sábado, 19 de abril de 2014

RÚSSIA - PLANOS DE BASES MILITARES NA VENEZUELA, CUBA E NICARÁGUA

Ministério da Defesa recupera bases militares no estrangeiro

rússia, ministério da defesa, defesa da rússia

O Ministério da Defesa da Rússia pretende ampliar a presença militar russa em várias regiões do mundo, declarou o ministro da Defesa, Serguei Shoigu.

Atualmente estão sendo travadas conversações sobre a criação de bases militares em países do Sudoeste da Ásia e da América Central, incluindo as que devem ser utilizadas no quadro da luta internacional contra a pirataria.
No presente momento estão em prosseguimento, em particular, conversações com o Vietnã, Cuba, Venezuela, Nicarágua, ilhas Seicheles e Singapura, - declarou há poucos dias o ministro da Defesa Serguei Shoigu. Não se trata, aliás, da criação em países estrangeiros longínquos de bases militares na interpretação habitual deste conceito. A autarquia militar da Rússia está mais interessada em criar postos de abastecimento da Marinha de Guerra e da aviação de longo alcance nas regiões longínquas do Globo, declarou à Voz da Rússia o comentarista militar Viktor Litovkin:
“Os navios e submarinos russos encontram-se agora nos oceanos Atlântico, Índico e Pacífico. No mar Mediterrâneo, a Marinha russa participa das operações de proteção dos navios que transportam armas sírias. No golfo de Aden eles lutam contra os piratas. As aeronaves russas, pertencentes a unidades da aviação de longo alcance, sobrevoam praticamente o mundo inteiro. Eles devem reabastecer-se em algum lugar. Os navios também devem suprir as suas reservas de água e de combustível e as suas tripulações necessitam de descanso. Não somos os únicos a querer bases no estrangeiro. Os EUA possuem cerca de 80 bases, em que mantêm não somente especialistas em logística, mas também contingentes militares inteiros. Nós não pretendemos instalar grandes contingentes longe dos limites da Rússia.” 
Hoje a existência de grandes contingentes militares russos nas regiões longínquas carece tanto de conveniência política, como de razão econômica. Por outro lado, refere o analista militar Konstantin Bogdanov, a instalação de bases de apoio logístico pode elevar a eficiência da colaboração internacional da Rússia na luta contra a pirataria:
“Os acordos com um grupo de países sobre a eventual utilização da sua infraestrutura portuária para a entrada e reabastecimento dos nossos navios podem realmente simplificar as manobras entre as bases situadas no território russo e os locais em que eles lutam contra a pirataria, em particular, na região do Corno Africano. Se Singapura e as ilhas Seicheles nos derem este ensejo, o planejamento das operações de transferência das forças da Esquadra russa do Pacífico será simplificado.”
Na opinião de especialistas, hoje a melhor opção seria o retorno de militares russos para a base vietnamita de Cam Ranh. Em novembro do ano passado, os presidentes da Rússia e do Vietnã assinaram um acordo sobre a criação neste local de uma base conjunta de manutenção e reparação de submarinos. Além disso, em Kamran funciona um aeroporto internacional que pode receber, caso seja necessário, aviões da Força Aérea Russa, incluindo os aviões de grande raio de ação.
Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/2014_03_01/ministerio-da-defesa-da-federacao-russa-cuida-de-recuperar-as-bases-militares-no-estrangeiro-8298/

Nenhum comentário:

Postar um comentário