sábado, 20 de setembro de 2014

TURMA DE "AÉCIO" - ROUBOS TRAVESTIDOS DE PRIVATIZAÇÕES E TRANSGÊNICOS TRAVESTIDOS DE SAUDÁVEIS - A "SAGA" DE COLLOR,,FHC, SERRA E MARINA


TURMA DE "AÉCIO NEVES" - DIZ-ME COM QUEM ANDAS E DIR-TE-I QUEM ÉS"

Resultado de imagem para FOTOS DE COLLORFERNANDO COLLOR – O "TROMBADÃO" - ROUBOS TRAVESTIDOS DE PRIVATIZAÇÕES DE 1990 A 1992
Foi o primeiro presidente brasileiro a adotar os ROUBOS travestido de privatizações como parte de seu programa econômico, ou seja, o início da destruição da economia brasileira, ao instituir o PND – Programa Nacional de Desestatização, ou seja o ROUBO INSTITUCIONALIZADO  pela Lei nº 8.031, de 1990. O Plano Collor, elaborado pela tenebrosa e maquiavélica ministra Zélia Cardoso de Mello, implementou um modelo neoliberal, ou seja, uma nova maneira de ROUBAR E DESTRUIR, de abertura às importações, privatização, modernização industrial e tecnológica, ou seja, a DESTRUIÇÃO DA INDÚSTRIA NACIONAL. A política econômica implementada por Zélia desencadeou um dos maiores programas de ROUBO travestido de privatização do mundo, além bloquear a poupança de TODOS OS BRASILEIROS, este ato foi tão RADICAL, que quebrou a metade da população de pequenos e médios comerciantes do Brasil.
A privatização das empresas siderúrgicas começou com a extinção da empresa holding Siderurgia Brasileira S.A. – SIDERBRAS, após absorver os passivos das empresas subsidiárias. A primeira estatal privatizada, no dia 24 de outubro de 1991, foi a USIMINAS, siderúrgica mineira localizada no município de Ipatinga, fato que configurou a prática de “ROUBO E RECEPAÇÃO” , pois, das empresas estatais, ela era uma das mais lucrativas. O grande RECEPTADOR  no processo de privatização de siderúrgicas foi o Grupo Gerdau(É ASSOCIADO AO “JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL), que RECEPTOU a maior parte das empresas siderúrgicas.

Resultado de imagem para FOTOS DE ITAMAR FRANCOITAMAR FRANCO – O "VIADÃO" - ROUBO TRAVESTIDO DE PRIVATIZAÇÕES DE 1992 A 1995
Com a destituição de Fernando Collor e a posse de seu vice-presidente Itamar Franco (1992-1995) – o qual também sempre foi a favor dos ROUBOS travestidos de privatizações..
O programa de ROUBOS travestidos de privatizações executado durante o governo Itamar Franco2 (1992-1995) abrangeu a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) – a qual foi um marco pioneiro da presença do Estado na economia, e a qual foi adquirida pelo grupo liderado pelo empresário “JUDEU SIONISTA”  Benjamin Steinbruch (ASSOCIADO AO “JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL),  (o qual mais tarde adquiriria a Companhia Vale do Rio Doce) –, a Aço Minas Gerais (Açominas), a Companhia Siderúrgica Paulista (Cosipa), a Embraer bem como subsidiárias da Petrobras.


FERNANDO HENRIQUE CARDOSO – O "RATAGÃO" - ROUBOS TRAVESTIDOS DE PRIVATIZAÇÕES DE 1995 A 2002
No inicio de seu governo, “FHC”, criou através de um DECRETO,  um programa de ajuda aos BANCOS – “PROER”, ou seja, ROUBO ATRAVÉS DE DECRETO – onde torrou, nada menos do que 45 BILHÕES DE DÓLARES, e ao banqueiro CASCHIOLA, só coube 500 MILÕES DE DÓLARES, após o que, tomou um empréstimo ao “FMI”, que pertence ao “JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL”, 20 BILHÕES DE DÓLARES, o Brasil que era CREDOR passou a DEVEDOR, através desta FRAUDE.
Com a criação do Conselho Nacional de Desestatização, pela Lei nº 9.491, Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), ao adotar algumas recomendações então em vigor do Consenso de Washington, FMI, Banco Mundial, Bid, ou seja, o “JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL”deixou claro seu propósito de implementar um amplo programa de ROUBOS travestidos de privatizações. Ao mesmo tempo, fez bem sucedidas gestões na área política e financeira para enquadrar os estados no programa, condicionando as transferências de recursos financeiros da União para os estados à submissão dos governadores às políticas recomendadas pelo “JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL”.
Continuado no governo Fernando Henrique, o processo de ROUBO travestido de privatização ocorreu em vários setores da economia: a Companhia Vale do Rio Doce, empresa de minério de ferro e pelotas, a Telebrás, monopólio estatal de telecomunicações e a Eletropaulo.
Enquanto a quase totalidade dos defensores do trabalhistas e suas respectivas centrais sindicais, bem como muitos juristas e outros setores representativos da sociedade civil manifestaram-se contrários ao processo do ROUBO travestido de privatização tal como fora anunciado; tentaram, sem sucesso, inviabilizá-lo por meio de manifestações e medidas judiciais. Os leilões de  ROUBO travestido de privatização, que foram públicos, se realizaram na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro e foram objeto de violentos protestos de militantes esquerdistas.
Críticas partiram também de vários economistas e do meio acadêmico que, embora estivessem de acordo com a filosofia do programa, viam nele duas grandes falhas. A primeira era a possibilidade de os eventuais compradores poderem efetuar parte do pagamento com as chamadas "moedas podres", títulos da dívida pública emitidos pelos sucessivos governos com o objetivo de resolver crises financeiras e que, ao se tornarem inegociáveis, pressionavam o déficit público. Criticava-se não só a possibilidade de esses títulos serem aceitos, mas que o fossem pelo seu valor de face, quando seu valor de mercado era nulo ou quase nulo, isso deu um "windfall gain" considerável a seus detentores.
A segunda falha, na visão dos críticos, era permitir, tal como no caso da Eletropaulo acima citado e detalhado em seção adiante, que o BNDES financiasse parte do preço de compra3 . Ou seja, existia o temor que tais recursos fossem indevidamente utilizados para privilegiar grupos privados específicos4 . O acesso ao crédito seria assegurado inclusive aos compradores estrangeiros, que apesar de ser permitido pela lei, estaria teoricamente em desacordo com a tradição seguida, até então, pelo banco nacional de fomento.
O resultado final dos ROUBOS travestidos de privatizações revelou um aspecto peculiar do programa brasileiro: algumas aquisições somente foram feitas porque contaram com a participação financeira dos fundos de pensão das próprias empresas estatais (como no caso da Vale) ou da participação de empresas estatais de países europeus. O controle acionário da Light Rio, por exemplo foi adquirido pela empresa estatal de energia elétrica da França, controlada pelos “JUDEUS SIONISTAS”.
Ao longo dos oito anos de mandato de Fernando Henrique Cardoso, as privatizações lograram atingir a receita total de 78,61 bilhões de dólares, sendo 95% em moeda corrente (nessa percentagem estão incluídos os financiamentos concedidos pelo BNDES), e com grande participação dos investidores estrangeiros, que contribuíram com 53% do total arrecadado. Deste total, 22,23 bilhões de dólares referem-se à privatização do setor elétrico e, 29,81 bilhões de dólares à do setor de telecomunicações, após o que, A DÍVIDA BRASILEIRA QINTUPLICOU, mágica e fraudes, que só o “JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL” sabe fazer.


A VIUVA NEGRA DO PSB

Enquante se discute quem ROUBOU MAIS OU MENOS, QUEM RECEPTOU MAIS OU MENOS, “MARINA SILVA” E “BETO ALBUQUERQUE” “ O CASAL TRANSGÊNICO” ,tratam de cuidar, juntamente com a “MONSANTO JUDAICO SIONISTA” , mais os LABORATÓRIOS  FARMACEUTICOS DOS “JUDEUS SIONISTAS” , da saúde dos brasileiros, pois, “MARINA SILVA” , então Ministra do MEIO AMBIENTE, convenceu LULA, a autorizar a SORRATEIRA, GENOCIDA E MORTÍFERA “MONSANTO JUDAICO SIONISTA”, a distribuir seus maquiavélicos “TRANSGÊNICOS”
QUE ATINGEM A MAIORIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA, COM SOJA, BEBIDAS, MILHO E O FLUOR, MAIS OS REMÉDIOS GENÉRICOS QUE NÃO FUNCIONAM, ATINGEM MAIS DE 100 MILHÕES, E O DIABETES TEM ÍNDICES MASCARADOS PELO GOVERNO, POIS A UNIVERSIDADE DO TEXAS APONTOU PARA 25 MILHÓES, MAS, O NÚMERO MAIS PROVÁVEL´É QUE ESTEJA ACIMA DOS 40 MILHÕES,
DIABETES -  CÂNCER - OBESIDADE - INFERTILIDADE DAS MULHERES - ESTERILIDADE NOS HOMENS - MAL DE ALZHEIMER - MAL DE PARKINSON - DIMINUIÇÃO DA INTELIGÊNCIA EM GERAL E EM ESPECIAL O "QI" BAIXÍSSIMO DAS CRIANÇAS - HOMOSSEXUALISMO - ENFISEMA PULMONAR - CIRROSE DO FÍGADO - NARCOLEPSIA - AVC - INFARTO - ASMA - SÍNDROME DO METABOLISMO - MÁ FORMAÇÃO DE ÓRGÃOS - DANOS IRREPARÁVEIS AOS RINS - DANOS IRREPARÁVEIS AO FÍGADO - DANOS IRREPARÁVEIS AO CORAÇÃO - TRANSFIGURAÇÃO DO "DNA" - DERRAMES - MORTE PREMATURA - DEMÊNCIA - TUMORES - E ETC... 
TRANSFORMAM O BRASIL EM UM GIGANTESCO HOSPITAL, E NA CERTEZA DE QUE SERÃO ELEITOS, JÁ FAZEM PLANOS PARA PRIVATIZAR O QUE SOBROU – BANCO DO BRASIL – CAIXA ECONOMICA FEDERAL E OS CORREIOS, SEM CONTAR COM A AMAZÔNIA JÁ OCUPADA POR 100 000 ONGs DOS “JUDEUS SIONISTAS, E NA SEQUENCIA PROMOVER O RETALHAMENTO DO BRASIL EM VÁRIOS “KIBUTZ”, QUE É PARA QUE OS NOVOS PATRÕES SE SINTAM EM CASA
AMBOS RECEBEM PROVENTOS E FINANCIAMENTO DE CAMPANHA, DAS EMPRESAS DO "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL" - MONSANTO JUDAICO SIONISTA - COCA COLA - NESTLÉ - AMBEV - A MAIORIA DAS CONTRIBUIÇÕES SÃO FEITAS VIA "ONGs", QUE POR SUA VEZ SÃO SUSTENTADAS PELAS MESMAS EMPRESAS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário