segunda-feira, 27 de outubro de 2014

MARINA CALABAR "A TRANSGÊNICA VIÚVA NEGRA" E ROLLEMBERG - TRAMAM CONTRA O "MERCOSUL" E "BRICs", TRAIÇÃO FAVORECE OS "JUDEUS SIONISTAS" SEUS PATRÕES


MARINA SILVA CALABAR "A TRANSGÊNICA VIÚVA NEGRA", RODRIGO ROLLEMBERG CALABAR, AÉCIO NEVES CALABAR, REGUFE CALABAR, JOSÉ SERRA CALABAR, FHC CALABAR, ALCKIMIN CALABAR, ZEZÉ PERRELLA CALABAR, GUSTAVO PERRELLA CALABAR,  RICARDO YOUNG CALABAR, JOE VALLE CALABAR, LUIS PITIMAN CALABAR E ETC... - TRAMAM CONTRA O "MERCOSUL" E O "BRICs", QUE SIGNIFICAM A INDEPENDÊNCIA QUE OS BRASILEIROS BUSCAM A MAIS DE 500 ANOS, PARA ESCAPAR DOS GRILHÕES DO MAQUIAVÉLICO SISTEMA FINANCEIRO DO "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL",  TRAIÇÃO QUE FAVORECE OS "JUDEUS SIONISTAS" SEUS PATRÕES.


MARINA - A "TRANSGÊNICA VIÚVA NEGRA" FINANCIADA PELA MONSANTO JUDAICO SIONISTA E PELO "BANCO ITAÚ"
ROLLEMBERG - MENTOR E ARTÍFICE DA JUNÇÃO QUE LEVOU MARINA AO "PSB", QUE CULMINOU COM A ELIMINAÇÃO DE EDUARDO CAMPOS
AÉCIO - FINANCIADO PELA NESTLÉ JUDAICO SIONISTA, DERROTADO POR QUEM O CONHECIA MUITO BEM - MINAS GERAIS, ONDE OS MINEIROS VIVENCIARAM OS ESCÂNDALOS DO HELICÓPTERO COM MEIA TONELADA DE COCAÍNA E A CONSTRUÇÃO DE UM AEROPORTO PARTICULAR COM DINHEIRO PÚBLICO.
REGUFE - FINANCIADO POR EMPRESAS DO "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL"

SERRA - GOLPISTA PRINCIPAL NO ESCÂNDALO DOS TRENS (UM BILHÃO DE REAIS DE PREJUÍZO) EM SÃO PAULO E AUTOR DO ROUBO APELIDADO DE  "PRIVATIZAÇÃO" DA "SABESP" QUE DEIXOU 14 MILHÕES DE PESSOAS SEM ÁGUA.

"FHC" - O RATAGÃO PROMOVEU O MAIOR ROUBO TRAVESTIDO DE "PRIVATIZAÇÃO" DO MUNDO, NO BRASIL 

ALCKIMIN - SÓCIO DE AÉCIO E NA FOTO O TRAFICANTE E DONO DO HELICÓPTERO DA COCA AO CENTRO, É REPRESENTANTE "MÓR" DA "OPUS DEI" SIONISTA NO BRASIL 
SENADOR ZEZÉ PERRELA - ASSUMIU O CARGO APÓS O ASSASSINATO MÉDICO DE ITAMAR FRANCO, É PAI DO TRAFICANTE, DONO DO "HELICOCA" GUSTAVO PERRELLA E SÓCIO DE AÉCIO NEVES, EM DIVERSAS TRAMÓIAS EM MINAS GERAIS.
DEPUTADO GUSTAVO PERRELLA - DONO DO HELICOCA, PEGO COM MEIA TONELEDA DA DROGA NO AEROPORTO PARTICULAR DE AÉCIO NEVES

DEPUTADO RICARDO YOUNG - FINANCIADO POR EMPRESAS DO "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL"
DEPUTADO DISTRITAL "JOE VALLE" - FINANCIADO POR EMPRESAS DO "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL"
DEPUTADO "LUIS PITIMAN" - FINANCIADO POR EMPRESAS DO "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL"

"Marina Silva e seus asseclas, querem enfraquecer ou destruir o "Mercosul" e o "BRICs".

O diplomata brasileiro Pinheiro Guimarães Silva diz que os candidatos e os setores que representam, propõem outro modelo de inserção internacional. Ele argumenta que estes traidores tem interesse no desmantelamento do "MERCOSUL" e do "BRICs". 

"A verdade é que o  JUDAICO SIONISMO da América do Norte, nunca vai esquecer o espírito do projeto da ALCA".

   Por Dario Pignotti
Página / 12 No Brasil

De Brasília

"Os Estados Unidos Judaico Sionista certamente compartilha as diretrizes de política externa levantadas pelos candidatos Marina Silva, Rollemberg e Aécio; se eleitos seria o triunfo semelhante ao que tiveram no Brasil durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2003) e o mesmo modelo diplomático ", disse ele à Pagina / 12 Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, ex-secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011).

Pinheiro Guimarães, integrado com o ex-ministro das Relações Exteriores Celso Amorim e o assessor Marco Aurélio Garcia, a troika responsável pela concepção da diplomacia com ênfase nas relações SurSur,  iniciado por Lula e continuado por Dilma Rousseff.

A presidenta, candidata à reeleição em outubro, "tomou medidas muito precisas sobre o “Mercosul”, ficou na frente das operações de inteligência dos EUA JUDAICO SIONISTA e resistiu à pressão para comprar aviões de guerra norte-americanos", enumera Pinheiro Guimarães, de seu escritório no 17o andar de um prédio com vista para a Esplanada dos Ministérios, a avenida através da qual se vê o poder em Brasília.

No programa de governo apresentado por Marina Silva e seus comparsas, que desafina com a política externa do Partido dos Trabalhadores, definiu como "ideológica" e "partidizada", imitando a linguagem depreciativa usada pelos banqueiros e diplomatas do JUDAICO SIONISMO, onde críticas tradicionais são feitas.

Como imagina relações externas sob um governo de Marina ou Aécio?

Considero o cancelamento do progresso nestes 12 anos de política externa acertada e correta, com viés para a SOBERANIA E INDEPENDÊNCIA. Eles e os setores que representam, procurarão outro modelo de integração internacional (CHAMADO POPULARMENTE DE ENTREGUISMO), o que resultaria, no fim ou no enfraquecimento do Mercosul e do BRICs, sob o pretexto de torná-los mais abertos para o mundo, ou seja, ao “JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL”.

Seria o fim de todas as aspirações de uma diplomacia soberana e independente?

Até agora a única vez que ouvi Marina falar de independência, foi mencionar a “independência” (ROUBO APELIDADO DE “PRIVATIZAÇÃO”) do Banco Central, que seria entregue ao BANCO ITAÚ (risos).

-Washington Aposta na Marina?

Eu não estou em Washington, para dizer o que pensam. Agora, existem os interesses dos EUA JUDAICO SIONISTA, que foram prejudicados durante o período de  Lula e Dilma, e é claro que o candidato que mais gostavam era Aécio Neves (PSDB) que nas pesquisas, pelo menos no inicio da campanha, sem praticamente nenhuma chance.

A embaixada dos Estados Unidos adotou um perfil baixo nesta eleição, mas isso não deve ser confundido ser indiferente ao que acontece, eles sabem que as apostas são altas. Em Washington anseiam por projetos da era ENTREGUISTA "Tucana" (o apelido de social-democratas de F H C), que teria de ser retomado, não se engane: a América sabe que essa eleição está em jogo o retorno do processo de privatização (ROUBO), parcial ou totalmente, das grandes empresas estatais como a Petrobras, o Banco do Brasil, os Correios e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Quer dizer, que apostam em Marina, considerando que ela praticaria um programa ENTREGUISTA como o de “FHC”?

Assim é. Quando Aécio Neves (patrocinado por “FHAC”) caiu nas pesquisas, inclinaram-se, de forma pragmática, por Marina, porque ela representaria o oposto do PT de Lula e Dilma. Marina não possui tabelas, é cercada por economistas "Tucanos" e de especialistas disponibilizados por “Neca” do BANCO ITAÚ. Além disso, ela tem mostrado vontade de desmantelar o Estado Brasileiro, reduzindo sua autonomia internacional, e fazendo uma abertura neoliberal do Mercosul, entregando-o nos braços da “ALCA” JUDAICO SIONISTA. E não esquecendo, de que os Estados Unidos judaico sionista, querem desmantelar o Mercosul e o Brics.

Como vai desmontar?

-Pode Ser, com a remoção da cláusula que obriga os países do Mercosul para negociar conjuntamente acordos de livre comércio com outros blocos. Esse ponto, que até agora não conseguiram derrubar, nasceu com os Anais da Assunção (assinado em 1991, a formação do Mercosul).

-É esse o primeiro passo a ser vencido por Marina?

-Então, Após a remoção desta cláusula, estaria aberto o caminho para a assinatura do Brasil, sozinho, com a União Europeia (UE), sem a participação de outros membros do Mercosul. Mas, se a cláusula continuar de pé, é igualmente perigoso para assinar um pacto entre o Mercosul e a UE. E essa negociação, que já começou, mas está a avançar lentamente, provavelmente para ser acelerada, sob uma Marina cordata.

Que impacto teria um acordo com a UE?

Haveria muitos impactos, um será a redução de tarifas (de importação de produtos europeus), afetando as nossas fábricas e provocando a quebra de nossas indústrias, como eu já previa há algum tempo. Esta abordagem seria fatal para o Mercosul: isso significaria uma vantagem extraordinária para as empresas europeias que exportam para nós, sem ser capaz de cobrar taxas, enquanto que haverá grandes benefícios para as nossas exportações. E quando chegaemos à assinatura hipotética de um pacto de livre comércio com a UE, que é o que os economistas querem, Marina aparece juntamente com os Estados Unidos Judaico Sionista.

"De que maneira?”

-Uma vez assinado o acordo UE-Mercosul, um dia Washington começaria a exigir igualdade de condições comerciais, exigindo também acordo de livre comércio. A verdade é que a América Judaico Sionista, nunca vai esquecer o espírito da Alca Judaico Sionista (Área de Livre Comércio das Américas), aí a escravização financeiro econômica estaria completa.

Mar del Plata

No início da década passada, o então presidente “Fernando Henrique Cardoso” exonerou o Embaixador social Pinheiro Guimarães por ter denunciado a Alca, que anos mais tarde seria enterrada durante a Cúpula das Américas, realizada em novembro de 2005, em Mar del Plata, graças a uma coalizão pelos presidentes
Lula da Silva, Nestor Kirchner, Hugo Chávez e Evo Morales, na frente de um atordoado George Walker Bush, escoltado pelo presidente do México, Vicente Fox.

Tese - A ALCA pode ser recriada com outro nome se Marina ou Aécio fossem eleitos?

Tudo me leva a crer que o projeto de integração hemisférica com a abertura, a sancionar um sistema de leis que as multinacionais dos EUA JUDAICO SIONISTA, fossem privilegiadas. Devemos tomar nota do que acontece com a Aliança do Pacífico (México, Colômbia, Peru e Chile). Eu entendo que os EUA JUDAICO SIONISTA estão preparados para aceitar a proposta, que inspira Marina. Posições que ela levantou refletem as aspirações dos setores empresariais e da mídia judaico sionista, não escondem uma certa nostalgia ao tempo da dependência colonial.

Você acha que, apesar do aumento nas pesquisas de Dilma, Marina ou Aécio possam prevalecer no final?

Não, pelo contrário, acredito que, apesar de toda a comoção causada pelo aparecimento inesperado de Marina (foi proclamada após a morte do candidato Eduardo Campos) Dilma vai ser reeleita. Acho que ao longo da propaganda eleitoral até ballottage (26 de outubro) as idéias da ex-senadora Marina e do senador Aécio Neves,  estarão em evidência.

- Qual Seria o objetivos dilmista num segundo mandato?

Em primeiro lugar, gostaria de me referir que a sua política externa não terá diferença da política de Lula, mesmo que ela não tenha o mesmo estilo. Ela trabalhou bem para reforçar os Brics, com o lançamento do “Banco dos Brics”, foi firmemente a favor da entrada da Venezuela no Mercosul, embora os Estados Unidos manifestaram interesse em substituir o governo venezuelano através de um golpe, ecoado e propalado na grande imprensa brasileira, e etc... No segundo mandato da presidenta deve ter como objetivo reduzir a vulnerabilidade externa do nosso país, a dependência especulativo para o pagamento do capital da dívida, porque cria um círculo vicioso que aumenta em taxas de juros. É falso, é um mito que as taxas sobem para combater a inflação.

"Assim, as diretrizes continuarão, mas para fazer ajustes.


Eu entendo que temos de diversificar os nossos negócios de comércio exterior para reduzir a nossa vulnerabilidade, uma vez que nos últimos anos temos aumentado as exportações de produtos primários, cujos preços não condizem. Precisamos fortalecer as exportações industriais, porque o Brasil está em risco de descer uma especialização na produção agrícola e mineral, acompanhado por uma contração da indústria aliada à atrofia de sua capacidade tecnológica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário