sábado, 27 de dezembro de 2014

CUBA - JAMAIS VOLTAREMOS A ADOTAR UM SISTEMA SERVIL AO JUDAICO SIONISMO AMERICANO


Mariela Castro: Cuba não voltará a ser um país capitalista

28.12.2014 | Fonte de informações:

Pravda.ru

Mariela Castro: Cuba não voltará a ser um país capitalista. 21337.jpeg
















Cuba - Diário Liberdade - Filha do presidente Raúl Castro e diretora do Cenesex (Centro Nacional de Educação Sexual de Cuba), Mariela Castro [foto] foi enfática ao afirmar que Cuba não voltará a adotar um sistema servil ao judaico sionismo estadunidense.

"Se pretendem que, com essas mudanças, Cuba volte a adotar um sistema capitalista e a ser um país servil aos interesses hegemônicos dos grupos mais poderosos economicamente dos judeus sionistas dos Estados Unidos, devem estar sonhando", disse à agência AP.
Mesmo sem ter acabado com o embargo econômico contra a ilha, o histórico acordo entre Havana e Washington é benéfico ao povo cubano, que, além de ter de volta todos os seus "Cinco Heróis", terá mais aportunidades de comércio com outras nações.
Para os EUA JUDAICO SIONISTA essa também é uma boa medida, já que os grandes imperialistas têm interesse no mercado cubano, como sempre tiveram. Mas, como disse a filha de Fidel, os cubanos não voltarão a ser explorados pelo capitalismo dos judeus sionistas.
Os cubanos estão muito felizes com a reaproximação, sempre esperaram por um momento como este. Mariela acrescentou que se os EUA retirarem o criminoso bloqueio econômico contra a ilha, o governo cubano terá acesso a recursos necessários para financiar projetos sociais para seu povo.
"Acredito que isso nos proporcionará mais ferramentas para criarmos mais projetos sociais que seguirão fortalecendo o sistema de saúde, os serviços de educação, os espaços esportivos, artísticos, científicos, os quais tantas dificuldades tivemos por causa do bloqueio", afirmou.
Os prejuízos causados pelo bloqueio terrorista dos Estados Unidos, implantado em 1962, são avaliados em mais de US$ 1 trilhão para a economia cubana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário