terça-feira, 23 de dezembro de 2014

UCRÂNIA - MARTINOV, MODUS OPERANDI NA POLÍTICA É A CHANTAGEM E EXTORSÃO


Martynov: renúncia de Kiev ao não-alinhamento é chantagem

O abandono por parte da Ucrânia do seu status de país não-alinhado é apenas uma tentativa de chantagem e extorsão, uma vez que a adesão do país à OTAN destruirá completamente o seu complexo militar-industrial e causará desemprego, acredita o diretor do Instituto Internacional de Novos Estados, Alexei Martynov.

"As autoridades de Kiev são mais propensas a falar sobre a OTAN, sobre o status de país não-alinhado para fazerem chantagem e regatearem, como fazem em qualquer questão. Trata-se de um modus operandi da política ucraniana moderna – chantagem e extorsão", disse o especialista.
Segundo explicou Martynov, falar sobre a adesão à OTAN não significa ser membro da aliança, "porque os países como a Ucrânia não podem ser membros plenos da aliança, em princípio". Ele observou que a adesão à OTAN implica adaptação das Forças Armadas, equipamento e pessoal aos padrões da aliança.
"Mas a própria Ucrânia tem um complexo militar-industrial muito forte. Assim, se a Ucrânia se juntar à aliança, ele já não será útil, visto que o complexo militar-industrial está definido para padrões soviéticos e russos. É impossível reconstruir a indústria militar em curto prazo. Além disso, a própria OTAN não necessita do complexo militar-industrial ucraniano. Portanto, ele será fechado e enterrado", afirmou Martynov.
Ele acrescentou que, como "o equipamento é um dos principais motores do desenvolvimento da economia e da inovação, o seu abandono resultará em um aumento do desemprego" e a Ucrânia não será capaz de dar esse passo, porque "ninguém nunca lhe compensará tais perdas".
O parlamento da Ucrânia aprovou uma lei esta terça-feira que aboliu o status de país não-alinhado, fixando o desejo de Kiev de aderir à OTAN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário