quarta-feira, 10 de setembro de 2014

TERROR JUDAICO SIONISTA USA O "FLUOR" COMO INSTRUMENTO DE DOMINAÇÃO E PRODUÇÃO DE CIDADÃOS DE 2a. CLASSE NO BRASIL E EUA


Exposição ao Flúor pode Reduzir a Inteligência das CriançasEstudo: Exposição ao "Flúor" Reduz a Inteligência das Crianças e do povo brasileiro e americano, e quem impõem e aplicam este veneno, são os  laboratórios do JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL, que enganam e corrompem as autoridades locais, convencendo-as através de exames falsos sobre um falso benefício, que seria a eliminação de caries. 

Ao mesmo tempo, traçando um paralelo em outras áreas, como a EDUCAÇÃO, onde JARBAS PASSARINHO a serviço do "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL", então Ministro da Educação, iniciou o desmonte do MELHOR ENSINO PÚBLICO DO MUNDO QUE ERA O BRASILEIRO, e hoje já é um dos PIORES DO MUNDO, ultrapassado até pela VENEZUELA DE CHAVEZ, que está em QUINTO LUGAR NO MUNDO em número de UNIVERSIDADES PÚBLICAS DE QUALIDADE, além de não terem JUDEUS SIONISTAS no comando das atividades públicas, a seus cidadãos não lhes é imposto água envenenada, ou seja, "FLUORETADA".

E na SAÚDE PÚBLICA, o Brasil com a imposição que os JUDEUS SIONISTAS imprimem na AGRICULTURA TRANSGÊNICA E O VENENO CHAMADO "FUOR" na água, está se tornando um GIGANTESCO HOSPITAL. Temos um exemplo que é CUBA, que exporta MÉDICOS para 66 países, inclusive para a ARÁBIA SAUDITA, área em que os EUA, só alcançarão CUBA dentro de 50 anos, além de não terem JUDEUS SIONISTAS no comando das atividades públicas, a seus cidadãos não lhes é imposto água envenenada, ou seja, "FLUORETADA".

Na BOLÍVIA não é diferente, além de ter expulsado do pais, os RESTAURANTES "MAC DONALDS" pertencentes ao "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL" que infindáveis males causam à SAÚDE PÚBLICA, após ter NACIONALIZADO toda produção de PETRÓLEO E GÁS, aliou-se à CHINA e já fabrica seus próprios SATÉLITES DE COMUNICAÇÃO, ultrapassando o Brasil neste quesito, além de não terem JUDEUS SIONISTAS no comando das atividades públicas, a seus cidadãos não lhes é imposto água envenenada, ou seja, "FLUORETADA".

Comparando a água com as drogas, que são apenas uma parte do mecanismo de controle da sociedade pelo "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL", pois eles detém o monopólio de distribuição mundial de DROGAS, não é em vão que estão na COLÔMBIA, que por sua vez é o maior produtor de COCAÍNA DO MUNDO, e no AFEGANISTÃO, que é o maior produtor de HEROÍNA DO MUNDO (150 BILHÕES DE DOSES ANUAIS), e usam o EXÉRCITO AMERICANO como MULA, as DROGAS são disponibilizadas. em qualquer parte do mundo ocidental, com absoluta segurança, tanto é que, qualquer pessoa pode pedir um -- MAC LANCHE FELIZ no MAC DONALDS, nas cidades americanas, e acrescentar ao pedido --UM BRINQUEDO, receberá uma dose de HEROÍNA dentro do invólucro do sanduiche, e pagará 82 dólares

Em Pittsburgh, funcionária do McDonald’s traficava heroína junto com lanche via

, em LONDRES quem vende DROGAS no metrô é a própria POLICIA

Pra poder empurrar suas idéias de forma mais efetiva, a indústria do "JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL", precisa de uma maioria esmagadora de pessoas simplistas e receptivas (os Homer Simpsons, no jargão do tio Bonner), e precisam garantir que isso se perpetue de uma geração pra outra. É preciso então um veículo que todas as pessoas consumam.

E esse veículo é a água. E o que botar na água para que as pessoas se tornem mais dóceis e receptivas à manipulação? Algo que não levante suspeitas; algo que seja visto como benéfico, e imprescindível. A resposta é o flúor.
O flúor é um gás halógeno, como o iodo e o cloro, extremamente volátil e altamente reativo, daí sua grande facilidade em se combinar a outros elementos. O flúor ingerido é rapidamente absorvido pela mucosa do estômago e do intestino delgado. Sua via de eliminação são os rins(AS FILAS NAS CLÍNICAS DE HEMODIÁLISE SÃO MAIORES QUE AS DO PRONTO SOCORRO NO BRASIL TODO), responsáveis por eliminarem 50% do flúor diariamente ingerido, e o que sobra tem que encontrar refúgio em alguma parte do corpo, que geralmente é junto ao cálcio de algum dos tecidos conjuntivos. Como os dentes e os ossos são os maiores reservatórios de cálcio, é para lá que o excesso de flúor tende a se dirigir, passando a deformá-los e a provocar o que cientificamente se conhece como fluorose. Disfunções renais, ao impedirem a perfeita eliminação do excesso de flúor, só fazem aumentar os riscos da fluorose.
De acordo com cálculos divulgados em 1977 pelo National Academy of Sciences (NAS), um organismo que diariamente retém quantidades de flúor superiores a 2 mg, ao chegar aos 40 anos começa a apresentar problemas estruturais como artrite, escoliose, rugas, arteriosclerose etc, pois há uma forte interferência do flúor sobre a síntese do colágeno. Sob condições normais, só o colágeno dos ossos e dos dentes sofre o processo de mineralização, mas em conseqüência dos distúrbios causados pelo excesso do flúor, não só os ossos e dentes podem ser hipermineralizados, como também o colágeno dos tecidos conectivos da pele, cartilagem, tendões, ligamentos, provocando conseqüências das mais diversas, como:
- Rugas na pele e quadros de arteriosclerose.
- Calcificação das membranas interósseas da coluna, cotovelos, joelhos, ombros, etc, levando aos mais diversos quadros de artrite.
- Excesso de rigidez/perda de flexibilidade óssea, aumentando a incidência das fraturas e diminuindo a capacidade de cicatrização dos ossos.
- Fluorose dental, gerada pela deformação do esmalte.
- Fluorose óssea, fluorose esquelética ou osteofluorose, que provoca a deformação da estrutura dos ossos.
- Rompimento de tendões.
Este conhecimento não é nada de novo, pois, em 1936, o Journal of the American Dental Association já alertava:
É crescente o número de evidências sobre os efeitos da intoxicação crônica causada pela ingestão prolongada de pequenas quantidades de flúor... Os registros sobre toxicidade apontam o flúor, o chumbo e o arsênico como pertencentes a um grupo que intoxica a doses baixas.
A ingestão de uma grande quantidade de flúor em um curto período de tempo pode ser letal, e é por isso que pastas de dente vêm com avisos pra não serem ingeridas.
Ainda assim, o Flúor é considerado medicamento pela Organização Mundial de Saúde (OMS é uma organização CRIMINOSA, aliada aos "JUDEUS SIONISTAS"). Só que o limite entre o remédio e o veneno é muito tênue.
Há dados de uma pesquisa na China que indicam que a exposição ao flúor pode reduzir a inteligência das crianças, ou seja, o flúor ainda por cima pode ser uma neurotoxina, como aquele gás que o Espantalho usou na cidade de Gotham, no filme Batman Begins.
Estatísticas de um estudo realizado pelo Ministério da Saúde da Nova Zelândia indicam que nem pra combater a cárie o flúor na água tem servido.
Justamente por ser um medicamento e com contra-indicações, vários países vetaram (ou nunca usaram!) flúor na água. Entre eles Alemanha, França, Bélgica, Finlândia, Dinamarca, China, Holanda e Japão.
O flúor é mais tóxico que o chumbo, cuja quantidade na água potável não deve superar 0,4 partes por milhão (ppm). Mas segundo a Organização Pan-Americana de saúde (vinculada à Organização Mundial de Saúde) a concentração ótima de flúor na água é de 1 ppm. No Brasil o nível do flúor costuma ser de 1,5 ppm. Nos Estados Unidos a concentração é de 4 ppm. Isso mesmo sabendo que, num estudo invitro com ameloblastos foi constatado que o flúor, nas concentrações de 1.9 a 3.8 ppm, inibiu o crescimento celular - e em doses mais altas provocaram até mesmo fragmentação do DNA! Então por que a classe médica resolve nos empurrar doses tão altas de um produto que JÁ está presente na natureza, que pode ser encontrado em vários produtos industrializados e que se acumula no organismo? A resposta é simples -- Os "JUDEUS SIONISTAS", -- POVO DOENTE E RACIOCINA DE MENOS É MAIS FÁCIL DE SER DOMINADO!


Exposição ao Flúor pode Reduzir a Inteligência das CriançasA exposição ao flúor reduz a inteligência das crianças, diz um estudo pré-publicado no “Environmental Health Perspectives“, uma publicação do Instituto Nacional de Ciências de Saúde Ambiental.
O flúor é adicionado a 70% do abastecimento de água potável pública dos EUA. No Brasil, dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento de 2003 indicam que 75% do volume de água produzido pelos prestadores é fluoretado e se estima que 100 milhões de brasileiros ingerem água fluoretada.
De acordo com Paul Connett, Ph.D., diretor da Rede de Ação do Flúor, “Este é vigésimo-quarto estudo que encontrou essa associação, mas este estudo é mais forte do que o resto porque os autores controlaram variáveis-chave de alterações, e além de correlacionar uma diminuição no nível de QI com os níveis de flúor na água, os autores encontraram uma correlação entre baixo QI e quantidade de flúor no sangue de crianças. Isto nos aproxima de uma relação de causa e efeito entre a exposição ao flúor e danos cerebrais em crianças.
O que também chama a atenção é que os níveis de flúor na comunidade onde a diminuição de QI foi registrada era inferior ao que o EPA diz ser o nível padrão seguro de fluoretação, de 4 ppm (partes por milhão), e demasiado perto dos níveis utilizados em programas de fluoretação artificial (0,7-1,2 ppm) “, diz Connett. No Brasil o nível considerado “ótimo” é de 0,7 a 1,0 ppm.
Neste estudo, 512 crianças de 8 até 13 anos, em duas aldeias chinesas foram estudadas e testadas: em Wamaio com uma média de 2,47 mg de flúor por litro de água (intervalo de 0,57-4,50 mg/L) e Xinhuai com uma média de 0,36 mg/L (0,18 -0,76 mg / L).
Os autores eliminaram ambos os problemas de exposição ao chumbo e a carência de iodo como possíveis causas para o QI reduzido. Eles também excluíram todas as crianças que tinham história de doenças ou lesões cerebrais e nenhuma tomou chá de tijolo (ou chá compacto), conhecido por conter alto teor de flúor. Nenhuma das vilas está exposta a poluição do flúor pela queima de carvão ou outras fontes industriais.
Cerca de 28% das crianças na área com baixo nível de flúor tiveram resultados tão brilhantes, normais ou superiores em comparação com apenas 8% na área que tinha maior nível de fluor na água (Wamaio).
Na cidade com alto nível de fluoretação, 15% apresentaram resultados indicativos de retardo mental contra apenas 6% na cidade com baixa fluoretação. Os autores do estudo escrevem: “Neste estudo nós encontramos uma relação dose-resposta significativa entre o nível de flúor no sangue e do QI das crianças“.
Além deste estudo, e 23 outros estudos de QI, existem mais de 100 estudos em animais que relacionam flúor com danos cerebrais (todos os estudos de QI e de estudos do cérebro de animais são listadas no Apêndice 1 do “Caso Contra Flúor” disponível online (em inglês)).
Um dos estudos mais antigos com animais sobre o impacto do flúor sobre o cérebro foi publicado nos Estados Unidos. Este estudo, por Mullenix al. al (1995), levou à demissão do autor pelo Centro Odontológico Forsyth. “Isto enviou uma mensagem clara para outros pesquisadores nos EUA que olhar para os efeitos na saúde do flúor, particularmente no cérebro, não era bom para a carreira“, diz Connett.
Connett acrescenta: “O resultado é que enquanto a questão do impacto do fluoreto sobre o QI está sendo perseguido agressivamente ao redor do mundo, praticamente nenhum trabalho foi feito nos EUA, ou em outros países que praticam a fluoretação, a fim de repetir seus resultados. Infelizmente, os órgãos de saúde nos países que praticam a fluoretação parecem estar mais interessados em proteger seus programas de fluoretação de que proteger o cérebro das crianças“.
Quando o Conselho Nacional de Pesquisa das Academias Nacionais revisou esse tópico em seu relatório de 507 páginas entitulado “Flúor na Água Potável: uma revisão das normas da EPA“, publicado em 2006, apenas cinco dos 24 estudos de QI estavam disponíveis em Inglês. Mesmo assim, o painel concluiu que a ligação entre a exposição ao flúor e a redução do QI seria coerente e “plausível”.
Segundo Tara Blank, Ph.D., Diretora para Ciência e Saúde da Rede De Ação do Flúor, “Este deve ser o estudo, que finalmente terminará com a fluoretação da água. Milhões de crianças americanas estão sendo expostos desnecessariamente a esta neurotoxina em uma base diária. Quem em seu juízo perfeito iria diminuir o risco de inteligência de seus filhos a fim de reduzir uma pequena quantidade de cárie dentária, para o qual a prova é muito fraca.” (Ver The Case Against flúor, de Outubro de 2010, ).
Fluoride_Water_Main_600 

Fluoretação no Brasil
No Brasil, a Lei no 60507 de 24 de maio de 1974 regulamentou a prática da fluoretação da água. Esta lei afirma no seu artigo 1:
“Os projetos destinados à construção ou à ampliação de sistemas públicos de abastecimento de água, onde haja estação de tratamento, devem incluir previsões e planos relativos a fluoretação da água, de acordo com os requisitos e para os fins estabelecidos no regulamento desta Lei;”
Segundo a Portaria no. 635 de 26 de dezembro de 1975, a concentração de fluor na água deverá variar entre 0,6 até 1,7, dependendo da temperatura média diária.
Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento de 2003 indicam que 75% do volume de água produzido pelos prestadores é fluoretado e se estima que 100 milhões de brasileiros ingerem água fluoretada.
O estudo pode ser visualizado diretamente abaixo:


Leia mais: http://www.noticiasnaturais.com/2010/12/estudo-exposicao-ao-fluor-pode-reduzir-a-inteligencia-das-criancas/#ixzz3CrcVx1tw

Nenhum comentário:

Postar um comentário