terça-feira, 3 de junho de 2014

SÍRIA - MEDIDAS DE SEGURANÇA EXTRA PARA AS ELEIÇÕES


Ontem, 12:27

Síria intensifica medidas de segurança na véspera das eleições

síria, eleições, bashar assad, Maher Abdul-Hafiz Hajjar, Hassan Abdel Illahi an-Nuri

No “dia do silêncio”, que precede o dia das eleições presidenciais, em Damasco e em outras cidades da Síria entra em vigor o plano de segurança. No quadro de realização deste plano os órgãos de proteção da ordem pública e os militares irão manter guarda em todos os locais de votação.


Segundo a Itar-Tass, o Ministério do Interior do país declarou que “nada impedirá os cidadãos de usufruir do seu direito constitucional”. O Supremo Comitê Eleitoral anunciou que “nas eleições presidenciais toda a Síria será uma circunscrição eleitoral única”.

Parlamentares de 30 países-amigos, incluindo a Rússia, irão monitorar o processo de votação. Segunda-feira as delegações de deputados que tinham participado da Conferência Internacional de Apoio à Síria, em Teerã, chegam a Damasco. Este fórum pronunciou-se a favor da solução política do conflito que tinha ceifado durante três anos 162 mil vidas humanas. Os participantes das eleições presidenciais qualificam este pleito como “direito soberano dos sírios”.

Os sírios, que se abrigaram das operações militares no território do Líbano vizinho, poderão votar nos postos de controle fronteiriços, em que serão instaladas urnas eleitorais. Mas o ministro do Interior do Líbano Nuhad Mashnouq advertiu que a “saída do Líbano vai acarretar a perda do status do refugiado e os sírios que empreenderem o tal passo não serão admitidos de volta no território libanês”. O embaixador da Síria em Beirute Ali Abdel Kerim Ali condenou “este passo hostil das autoridades libanesas que viola os direitos humanos”. Aconselhou o governo do Líbano a rever a “decisão que irá exercer influência negativa sobre as relações entre os dois países irmãos”.

Além do atual presidente Bashar Assad, o mandato presidencial é disputado pelo comunista da cidade de Aleppo Maher Abdel Hafez Hayar e pelo empresário Hasan Abdallah al-Nuri, que chefia a Iniciativa Nacional pelas Reformas. O primeiro defende os interesses das massas trabalhadoras, afetadas pela crise. O segundo afirma que a sua prioridade é a “luta contra a corrupção e o apoio à classe média”.
Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_06_02/siria-intensifica-medidas-de-seguranca-na-vespera-das-eleicoes-1457/

Nenhum comentário:

Postar um comentário