segunda-feira, 2 de junho de 2014

TRANSGÊNICOS - Bunge e Danone na China não usam, no Brasil usam o veneno, SOMOS DE SEGUNDA CLASSE

28-04-2004 - Curitiba (PR)
Greenpeace rotula produtos que podem conter transgênicos em Curitiba

Objetivo da ação, realizada por ativistas que participam da expedição "Brasil Melhor sem Transgênicos", era exigir que o direito à informação através da rotulagem seja colocado em prática


O Greenpeace realizou hoje um protesto em uma unidade da rede de supermercados Carrefour, em Curitiba, rotulando diversos itens da lista vermelha do “Guia do Consumidor - Produtos com ou sem Transgênicos” (1). Dezesseis ativistas da entidade também reorganizaram prateleiras, de forma que os produtos suspeitos de conterem transgênicos ficassem dispostos todos juntos. O objetivo era demandar que o governo federal implemente a legislação de rotulagem e realize a fiscalização necessária.Durante o protesto, os ativistas também distribuíram para os consumidores a última edição do Guia do Consumidor e divulgaram o site da organização, no qual os consumidores podem encontrar informações básicas sobre os transgênicos e propostas de atividades que podem ser realizadas para contribuir com a campanha. "O intuito dessas propostas de atividades é oferecer ferramentas para que os consumidores possam exigir que seu direito à informação seja respeitado e possam manifestar que não querem consumir transgênicos (2)", disse Gabriela.

Os ativistas entregaram uma carta à gerência do supermercado, solicitando que o direito do consumidor de ser informado seja respeitado. O Greenpeace também pediu que os produtos transgênicos sejam dispostos em prateleiras separadas dos não transgênicos, a fim de facilitar a escolha do consumidor e tornar a informação ainda mais evidente. O Carrefour já faz o controle de origem de seus produtos e está na lista verde – sem transgênicos – do Guia do Consumidor. A direção da empresa informou ao Greenpeace que solicitará às indústrias, cujos produtos foram rotulados, dados sobre a presença – ou não – de organismos geneticamente modificados, a fim de garantir a informação necessária e obrigatória aos consumidores.
"Os consumidores precisam continuar exigindo que seu direito à informação seja respeitado de forma plena. De nada adianta o governo fiscalizar apenas alguns produtos que contém soja, se o óleo que usamos todos os dias para cozinhar não passa por qualquer fiscalização", afirmou Gabriela Vuolo, da Campanha de Engenharia Genética do Greenpeace. “O consumidor tem o direito de saber se está comendo transgênicos, e as empresas têm o dever de fornecer essa informação de maneira clara e objetiva. Os produtos orgânicos costumam ser dispostos em prateleiras exclusivas no supermercado. Então, por que não colocar os produtos transgênicos em prateleiras exclusivas e devidamente identificadas?", complementou.

A pressão dos consumidores é fundamental para fazer com que as empresas adotem uma postura que respeite o direito de escolha. Multinacionais como Bunge e Danone adotam padrões duplos de qualidade. Na China, por exemplo, essas empresas não utilizam transgênicos em seus produtos, enquanto no Brasil ainda não deram estas garantias. “Não podemos aceitar que estas empresas tratem os brasileiros como consumidores de segunda classe”, disse Gabriela.
Em vigor desde março, a rotulagem não está sendo colocada em prática pelo governo ou pelas empresas. O decreto que trata do assunto (3) determina que todos os produtos que contenham mais de 1% de matéria-prima transgênica venham com um rótulo que exiba essa informação. Além disso, exige que mesmo os produtos que não contenham o DNA transgênico em sua composição final (como óleos, margarinas e lecitinas de soja usadas em bolachas e chocolates), tenham impresso na embalagem a frase "fabricado a partir de (produto) transgênico".

O Guia do Consumidor, que conta com 49 empresas na lista verde e 59 na lista vermelha (28 indústrias a mais que nas outras edições), é atualmente a única fonte de informação para as pessoas que desejam evitar o consumo de transgênicos. A quarta edição do guia foi lançada no último dia 13, em Porto Alegre (RS), a bordo do navio Arctic Sunrise, que está atualmente realizando a expedição "Brasil Melhor sem Transgênicos". O barco, no momento, está atracado no Porto de Paranaguá. 
(1) Confira o Guia do Consumidor - Lista de Produtos com ou sem Transgênicos.

(2) Pesquisa Ibope, realizada com 2 mil brasileiros em dezembro de 2003, constatou que 74% dos brasileiros preferem consumir alimentos não transgênicos. A íntegra da pesquisa está disponível para download (PDF).

(3) Decreto 4.680, de 24 de abril de 2003, e Portaria 2658, de 22 de dezembro de 2003. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário