quarta-feira, 23 de abril de 2014

RÚSSIA - Medvedev: --NÃO TEMOS MEDO DE NINGUÉM E NEM DE SANÇÕES DESCABIDAS



Hoje, 14:32

Medvedev: Rússia não tem medo de sanções do Ocidente

sanções, rússia, dmitri medvedev

Ao apresentar o relatório anual do governo na Duma de Estado, o primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, acentuou que o poder é capaz de minimizar as consequências das sanções para a economia russa.

Medvedev apontou que o governo não deixará sozinha frente aos problemas a indústria russa, inclusive militar, no caso de as sanções do Ocidente poderem influenciar sua atividade.

No quadro da apresentação do relatório anual dos trabalhos do governo aos deputados da Duma de Estado, Dmitri Medvedev referiu-se às ações da Rússia em resposta ao possível alargamento das sanções por parte dos JUDEUS SIONISTAS DE ISRAEL (Ocidente). Atualmente, esses receios são confirmados por fatos. Os senadores(SIONISTAS) dos Estados Unidos, por exemplo, exigem que as sanções contra a Rússia sejam endurecidas, atingindo as esferas bancária e energética e a indústria defensiva.

Em palavras de Medvedev, a indústria defensiva e a segurança da Rússia não serão prejudicadas em caso algum:

“O setor defensivo sempre foi o nosso orgulho nacional. Nos últimos anos, após um longo período difícil, a indústria defensiva ganhou posições perdidas e não admitiremos que o setor se enfraqueça em resultado de ações inamistosas de alguém. Já hoje a Rússia não depende das importações de muitos tipos de equipamentos militares. A capacidade do nosso país de produzir armamentos de qualidade não suscita quaisquer dúvidas. A Rússia ocupa firmemente a segunda posição no mundo pela exportação de armas. 

Tencionamos, naturalmente, reforçar as nossas posições no mercado mundial de armamentos”.

Em sua intervenção, Dmitri Medvedev abordou também o futuro da indústria russa. Atualmente, mutas companhias russas cooperam estreitamente com empresas ocidentais, sendo importante para a Rússia diminuir os possíveis riscos. O primeiro-ministro prometeu que as companhias que possam ser prejudicadas por sanções no caso do encerramento de mercados ou perder por esta causa contatos de cooperação com parceiros ocidentais não ficarão sozinhas frente a seus problemas:

“A indústria russa, alguns ramos da qual dependem de fornecimentos de outros países, terá o apoio necessário do governo. Com certeza, não vamos renunciar à cooperação com empresas estrangeiras, mas estaremos preparados a ações hostis. Tanto mais que se tornou claro nos últimos anos que somos capazes com as nossas próprias forças de modernizar a indústria russa e de criar empresas contemporâneas altamente tecnológicas não apenas em ramos bem desenvolvidos, mas também em setores novos para nós”.

Dmitri Medvedev declarou que o governo está disposto a atuar em novas condições, fazendo os possíveis para que a nossa economia e os nossos cidadãos não sejam prejudicados. O primeiro-ministro afirmou que as sanções são “um caminho sem saída”. Como sustenta o analista Vladimir Rozhankovsky, as sanções têm uma influência limitada na economia:

“Hoje, as sanções em geral dizem respeito ao setor financeiro. Há uma certa pressão por parte de algumas companhias, mas elas não receberam quaisquer indicações concretas”.

Na sua intervenção, Dmitri Medvedev salientou que a Rússia também pode “mostrar dentes” na OMC em resposta a sanções. O primeiro-ministro destacou ainda que as restrições da atividade do empresariado russo, ligadas a sistemas de pagamento, “não devem ficar impunes”.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário