segunda-feira, 7 de abril de 2014

CIA E MOSSAD - SÃO LADRÕES, FRAUDADORES E MENTIROSOS DIZ A REVISTA AMERICANA "POLÍTCO"


Ontem, 17:17

Serviços de inteligência estadunidenses: os mais caros e inseguros


“Os agentes da CIA no exterior devem violar leis do país de permanência. Pelo dever de serviço devem mentir, fraudar e roubar”. Assim, em 12 de março, a revista americana Politico descreveu a ideia dos cidadãos dos EUA sobre o sentido do trabalho dos agentes secretos do seu país.

Em abril, escândalos no Senado provaram que a inteligência americana viola também leis no seu país e à conta dele. Só a partir do início de 2001, o governo americano entregou aos seus 16 serviços secretos mais de 500 biliões de dólares. Qual foi a eficiência desses investimentos?
Os resultados das últimas operações dos serviços de inteligência dos EUA na Ucrânia e na Síria testemunham que a avaliação errada de analistas e a qualidade ruim da informação de agentes levaram a mais um desenvolvimento não controlado da situação in loco.
DESINFORMAÇÃO  FLAGRANTE A RESPEITO DA UCRÂNIA
Após a confusão vergonhosa no apoio aos islamitas na Síria, a inteligência americana envolveu a direção do país em “guerras de oligarcas” ucranianas e não conseguiu explicar de maneira clara o fundo da “crise da Crimeia” aoestablishment norte-americano. Contudo, a responsável pelo comitê dos serviços secretos no Senado norte-americano, Dianne Feinstein, explicou razoavelmente ao canal televisivo CNN os acontecimentos: “A Crimeia é predominantemente russa e lá foi organizado um referendo. Tudo, a meu ver, terminou com isso”.
Mas não para todos. O comandante das forças da OTAN e dos EUA na Europa, general Philip Breedlove comunicou dispor de informações de que o Kremlin pretende “abrir um corredor terrestre para a Crimeia e a Transnístria... atacar do norte... e apoderar-se de Odessa”. A seguir, a alta patente se referiu os planos da tomada do sudeste da Ucrânia pela Rússia.
BBC AFIRMA: COMPLETA IGNORÂNCIA DOS MOVIMENTOS POLÍTICOS E SOCIAIS NATIVOS
Naturalmente, não se trata de delírio, mas sim de manifestação de um velho problema da inteligência americana, o qual fez recordar a BBC ainda no fim de 2011: “Aqueles que reúnem informações, calculam perfeitamente, são peritos em foguetes, podem avaliar o potencial de produção de empresas de armamentos etc., mas têm grandes dificuldades de revelar processos políticos e sociais dissimulados na sociedade”.
COMPLETA IGNORÂNCIA A RESPEITO DA QUEDA DO "XA" DO IRÂ
É verdade que eles não podem revelar, entender e fazer prognósticos justos. Um ano antes do xá do Irã ter fugido do país, a inteligência dos EUA informava que no Irã nem havia sinais de situação revolucionária. Passados vinte anos, em resultado da avaliação errada de processos internos, as despesas no Iraque e no Afeganistão superaram as vantagens estratégicas. Pela mesma causa, cidadãos norte-americanos foram mortos na Líbia.
FRACASSO NA INVASÃO DA BAIA DOS PORCOS EM CUBA
Além disso, há muito e com a admirável constância que a inteligência desvia culpas à direção do seu próprio país. Ainda em abril de 1961, após o desembarque fracassado de "contras cubanos" na baía dos Porcos, a CIA declarou que o presidente Kennedy deveria, alegadamente, prever um apoio de militares norte-americanos ao desembarque dos “rebeldes”. Mas o presidente nem foi notificado sobre tal opção! 
DESINFORMAÇÃO  FLAGRANTE A RESPEITO DO IRAQUE
Antes da invasão do Iraque, o secretário de Estado americano, Colin Powel, mencionava em reunião do Conselho de Segurança da ONU “dados de reconhecimento exatos” sobre armas de extermínio em massa no Iraque. Em fevereiro de 2011, porém, ele mesmo exigia que a inteligência explicasse as razões de ele ter recebido informações erradas. São contestáveis também os métodos de obtenção de informações pelos americanos. Os serviços secretos podem confiar em palavras de qualquer patife ou provocador. O autor da lenda sobre armas de extermínio em massa iraquianas, “engenheiro-químico” Rafid Ahmed Alwab, era um aventureiro comum. O suborno e as torturas na obtenção de informações tampouco levam a êxitos estratégicos. E mesmo se uma pessoa ajuda sinceramente aos serviços secretos americanos, é grande a probabilidade de que estes serviços não o ajudem num momento difícil. Como se sabe, um médico paquistanês, Shakil Afridi, confirmou em tempos à CIA a presença de Bin Laden em Abbottabad. Mas em março do ano em curso, após alguns anos da investigação, o médico foi condenado no Paquistão a 22 anos de prisão. Todos conhecem não oficialmente que foi metido na cadeia pela ajuda à CIA que, porém, não se apressa a tirá-lo de dificuldades.
DESINFORMAÇÃO  FLAGRANTE A RESPEITO DAS ARMAS QUÍMICAS NA SÍRIA
Tudo se repetiu na Síria. Mas, falando sobre a utilização de armas químicas pelo regime de Assad, Dianne Feinstein, ressaltou que as informações são diferentes (em comparação com os “dados” sobre o Iraque). São muito mais exatas”. Mais tarde foi verificado que não. Ao mesmo tempo, foram islamitas radicais que estavam atrás de encenações de “ataques químicas de Assad”.
FORAM SURPREENDIDOS NA GUERRA DO YOM KIPUR EM 1973 EGITO DERROTA OS JUDEUS
De surpresa, devolvendo a surpresa de 1966, quando os Judeus atacaram o Egito na derrota de NASSER. Tendo à frente dos egípcios, ANUAR SADAT, atacaram e retomaram o CANAL DE SUEZ e o DESERTO DO SINAI, em menos de 24 horas, destruíram toda aviação dos judeus, onde a estrela destacada da guerra, foram os foguetes RUSSOS - SAM 7 e SAM 6 (ESSES FOGUETES ERAM GUIADOS PELO CALOR DAS TURBINAS DO AVIÃO A SER ATINGIDO), não fosse o socorro imediato da EUROPA e ESTADOS UNIDOS enviando milhares de aviões, que trocavam de bandeira na Holanda e na Espanha, em seguida entravam direto no campo de batalha, a derrota poderia ser maior, com a invasão do estado judeu; Nem a CIA, nem o MOSSAD previram o que aconteceu.
FORAM SURPREENDIDOS NA GUERRA DE 2006 CONTRA O HEZBOLAH NO LÍBANO 
As tropas judias foram recebidas por uma milícia bem armada e bem treinada pelo HEZBOLAH, foram derrotadas, e para mostras serviço assassinaram 1563 civis, todos VELHOS, MULHERES E CRIANÇAS, e mais, destruíram a maior parte da infraestrutura da região atacada, dada a superioridade aérea patente. Mas no campo de batalha em terra, foram humilhados, para cada "dez" soldados judeus mortos, o HEZBOLAH perdeu "um", tiveram que bater em retirada. A derrota no Líbano ocasionou a queda do Premier dos judeus - Ehud Olmert, que além dsta flagorosa derrota, tinha contra si várias denúncias de SUBORNO, que hoje 2014, foram confirmadas, deverá ir a julgamento.
SE ENGANARAM COM OS MILITARES BRASILEIROS e ACERTARAM COM OS CIVIS

Com o golpe de 1964, planejado pelo JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL, e tendo como PONTA DE LANÇA a CIA e o MOSSAD, militares cooptados e a sexta frota americana ancorada em Niterói pronta para intervir, caso alguma coisa desse errado, a exemplo do que fizeram em São Domingos, o GOLPE aconteceu com sucesso, não houve nem mortos e nem feridos. Só que na sequencia o GOLPE DEU ERRADO, os militares não faziam o que eles queriam, que era se apossar das ESTATAIS E DAS RIQUEZAS DO PAÍS, levaram 21 anos para descobrir e se livrar deles. Pois os  MILITARES BRASILEIROS ERAM PATRIOTAS E BONS ADMINISTRADORES, neste período, criaram 500 ESTATAIS  e o Brasil crescia a 13% ao ano, de fazer inveja até aos chineses. Assassinaram dois Marechais e infernizaram a vida dos outros até derruba-los e através da mídia JUDAICO SIONISTA, ESTÃO A DESMORALIZA-LOS ATÉ OS DIAS DE HOJE, COM MEDO DE QUE VOLTEM.
Vieram os governantes civis, conseguiram comprar todos, menos SARNEY E LULA, com Collor conseguiram se apossar das SIDERÚRGICAS, com Itamar se apossaram da EMBRAER, com FHC se apossaram do SISTEMA DE TELEFONIA, TELECOMUNICAÇÕES E AS EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA, com LULA NÃO CONSEGUIRAM NADA, com a DILMA conseguiram se apossar dos PORTOS, AEROPORTOS, PETROBRAS E AS LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA, com SERRA se apossaram de todas as ESTATAIS PAULISTAS;
A Dima reeleita vão se apossar do BANCO DO BRASIL, CEF, CORREIOS E "PRIVATIZAR" O RECOLHIMENTO DE IMPOSTOS, assim como já fazem na Espanha.

Como escreveu a revista americana - Politico , seria ingênuo considerar que “os Estados Unidos sejam obrigados a renunciar à ideia da manutenção dos serviços de inteligência numa sociedade democrática aberta”. Não renunciarão, mas terão de fazer algo com serviço secretos que são muito caros, muito ineficientes,  e muito inseguros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário