quinta-feira, 1 de maio de 2014

RUSSIA - 1 DE MAIO A MAIOR FESTA DO UNIVERSO, ALEGRIA E COMEMORAÇÕES EM TODO PAÍS, ENQUANTO ISSO NO RESTO DO MUNDO...





Ontem, 17:46

Mais de 1 milhão de pessoas comemoram 1 de maio participando de parada em Moscou (fotos)
























Mais de 1 milhão de pessoas participaram da parada de 1 de maio em Moscou. E esta é apenas uma pequena parte de participantes das atividades festivas, cujo número ultrapassa 5 milhões em toda a Rússia.

O chefe da Federação de Sindicatos Independentes da Rússia, Mikhail Shmakov, anunciou esta quinta-feira que, os eventos comemorativos do Dia do Trabalhador contam com a participação de mais de 5 milhões de pessoas através dos sindicatos.

"Os números mais precisos serão divulgados dentro de dois dias, mas segundo dados rápidos, trata-se de mais de 5 milhões de pessoas", declarou Shmakov em uma reunião entre o presidente russo, Vladimir Putin, e os representantes da organização.
"Estamos todos interessados no desenvolvimento progressivo da nossa econômia e do reforço da solidariedade em todo o país", disse Mikhail Shmakov, comentando o estado de espírito dos participantes das 
celebrações.
Ontem, 15:38

ENQUANTO ISSO NA TURQUIA...

Polícia dispersa mais de 1 milhão de  manifestações de 1 de maio em Istambul contrários ao governo SIONISTA DE ERDOGAN...

turquia, primeiro de maio, 1 de maio, taksim

A polícia turca recorreu ao gás lacrimogêneo e canhões de água para dispersar as manifestações de 1 de maio em Istambul.

Apesar da proibição de realização de manifestações na praça Taksim, no centro da capital do país, alguns dos participantes tentaram avançar em direção ao local.
Os canais televisivos de Istambul citam as palavras do principal líder da oposição, Kemal Kilicdaroglu, do Partido Republicano do Povo que comentou essa proibição: "O governo assustou-se com seus jovens e, agora, teme seus trabalhadores".
A proibição de realização de manifestações de 1 de maio, na praça Taksim, está relacionada com os acontecimentos de 1977, quando 36 manifestantes foram mortos por atiradores não-identificados, durante as marchas festivas.
Várias fontes relataram confrontos em diferentes áreas da cidade. Há feridos entre os policiais e manifestantes.
Em outras áreas da cidade, assim como em outras cidades da Turquia, as manifestações acontecem, todos contra o "CAVALO DE TROIA SIONISTA" Erdogan.
Ontem, 17:12

ENQUANTO ISSO NA República Popular de Carcóvia ...

Defensores da federalização protestam junto ao prédio da administração regional de Carcóvia

ucrânia, carcóvia, rússia

Milhares se apoiantes da federalização organizam piquetes junto ao prédio da administração regional de Carcóvia.

A ação começou após o término do comício do Partido Comunista e do movimento Sudeste.
As entradas do edifício são vigiadas por centenas de policiais. Os manifestantes se aproximaram do cordão, gritando slogans: "O poder ao povo, a liberdade aos defensores!", "Rússia!", "Carcóvia é cidade russa!" etc.
Os participantes da ação estão hasteando bandeiras da Rússia, da União Soviética, da República Popular de Carcóvia e as de São Jorge.
De acordo com o coordenador do movimento Borotba (Luta), Serguei Kirichuk, os manifestantes não planejavam organizar piquetes junto ao prédio da administração regional.
Ontem, 10:10

ENQUANTO ISSO NA GRÉCIA...


Grécia assinala 1º de maio com manifestações e greve geral

grécia, greve, primeiro de maio


Os sindicatos gregos organizaram no dia 1º de maio manifestações, greves e comícios no centro de Atenas.

O país está paralisado por uma greve geral. O pessoal do metrô, motoristas de ônibus e de elétricos entram em greve de advertência. Os marinheiros e trabalhadores de transporte por ferry anunciaram uma greve de 24 horas.
Milhares de produtores agrícolas e comerciantes de mercados de rua decidiram juntar-se este ano a manifestações no Dia Internacional do Trabalho. A partir de 
28 de abril, eles estão realizando protesto por tempo indeterminado contra os planos do governo que preveem alterar as regras do comércio de rua, o que irá afetar o padrão de vida de 50 mil famílias.

Protestos marcam as comemorações do Dia do Trabalho pelo mundo

Feministas com seios à mostra fizeram manifestação em Paris.
Trabalhadores protestaram nas Filipinas, Mianmar e Indonésia.

Do G1, em São Paulo
139 comentários
As comemorações do Dia do Trabalho nesta quinta-feira (1º) são marcadas por uma série de protestos em vários países do mundo. Em Paris, na França, ativistas do grupo feminista fêmen foram detidas pela Força Nacional quando no centro da cidade com os seios de fora e a frase "Epidemia Fascista" escrita no peito. Trabalhadores também foram às ruas nas Filipinas, Mianmar e Indonésia para protestar por melhores condições de trabalho.
Policiais usam a força para retirar ativista do Femen durante festa do Dia do Trabalho em Paris. (Foto: Kenzo Tribouillard / AFP Photo)Policiais usam a força para retirar ativista do Femen
durante festa do Dia do Trabalho em Paris
(Foto: Kenzo Tribouillard / AFP Photo)
Manifestante atira bomba de gás durante protesto em Istambul, na Turquia (Foto: Emrah Gurel/AP)Manifestante atira bomba de gás durante protesto
em Istambul, na Turquia (Foto: Emrah Gurel/AP)
  •  
Em Rostock, na Alemanha, a polícia foi reforçada para conter os manifestantes (Foto: Tobias Schwarz/Reuters)Em Rostock, na Alemanha, a polícia foi reforçada
para conter os manifestantes (Foto: Tobias
Schwarz/Reuters)
Manifestantes carregam cartazes na Praça Vermelha, em Moscou (Foto: Sergei Karpukhin/Reuters)Manifestantes carregam cartazes na Praça
Vermelha, em Moscou (Foto: Sergei Karpukhin/
Reuters)
Na Turquia, segundo a agência Efe, grupos de manifestantes e a Polícia entraram nesta quinta-feira em confronto quando uma manifestação convocada por vários sindicatos tentou avançar rumo à praça Taksim, fechada por ordem do governo, para comemorar a festa do Primeiro de Maio, segundo informa a imprensa local. Pelo menos 139 pessoas foram detidas e outras 58 ficaram feridas.
Os primeiros choques foram registrados no bairro de Sisli como no de Besiktas, ambos a cerca de dois quilômetros de Taksim, onde as forças de segurança bloquearam com blindados as manifestações dos sindicatos.
Todos os acessos à praça estão fechados por cercas metálicas e só se permite o acesso aos moradores ou a quem trabalha na região, segundo o jornal 'Hürriyet Daily News'.
Os agentes usaram em alguns momentos granadas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar grupos menores de manifestantes.
Na Alemanha, Itália e Espanha também foram registrados protestos.
Na Rússia, em plena efervescência nacionalista alimentada pela crise na Ucrânia, cerca de 1 milhão pessoas festejavam na Praça Vermelha de Moscou, muito próxima ao Kremlin, por ocasião do Dia do Trabalho, recuperando uma tradição soviética desaparecida há 23 anos.
"Putin tem razão", "Estou orgulhoso do meu país", afirmavam alguns dos cartazes mostrados pelos manifestantes, em meio a um mar de bandeiras russas.
Outros cartazes e representantes sindicais celebraram a incorporação da Crimeia à Rússia, que não é reconhecida pela Ucrânia e pela comunidade internacional.
"Um vento de liberdade sopra sobre a Crimeia", exclamavam os manifestantes.
As celebrações de 1º de Maio também foram perturbadas no Camboja, onde os sindicatos pediram apoio aos trabalhadores do setor têxtil em greve em duas zonas econômicas especiais perto da fronteira com o Vietnã.
A maioria dos trabalhadores deste setor vital para a economia cambojana, que dá emprego a 650 mil pessoas, ganham menos de US$ 100 mensais.
Fogos de artifícios explodem perto de manifestantes durante protesto em Istambul, na Turquia. (Foto: Umit Bektas / Reuters)Fogos de artifícios explodem perto de manifestantes durante protesto em Istambul, na Turquia (Foto: Umit Bektas / Reuters)
Trabalhadores migrantes da Indonésia pedem fim da escravidão em manifestação realizada em Hong Kong. (Foto: Anthony Wallace / AFP Photo)Trabalhadores migrantes da Indonésia pedem fim da escravidão em manifestação realizada em Hong Kong. (Foto: Anthony Wallace / AFP Photo)
Protesto marca Dia do Trabalho em Manila, as Filipinas. (Foto: Bullit Marquez / AP Photo)Protesto marca Dia do Trabalho em Manila, as Filipinas. (Foto: Bullit Marquez / AP Photo)
Manifestantes marcham por empregos em Mianmar. (Foto: Soe Zeya Tun / Reuters)Manifestantes marcham por empregos em Mianmar. (Foto: Soe Zeya Tun / Reuters)

Nenhum comentário:

Postar um comentário