine" has become too common lately.
"The phrase 'NATO published satellite shots of Russian troops' presence in Ukraine" has become as common in recent months as the famous 'British scientists have discovered…' As a rule in media, those words are followed by the results of some new crazy research that has no practical sense whatsoever," Konashenkov said.
On Thursday, Ukrainian President Petro Poroshenko said that Russian troops had entered Ukraine. The statement came as NATO released satellite images that it claimed were showing Russian self-propelled artillery on the Ukrainian territory. The alliance said about 1,000 Russian servicemen were taking part in hostilities in eastern Ukraine.
Washington failed to verify the information, US Department of State spokesperson Jen Psaki said, adding, however, that the State Department had "no reason to doubt their [NATO's] assessment."
Andrei Kelin, Russia’s envoy to the Organization for Security and Co-operation in Europe (OSCE), denied Kiev’s accusations, saying that "there are no Russian convoys" in Ukraine.
Kiev authorities launched a special military operation in mid-April in the southeast of Ukraine against independence supporters, who refused to recognize the legitimacy of the country’s coup-imposed government.
Since the beginning of the military conflict, Kiev has been accusing Russia of sending troops and weaponry to independence supporters in the region.
Russia has repeatedly denied any involvement in the Ukrainian crisis, urging Kiev to stop the bloodshed and establish a direct dialogue with representatives of Luhansk andDonetsk regions.

UCRÂNIA - RÚSSIA RESSALTA AS MENTIRAS E AS FALSAS IMAGENS QUE A OTAN E KIEV PUBLICAM


Moscou ridiculariza Imagens da OTAN
          de supostas tropas russas na Ucrânia
 Russia’s Defense Ministry spokesman Maj. Gen. Igor Konashenkov says that NATO's Images of Alleged Russian Troops in Ukraine  have become ridiculous.
Tópico: Situação no sudeste da Ucrânia
O porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia Maj. Gen. Igor Konashenkov diz que as imagens da OTAN de supostas tropas russas na Ucrânia tornaram-se ridículas.

© RIA Novosti. Vitaly Ankov
02:17 29/08/2014

MOSCOU, 28 de agosto (RIA Novosti) -.
Moscou não vê sentido em comentar sobre o que a OTAN exibe que ela tem fotos de satélite de tropas russas na Ucrânia, porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia major-general Igor Konashenkov disse quinta-feira.
"Tornou-se ridículo ... Se antes, alguém, pelo menos, colocasse seus nomes para essas imagens, seja Breedlove, Rasmussen, ou mesmo Lungescu, agora, eles estão hesitantes", Konashenkov disse, referindo-se ao Comandante Supremo Aliado da Europa Philip Breedlove, secretário-geral Anders Fogh Rasmussen e Porta-voz Oana Lungescu da NATO .
"Não faz sentido comentar seriamente sobre isso", acrescentou.
Ele acrescentou que a"NATO publica sobre tiros de tropas russas na Ucrânia" se tornou muito comum ultimamente. 
"A 'NATO tem publicado tiros de satélite de tropas russas' presença na Ucrânia" se tornou tão comum nos últimos meses, como os famosos cientistas britânicos descobriram ... 'Como regra nos meios de comunicação, essas palavras são seguidas pelos resultados de um novo louco pesquisa que não tem qualquer sentido prático ", disse Konashenkov.
Na quinta-feira, o presidente ucraniano Petro Poroshenko disse que as tropas russas entraram na Ucrânia. A declaração veio baseada na divulgação da NATO, que citou imagens de satélite que foram reivindicadas mostrando artilharia autopropulsada russo no território ucraniano. A aliança disse que cerca de 1.000 soldados russos estavam a tomar parte nas hostilidades no leste da Ucrânia.
Washington não conseguiu verificar as informações, o porta-voz do Departamento de Estado Jen Psaki dos EUA disse, acrescentando, porém, que o Departamento de Estado tinha "nenhuma razão para duvidar da sua avaliação [da NATO]."
Andrei Kelin, o enviado da Rússia à Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), negou as acusações de Kiev, dizendo que "não há comboios russos" na Ucrânia.
As autoridades de Kiev lançaram uma operação militar especial em meados de abril, no sudeste da Ucrânia contra apoiantes da independência, que se recusaram a reconhecer a legitimidade do governo impôs-golpe do país.
Desde o início do conflito militar, Kiev tem acusando a Rússia de enviar tropas e armamentos para os apoiantes da independência da região.
Rússia tem repetidamente negado qualquer envolvimento na crise ucraniana, e pedindo para parar o derramamento de sangue e estabelecer um diálogo direto com representantes das regiões Luhansk e Donetsk.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

UCRÂNIA - Donetsk Self-Defense Forces Joined by French Volunteers - Interview


Donetsk Self-Defense Forces Joined by French Volunteers - Interview

Topic: Situation in the South-East of Ukraine

We came to Donbas, where civilians are being killed by agents from Kiev - French volunteer
18:46 21/08/2014
Tags: volunteers, military conflict, Ukrainian Armed Forces, Donetsk, Libya, Ukraine, Syria, France,Russia

MOSCOW, August 21 (RIA Novosti) - The military conflict in southeastern Ukraine has been the focus of politicians, the military and journalists around the world for almost six months now. The world is divided between supporters of Kiev’s new government and those who support the self-defense forces in the southeast.
The Western countries unanimously support the Ukrainian government economically, politically, and via the flow of information. Moreover, there are regular reports of foreign recruits from the US, Italy, Georgia and some other countries fighting in the Ukrainian army and in its National Guard.
However, even among Western countries that have been caught in an information war against  southeastern Ukraine and Russia, there is support for the self-defense troops of the Donetsk and Lugansk people’s republics. They are willing to lend moral support and even personally help the people of Novorossiya. Some are even eager to enlist.
Several days ago, several French volunteers contacted RIA Novosti. They’d just arrived in  southeastern Ukraine and already felt compelled to tell their first-hand stories about the civil war there to the people of France. What other reasons led them to fight for the besieged people’s republic? They told Sergei Safronov, Head of the Security Agencies Newsdesk, their reasons for taking up the fight.
First of all, please introduce yourself and tell us what brought you to Ukraine.
Guillaume: My name is Guillaume. There are four of us from France; the others are Michel, Victor and Nicolas. We are French volunteers and basically the first wave of an entire group of our fellow citizens, who are either preparing for a trip to Ukraine or are already on their way.
Are there any more French people in Donetsk?
Guillaume: No, but I hear there are some Spanish people. We haven’t seen them yet.
Did you bring a weapon? Are you from the military or are you civilians?
Guillaume: Of course we did not bring any weapons, but we received some from the militia. These are personal service firearms. We are not servicemen at all; we are civilians – basically political volunteers.
Guillaume, you still haven’t mentioned your reasons for going to Ukraine. Why are you here?
Guillaume: We support the geopolitical idea of European unity. We are both revolutionaries and traditionalists. We came to Donbas, where civilians are being killed by agents from Kiev. Those who are conducting this terrorist operation in Donbas are the henchmen of the international mafia oligarchs.
You should clearly understand it is the third world war going on. It started in Libya then moved to Syria and now to Donbas. We can see that Russia is one of a small number of countries that challenged and is almost single-handedly fighting international globalism. It is some kind of a Reconquista. We are here to help Russia in this fight.
Do you get paid?
Guillaume: No, we are not here to make money; no one pays us. Moreover, we paid quite a lot to get here.
How long do you plan to stay here?
Guillaume: For as long as it is necessary to inform the people of France about what is happening here.
Do your family and friends know where you are?
Guillaume: We told a small circle of friends. France doesn’t know we are here. France doesn’t even know that Donbas is at war. The Western media do not report anything. On the contrary, the Western media present Russia as an enemy, an aggressor, a terrorist country. They don’t say anything about the war in Ukraine.
Our presence here will allow the French to receive first-hand information.
Have you already taken part in military operations?
Guillaume: Not yet, but we are ready to take part. It is one of the reasons why we are here.
Where exactly are you?
Guillaume: We are in Donetsk, the Donetsk People’s Republic.
How do you communicate with the self-defense fighters? As far as I understand, you don’t speak Russian or Ukrainian. How do you communicate?
Guillaume: With sounds and gestures.
Good luck!
Guillaume: Merci.

UCRÂNIA - VOLUNTÁRIOS FRANCESES LUTAM AO LADO DOS SEPARATISTAS DO LESTE


Entrevista:

Voluntários - franceses que lutam ao lado das forças de Autodefesas unidas por Donetsk    
 

Tópico: Situação no sudeste da Ucrânia

We came to Donbas, where civilians are being killed by agents from Kiev - French volunteer
MOSCOU, 21 de agosto (RIA Novosti) 

O conflito militar no sudeste da Ucrânia tem sido 
o foco de políticos, militares e jornalistas de todo
o mundo por quase seis meses. 

O mundo está dividido entre partidários do novo governo de Kiev e os que apoiam
as forças de auto-defesa no sudeste.
 

Os governantes (GERALMENTE SÃO JUDEUS SIONISTAS OU SÃO SEUS CAPACHOS) dos países ocidentais, e não os povos destes países, por unanimidade apoiam o governo ucraniano economicamente, politicamente, e via o fluxo de informações. 
Além disso, há relatos regulares de mercenários terroristas estrangeiros dos EUA, Itália, Geórgia e outros países que lutam no exército ucraniano e em sua Guarda Nacional.
No entanto, mesmo entre os países ocidentais que foram capturados em uma guerra de informação contra a Ucrânia, sudeste e Rússia, há apoio para as tropas de autodefesa das repúblicas de Donetsk e Lugansk. Eles estão dispostos a dar apoio moral e até mesmo pessoalmente, ajudar o povo de Novorossiya. Alguns são até mesmo ansiosos para se alistar.
Alguns dias atrás, vários voluntários franceses contactados por RIA Novosti. 


Eles tinham acabado de chegar no sudeste da Ucrânia e já se sentiram compelidos a contar suas histórias em primeira mão sobre a guerra civil para o povo da França. Que outros motivos os levaram a lutar pela República Popular sitiados? Disseram Sergei Safronov, chefe dos serviços de segurança Newsdesk, suas razões para entrar na luta.
 

Primeiro de tudo, por favor, apresente-se e diga-nos o que você trouxe para a Ucrânia.
 

Guillaume: 
Meu nome é Guilherme. Há quatro de nós da França; os outros são Michel, Victor e Nicolas. Somos voluntários franceses e, basicamente, a primeira onda de um grupo inteiro de nossos concidadãos, que estão se preparando para uma viagem para a Ucrânia ou que já estão a caminho.
Existem mais franceses em Donetsk?
 

Guillaume: 
Não, mas ouvi dizer que há alguns espanhóis. Nós não vimos ainda.

Trouxe uma arma? Você é militar ou civil?
 

Guillaume: 
Claro que não trouxe nenhuma arma, mas recebemos algumas dos milícianos. Estas são as armas de fogo de serviço pessoal. Nós não somos militares; somos civis - basicamente voluntários políticos.
Guillaume, você ainda não mencionou as suas razões para vir à Ucrânia. Por que você está aqui?
 

Guillaume: 
Apoiamos a idéia geopolítica da unidade europeia. Nós dois somos revolucionários e tradicionalistas. Viemos para Donbas, onde os civis estão sendo mortos por agentes mercenários terroristas de Kiev. Aqueles que estão realizando esta operação terrorista em Donbas são os capangas dos oligarcas mafiosos internacionais, ou seja, o "JUDAICO SIONISMO DE lSRAEL".
 

Você deve entender claramente que é a terceira guerra mundial em curso. Tudo começou na Líbia, em seguida, mudou-se para a Síria e agora para Donbas. Podemos ver que a Rússia é um de um pequeno número de países que desafiaram e estão praticamente sozinhos lutando contra globalismo internacional. É uma espécie de Reconquista. Estamos aqui para ajudar a Rússia nesta luta.
Você é pago?
Guillaume: 

Não, nós não estamos aqui para ganhar dinheiro; ninguém nos paga. Além disso, pagamos muito para chegar até aqui.
Quanto tempo você pretende ficar aqui?
Guillaume: 

Por quanto tempo for necessário,  para informar o povo da França sobre o que está acontecendo aqui.
A sua família e amigos saibam onde você está?
Guillaume: 

Dissemos a um pequeno círculo de amigos. A França não sabem que estamos aqui. O povo da França ainda não sabe que Donbas está em guerra. Os meios de comunicação ocidentais não informam nada. Pelo contrário, os meios de comunicação ocidentais apresentam a Rússia, como um inimigo, um agressor, um país terrorista. Eles não dizem nada sobre a guerra na Ucrânia.
Nossa presença aqui permitirá que os francêses recebam informações em primeira mão.
Você já participou de operações militares?
Guillaume: 

Ainda não, mas estamos prontos para participar. É uma das razões por que estamos aqui.
Onde exatamente você está?
Guillaume: 

Estamos em Donetsk, na República de Donetsk.
Como você se comunica com os lutadores de auto-defesa? Até onde eu entendo, você não fala russo ou ucraniano. Como você se comunica?
Guillaume: 

Com sons e gestos.
Boa sorte!
Guillaume: 

Merci.

TRANSGÊNICOS - RÚSSIA SUSPENDE IMPORTAÇÃO DE MILHO DA MONSANTO - É CAUSADOR DE CANCER, OBESIDADE E ESTERILIDADE




Rússia suspende importações de milho da Monsanto, que além de causar câncer, obesidade e má formação de órgãos, causa também esterilidade

EPA

O governo da Rússia suspendeu a importação e venda de milho geneticamente modificado da Monsanto depois de um estudo francês sugerir que o alimento pode causar câncer, má formação de órgãos, esterilidade, ETC...


O relatório elaborado pela Universidade da França de Caen, publicado na semana passada, afirmou que ratos alimentados durante um período de dois anos com milho transgênico da empresa desenvolveram mais tumores e outras patologias que um grupo de animais que comeram milho orgânico. O milho é geneticamente modificado PELA monsanto.
Capa do DVD que mostra irregularidades praticadas pela Monsanto
A decisão das autoridades russas aconteceu depois que o Instituto de Nutrição do país constatou os mesmos problemas.
Leia mais:
 http://portuguese.ruvr.ru/2012_09_26/89419606/