segunda-feira, 1 de setembro de 2014

DROGAS - PESQUISA DO SENADO - 85% DA POPULAÇÃO É A FAVOR DA LEGALIZAÇÃO DA MACONHA E NO URUGUAI DROGAS LEGALIZADAS RESULTOU EM VIOLÊNCIA ZERO




    Fórum



    85% DA POPULAÇÃO É A FAVOR DA LEGALIZAÇÃO DA MACONHA DIZ PESQUISA DO SENADO

    cigarro mata mais que a AIDS

  1.  

    Saude Servidor

    saudeservidor.com.br/site/blog1.php/o-cigarro-mata-mais-que


    A chance de um fumante ter câncer de pulmão é 33 vezes maior do que a de quem não fuma. O tabagismo hoje é um grande problema de saúde pública ...








    1. Álcool mata 9 vezes

      mais que drogas ilícitas

       

        diz ... - Istoé

      www.istoe.com.br/.../185924_ALCOOL+MATA+9+VEZES+MAIS+QU...


      09/01/2012 - Uma pesquisa realizada por respeitados especialistas da University of South Wales (Sydney-Austrália) mostra a existência, no planeta Terra, ...
    9 Agosto, 12:32

     

    ...não vamos seguir o exemplo da Inglaterra!...

     

    Policiais de Londres vendem drogas no metrô

    Londres, polícia, criminalidade, drogas

    Foto de arquivo

    O jornal The Independente informa que policiais londrinos vendiam drogas diretamente no metropolitano.

    De acordo com os dados à disposição deste periódico, um grupo de oficiais da polícia que tinham deixado este serviço, criou a sua própria agência de investigação e comerciava em drogas, confiscadas aos detidos. Além disso, os antigos policiais vigiavam e atemorizavam as testemunhas.
    Apesar da existência de provas, nenhum dos policiais foi indiciado criminalmente. Portanto, resume o periódico, tem-se a impressão de que a polícia londrina não está em condições ou não quer resolver a questão de criminalidade nas suas próprias fileiras.
    Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_08_09/Policiais-de-Londres-vendem-drogas-no-metr-5112/
    ...e sim seguir o exemplo dos uruguaios...

    Uruguai: 
    após regulação
    da maconha, mortes por tráfico
    chegam a zero
  2. junho 3, 2014 13:52

    Veja também



    Maioria dos mortos é de jovens pobres entre 15 e 25 anos, de baixa escolaridade e moradores de periferias das grandes cidades. Entorno de Brasília é a região com maior índice de criminalidade provocada pelo narcotráfico 

    Estudo detalhado do Instituto de Medicina Legal (IML) mostra que as drogas estão diretamente relacionadas aos assassinatos praticados no Distrito Federal. Exames toxicológicos apontam que 63% das pessoas mortas a tiros consumiram maconha, cocaína ou seus derivados, como o crack. O levantamento inédito, feito com base em mortes ocorridas em 2010 e divulgado agora, avaliou 369 laudos de autópsias, 79% do total de homicídios por arma de fogo naquele ano. A análise surpreende mais ainda quando as vítimas são identificadas por faixa etária. Entre os jovens de 15 a 22 anos, 73% apresentaram traços de entorpecentes antes de serem executados, o que mostra o poder de destruição das drogas.

     Voltaire: URUGUAI - MACONHA LEGALIZADA - GOLPE FATAL NO TRÁFICO... http://voltaire77.blogspot.com/2013/12/uruguai-maconha-legalizada-golpe-fatal.html?spref=tw








    ANÁLISE DA NOTÍCIA - "HIPOCRISIA E DROGAS" By

     Mohamad Ali

    HIPOCRISIA, NÃO SE ACABA COM ESSE PROBLEMA PORQUE
    SIMPLESMENTE, ESTÁ-SE GANHANDO COM ISSO, É COISA DE
     ABUTRE, O GOVERNO PODERIA LEGALIZAR TUDO, TODO TIPO
     DE DROGAS SENDO VENDIDO EM FARMÁCIAS, LEGALIZAR TAMBÉM
     O BICHO E OS CASSINOS, ACABARIA-SE COM 99% DA BANDIDAGEM
     E DA CORRUPÇÃO NO MEIO POLICIAL, SERIA UM PARAÍSO.

    DESONERAVA-SE O SETOR DA SAÚDE PÚBLICA, A SAÚDE TERIA MAIS
     CONDIÇÕES DE ATENDER A POPULAÇÃO, DESONERAVA-SE A
    SEGURANÇA PÚBLICA, POLÍCIA IRIA FICAR COÇANDO O SACO,
     DESONERAVA-SE O JUDICIÁRIO.

    DESONERAVA-SE A PREOCUPAÇÃO DOS PAIS DE ADOLESCENTES,
    QUE VIVEM UM PESADELO DE OLHOS ABERTOS, UM VICIADO NA
     FAMÍLIA, CONDENA A TODOS OS COMPONENTES, PAI, MÃE, IRMÃO,
     TIO, AVÓ, AVÔ E ATÉ A VIZINHANÇA.

    NAS ESCOLAS É QUE SE COMBATERIA O USO DE DROGAS, DESDE
     A PRÉ INFÂNCIA, NA ESCOLA SE ENSINA GEOGRAFIA, HISTÓRIA,
     PORTUGUÊS E PASSARIA A TER MAIS UMA MATÉRIA, DROGALOGIA
     POR EXEMPLO, APOSTO NA ERRADICAÇÃO ABSOLUTA.

    ABSURDO, ESTÁ-SE USANDO O EXÉRCITO CONTRA UM MAL, E O PIOR,
     SABE-SE QUE NÃO VAI RESOLVER NADA!..."MACTUB", ESTÁ ESCRITO.
     O CENÁRIO SÓ ESTÁ SERVINDO PARA QUE ALGUMA AUTORIDADE
    DÊM ENTREVISTAS NA TELEVISÃO, COM POSES DE HERÓIS, DEPOIS
    DE SE OLHAREM NO ESPELHO.

    Senado uruguaio legaliza produção e comércio de maconha
     205

    Do UOL, em São Paulo



    Uruguai avança na discussão de temas polêmicos17 fotos

    14 / 17
    30.jul.2013 - Um homem mostra folhas da cannabis sativa,
     popularmente conhecida como maconha. Nesta terça-feira
     (30), parlamentares uruguaios irão votar sobre a legalização
     da erva no país Leia mais Pablo Porciuncula/AFP
    Após um longo dia de debate no plenário, o Senado do Uruguai aprovou na noite desta terça-feira (10), por 16 votos a favor e 13 contra, um projeto de lei que legaliza a produção e o comércio de maconha no país. A proposta, considerada única no mundo, foi impulsionada pelo governo, que tem maioria na Casa.
    Segundo o governo, o objetivo da lei é tirar poder do narcotráfico e reduzir a dependência dos uruguaios de drogas mais pesadas. Em uma entrevista, o presidente Mujica se referiu ao projeto como uma decisão política que "não é bonita", mas que foi tomada para não "presentear pessoas ao narcotráfico".
    O projeto já havia sido aprovado na Câmara dos Deputados, e o presidente José Mujica tem agora dez dias para sancionar a proposta. Após essa etapa, os congressistas terão 120 dias para regulamentar a lei, e então começará a produção e a venda de maconha de forma controlada pelo Estado, que criará um registro de consumidores e distribuirá a substância em farmácias e casas especializadas.
    Uma agência estatal, o IRCCA (Instituto de Regulação e Controle de Cannabis ), ligado ao Ministério da Saúde Pública, será responsável, por sua vez, por emitir licenças e controlar produção, distribuição e compra e venda da droga.
    Os residentes maiores de 18 anos poderão cultivar até seis plantas, ter acesso à droga em clubes de usuários ou comprar até 40 gramas por mês nas farmácias.Todos os residentes no país maiores de 18 anos que tenham se registrado como consumidores para o uso recreativo ou medicinal da maconha poderão comprar a erva nas farmácias autorizadas. O cultivo de maconha também estará liberado em casa.
    No Uruguai, consumir drogas não era penalizado, apenas comercializá-las. O consumo de maconha é o mais estendido entre as drogas ilegais e duplicou nos últimos 10 anos. 
    Segundo as autoridades, há 128.000 consumidores de maconha, embora as associações de consumidores calculem que este número alcance os 200.000.

    Melhor preço e qualidade

    Além de determinar a quantidade máxima que um usuário pode portar, 40 gramas, a lei também determina o máximo que uma pessoa pode gastar por mês com o consumo do produto.
    Ainda não está claro, no entanto, qual será o preço da maconha legal. Embora o governo pretenda competir com o narcotráfico estabelecendo preços de mercado --por exemplo, US$ 1 (R$ 2,30) por grama--, organizações de usuários asseguram que essa meta será difícil de ser cumprida. 
    O governo planeja atrair os consumidores com uma maconha mais barata e de melhor qualidade que a comprada hoje no mercado ilegal.
    "Vamos levar em conta os preços no mercado negro até começarmos a desestruturar o funcionamento deste mercado", declarou à AFP Julio Calzada, secretário-geral da Junta Nacional de Drogas.
    Mas a nova lei divide os médicos uruguaios, que afirmam, por um lado, que diminuirá o consumo de drogas mais perigosas enquanto, por outro, que banaliza os efeitos nocivos da maconha.
    "A mensagem que você enviará a toda a população é que é uma droga, mas é menos pior que outras drogas e, portanto, passível de ser consumida", afirmou à AFP o psiquiatra Pablo Trelles, que trabalha com jovens viciados.
    Já os legisladores da oposição advertem que a lei corre o risco de provocar um aumento do consumo.
    Os consumidores também não são unânimes. Alguns não veem com bons olhos o registro para ter acesso à droga.
    Calzada admite que o maior risco é que "possa disparar o consumo se não realizarmos bem os controles".

    A aprovação foi recebida por aplausos dos 150 militantes a favor da legalização que ocuparam as galerias para assistir ao debate."Dia histórico"

    No lado de fora do Senado, centenas de militantes pela legalização - que haviam participado da "última passeada da maconha ilegal" - soltaram fogos de artifício para celebrar a nova lei.
    "É um dia histórico", afirmou a organização Regulação Responsável, que realizou várias campanhas para apoiar a legalização.
    O senador governista Alberto Couriel destacou que o "Uruguai passa a ser uma espécie de vanguarda internacional neste tema".
    "O Uruguai está votando esta lei em um contexto de leis de defesa dos direitos", disse Couriel, lembrando a legalização do aborto e do casamento homossexual, aprovados nos últimos meses.
    O plano uruguaio, que excede as legislações dos Estados americanos de Washington e Colorado e de países como Holanda e Espanha, é uma "resposta" ao fracasso da guerra contra as drogas, afirmou o senador Roberto Conde.
    O senador assegurou que, entre outros aspectos, a lei busca solucionar a "grotesca incongruência jurídica" no Uruguai, onde o consumo não é discriminado, mas a produção e comercialização, sim.

    A experiência se soma à legalização recente do aborto e do casamento gay e 

    mantém o Uruguai em uma posição de liderança no reconhecimento de direitos.

    A legalização da maconha causou espanto nos vizinhos Brasil e Argentina, e despertou dúvidas sobre seu real efeito se for aplicada em países que sofrem com o narcotráfico, como Colômbia e México. Especialistas no assunto também têm opiniões diferentes.
    "O Uruguai pode impulsionar o discurso internacional, científico e político sobre como desenvolver um controle de drogas mais razoável e mais afetivo", declarou à AFP Hanz-Joerg Albrecht, diretor do instituto Max Planck para o direito penal.
    Albrechta acredita que os maiores riscos são de aumento do consumo e de que ocorram problemas de saúde na população, mas advertiu que é difícil determinar a causa-efeito deste tipo de casos.
    Já Arjan Roskam, dono da holandesa Green House, o maior banco de sementes de maconha do mundo, adverte que se a regulação ocorrer "de uma forma muito socialista não funcionará".
    Roskam, um dos especialistas consultados pelo governo uruguaio, comentou à AFP que se tudo depender do Estado e se não for permitida a venda a turistas "seguirá havendo comércio na rua, o que não soluciona o problema" do mercado negro.
    Enquanto o governo espera ter pronta a regulamentação da lei em abril de 2014 e o mundo observa, novas lojas especializadas em produtos para o cultivo de maconha ou um banco de sementes local que oferece grãos à espera da legalização mostram que a cultura da maconha é cada vez mais propagada. (Com agências internacionais)

    Thiago Furtado
    1. Avatar de AndreAntunes

      AndreAntunes


      3 horas atrás
      Eu nunca ouvi em qualquer noticiário que alguém morreu pq o outro tinha usado ma-conha!! Mas alguém que morreu pq o outro estava embriagado...minha nossa senhora...como eu ouvi e ouço quase q diariamente!
    2. Avatar de AndreAntunes

      AndreAntunes


      3 horas atrás
      Eu nunca ouvi em qualquer noticiário que alguém morreu pq o outro tinha usado ma-conha!! Mas alguém que morreu pq o outro estava embriagado...minha nossa senhora...como eu ouvi e ouço quase q diariamente!!!
    3. Avatar de Wurger Zerstorer

      Wurger Zerstorer


      4 horas atrás
      os usuarios que hoje sao criminosos vao adorar ! vao estar na legalidade. eu acho que tem q liberar mesmo, mas que estes sejam responsaveis pelos seus atos, assim como quem bebe.
    4. Avatar de vramirez

      vramirez


      4 horas atrás
      Tem gente que torce para que não seja melhor a liberação, pois terão menos pessoas para ofender de maneira pejorativa se aqueles que fumam não estiverem mais cometendo um crime. Não poderão mais tratar de maneria preconceituosa queles que portam a erva, e os falso moralistas não poderão mais se sentir superiores aos que fumam a cannabis.
    5. Avatar de Rafamar

      Rafamar


      4 horas atrás
      Bebida alcoolica que é uma das maiores desgraças que existem, tais como mortes no trânsito, homem batendo em mulher, famílias destruídas etc, etc, pode né ?
      1. Avatar de Wurger Zerstorer

        Wurger Zerstorer


        3 horas atrás
        pode ! e agora o alcool vai dividir a culpa.
    6. Avatar de morfeuu

      morfeuu


      5 horas atrás
      A legalização não vai fazer com que os noias parem de assaltar, o viciado quando esta na fissura mata ate a mãe para conseguir droga, o que estou falando aqui pode ser comprovado, pesquisa ai na internet para ver quantas mães de viciados já não foram agredidas, o estado com essa legalização só quer faturar, depois da liberação do álcool e cigarro quantas pessoas deixaram de consumir, ao contrario o cigarro virou moda e só aumentou como aumenta até hoje, conheço muito fumantes de cigarro que não conseguem largar o vicio, se liberarem a maconha nada vai mudar, só o consumo que vai aumentar, o governo vai ganhar com isso e o traficante vai baratear a maconha e induzir o noia a usar outra coisa.
      1. Avatar de LXXXX

        LXXXX


        4 horas atrás
        Acho que você está falando de outras drogas. Matar mãe para poder fumar maconha é a primeira vez que li.
    7. Avatar de ribeiroed

      ribeiroed


      6 horas atrás
      e claro que faz mal sim E DANOSO AO INDIVIDUO SIM, não queiram inventar para INDUÇÃO, o cara vira UM ALOPRADO SIM com tal uso
      1. Avatar de Wurger Zerstorer

        Wurger Zerstorer


        3 horas atrás
        vira sim. tenho amigos que apos anos de uso, nao tem a mesma agilidade de pensamento. ficaram lesados

Nenhum comentário:

Postar um comentário