terça-feira, 29 de abril de 2014

TRANSGÊNICOS - O MENOR DOS MALES É O CÂNCER E A OBESIDADE - RÚSSIA PROIBE


A Rússia e os TRANSGÊNICOS



Eis uma notícia que dificilmente o Leitor encontrará nos media mainstream.

O Primeiro-Ministro Dmitri Medvedev anunciou recentemente que a Rússia não irá importar mais
 produtos TRANSGÊNICOS (os geneticamente modificados), afirmando que o País tem o espaço e recursos suficientes para produzir alimentos orgânicos:


Se os americanos gostam de comer produtos TRANSGÊNICOS, que comam. Nós não precisamos deles; temos espaço suficiente e a capacidade de produzir alimentos orgânicos.
A Rússia tem assim o objectivo de ser adicionada à longa lista (que cresce ininterruptamente) dos Países anti-TRANSGÊNICOS. Isso após dum grupo de cientistas russos ter convidado o governo a estabelecer uma moratória sobre os TRANSGÊNICOS, no mínimo de 10 anos, e a estudar em profundidade a influência destes produtos sobre a saúde humana.

Irina Ermakova, vice-presidente da Associação Nacional da Segurança Genética:
É necessário proibir os TRANSGÊNICOS e impor uma moratória de 10 anos. Enquanto osTRANSGÊNICOS estiverem proibidos, planejamos experimentos, testes, ou até novos métodos de pesquisa que podem ser desenvolvidos. Tem sido demonstrado, não só na Rússia mas também em muitos outros Países ao redor do mundo, que os TRANSGÊNICOS são perigosos.
Os métodos para obter os TRANSGÊNICOS não são perfeitos, portanto, nesta fase, todos os TRANSGÊNICOS são perigosos. O consumo e a utilização de TRANSGÊNICOS obtidos de uma certa maneira podem levar ao câncer e à obesidade aos humanos e animais. As bio-tecnologias certamente devem ser desenvolvidas, mas os TRANSGÊNICOS devem ser parados. Devemos deixar de espalha-los.
























Uma etapa da Nova Guerra Fria? Com certeza os russos não ignoram que os principais produtores de TRANSGÊNICOS são empresas JUDAICO SIONISTAS: e que as principais cultivações encontram-se nos ESTADOS UNIDOS e no BRASIL.

Em todo o mundo existem mais de 114 milhões de hectares de culturas de plantas TRANSGÊNICAS (geneticamente modificadas), mas mais da metade estão localizadas nos Estados Unidos (51% do total), enquanto que mais de 87% de todos os produtos TRANSGÊNICOS são cultivados no continente americano, inclusive  BRASIL.

Todavia, o debate em Moscovo acerca dos TRANSGÊNICOS não é novo. No passado mês de Setembro, a Rússia aprovou a inscrição obrigatória de todos os TRANSGÊNICOS e dos produtos que contêm TRANSGÊNICOS: a lei impõe o registo obrigatório de todos os produtos que contenham componentes TRANSGÊNICOS.

Também em Setembro, as autoridades russas suspenderam temporariamente a importação e a venda de milho geneticamente modificado da Monsanto (EMPRESA JUDAICO SIONISTA) depois de um estudo francês ter sugerido que este pode estar ligado ao câncer. Na altura, o Primeiro-Ministro Medvedev ordenou que as agências reguladoras  uma proibição imediata de todas as importações de  TRANSGÊNICOS para o País.

Já em Fevereiro, a Duma introduziu uma lei que proíbe o cultivo de alimentos TRANSGÊNICOS e o Presidente Putin ordenou que os cidadãos russos fiquem protegidos contra os TRANSGÊNICOS.

A Comissão da Agricultura apoiou a recomendação da proibição dos TRANSGÊNICOS e a normativa entrará plenamente em vigor em Julho de 2014.

A lista dos Países que adoptam restrições para os TRANSGÊNICOS aumenta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário