domingo, 7 de dezembro de 2014

EUA JUDAICO SIONISTA - ACUSAÇÕES CONTRA A RÚSSIA SÃO INFUNDADAS E FALSAS, DECLARA O CONGRESSISTA AMERICANO "RON PAUL"


Ontem, 15:11

A Resolução da nova 

Velha Guerra Fria - Congressista americano desnuda a intensão malévola de "Washington Judaico Sionista"

O NOSSO GOVERNO MENTE E FALSIFICA

Os Estados Unidos responderam imediatamente ao discurso de ontem do presidente russo, Vladimir Putin, com os comentários do Departamento de Estado e a resolução antirrussa 758 da Câmara dos Representantes. O documento caracteriza de forma inaceitável a Rússia como país agressor e aborda uma série de alegados lados fracos políticos, econômicos e militares da Rússia. 
As razões principais da resolução 758 são os mitos(MENTIRAS) geopolíticos e os ressentimentos gerados pela impotência, que os americanos tem de resolver seus problemas, e o pior, de mascarar suas reais intenções intervencionistas e de dominação, emfim, os EUA JUDAICO SIONISTA querem tampar o sol com uma peneira.
resolução 758 demonstra a desonestidade dos americanos e confirma a seriedade dos russos, é um tiro no próprio pé, se antes havia alguma dúvida nas intenções dúbias judaico sionistas americanas, hoje não há.

A resolução "contém 16 páginas de propaganda da guerra", escreveu em sua página no Facebook o diretor do Instituto pelo Paz, congressista Ron Paul. Ele analisa em detalhe os parágrafos individuais do documento, afirmando que as acusações contra a Rússia são infundadas e falsas.
Assim, o 3º parágrafo acusa a Rússia de invadir o território da Ucrânia e condena a violação da soberania do Estado. "Com os nossos satélites sofisticados, que são capazes de ler uma placa de licença a partir do espaço, poderíamos ter um vídeo e fotos dessa invasão russa", disse ironicamente Ron Paul.
Quanto à "violação da soberania", o envolvimento dos EUA na derrubada do governo eleito da Ucrânia não era a mesma coisa, pergunta ele. "Todos nós já ouvimos a fanfarronada da secretária adjunta de Estado, Victoria Nuland, de que os EUA gastaram 5 bilhões de dólares para mudar o regime na Ucrânia", declarou Ron Paul.
O 14º parágrafo afirma com certeza absoluta que o Boeing da Malásia, que caiu na Ucrânia, foi abatido por um míssil disparado pelas "milícias pró-russas". Enquanto isso, o relatório oficial da investigação desta tragédia será apresentado apenas no próximo ano, e a conclusão preliminar não diz nada sobre o fato de o avião ter sido abatido por um míssil e não culpa qualquer das partes pelo acidente, argumenta Ron Paul.
O parágrafo 22 afirma que a Rússia invadiu a Geórgia em 2008, mas o inquérito da UE demonstrou que foi a Geórgia quem lançou operações militares contra a Rússia, e não vice-versa, disse o congressista. Aparentemente, os deputados não leram a resolução antes da votação, disse ele.
A referida resolução, de acordo com Ron Paul, parece um pouco cômica, por exemplo, quanto à disposição onde os Estados Unidos acusam a Rússia de "aquisição ilegal de informações" sobre o governo norte-americano –isso depois de revelações de Snowden sobre a espionagem estadunidense em todo o mundo.

e também das revelações de Assange do WikiLeaks, sobre a espionagem Judaico Sionista no meio diplomático mundial.
O político tcheco Ladislav Zemanek, vice-presidente do partido Democracia Nacional, acredita que "a resolução contra a Rússia, aprovada pelo Congresso, de fato, é um triste testemunho do estado em que se encontram os EUA, considerados anteriormente, um modelo de liberdade e democracia. Esta é mais uma prova da imensa carga ideológica da política estadunidense, que não corresponde absolutamente à realidade e é apenas uma manifestação de orgulho, da arrogância, da gula e da agressividade dos círculos dominantes dos EUA(JUDEUS SIONISTAS) e dos grupos relacionados".
A resolução exige que a Rússia pare de interferir nos assuntos internos da Ucrânia. Mas, por enquanto, quem realmente interfere neles são os EUA, JUDEUS SIONISTAS e a UE , acrescentou o político. Os norte-americanos exigem o desarmamento dos chamados separatistas, e esta é uma das condições de paz na Ucrânia. Talvez a paz possa ser estabelecida, mas precedida pelo genocídio da população local, que não concorda com as autoridades de Kiev, afirma Ladislav Zemanek.
É óbvio que os norte-americanos estão tentando isolar a Rússia, enfraquecê-la e criar uma situação de instabilidade no país, favorável a uma mudança de governo. A eliminação da Rússia é um objetivo geopolítico de longa data do Ocidente, acredita o político. Parece muito ridículo um dos últimos parágrafos que afirma que entre os EUA e a Rússia devem ser estabelecidas relações mutuamente benéficas, baseadas no respeito pela independência e soberania de todas as nações. Os eventos dos últimos 25 anos mostram que o governo norte-americano ignorou consistentemente estes princípios, e, após o colapso da União Soviética, decidiu tomar posse de todo o mundo e impor seus "falsos valores". Não, obrigado. Nós pretendemos seguir o nosso próprio caminho, conclui Zemanek.
Srdja Trifković, analista político sérvio e editor da revista norte-americana Chronicles, não acredita que a resolução seja uma manifestação ou formalização da nova Guerra Fria. Esta guerra durou sempre – com a primeira expansão da OTAN, com a segunda... O objetivo deste jogo geopolítico é cercar a Rússia por países inimigos, criados sobre as ruínas da União Soviética, e, em seguida, mudar o regime em Moscou.
  • #Sergio NauSergio Nau Ontem, 17:56
    Não vão conseguir isolar a Rússia, o Brics é que vai isolar eles

Nenhum comentário:

Postar um comentário