segunda-feira, 24 de março de 2014

VENEZUELA - DEPUTADA CASSADA POR TRAIÇÃO À PÁTRIA - ERA "CAVALO DE TRÓIA SIONISTA"

"CAVALO DE TRÓIA QUER DIZER: ALGUÉM PLANTADO EM LOCAL ESTRATÉGICO, PARA SIMPLESMENTE AJUDAR O LADO CONTRÁRIO"

PARCEIRA DO JUDEU SIONISTA "CAPRILLES", QUE PERDEU AS ELEIÇÕES POR DUAS VEZES SEGUIDAS, E AGORA ESTÁ DESESPERADO, COM MERCENÁRIOS TENTA DESESTABILIZAR UM GOVERNO ELEITO DEMOCRATICAMENTE, QUER GANHAR NA MARRA, A EXEMPLO DO QUE OS JUDEUS SIONISTAS FIZERAM EM HONDURAS, LÍBIA, EGITO E PARAGUAI, ONDE COMPRARAM OS "STFs" LOCAIS E DERRUBARAM "MORSI", "ZELAYA", "KADHAFI" E "LUGO", MAS A VENEZUELA RESISTE HEROICAMENTE, A EXEMPLO DA COREIA DO NORTE, VIETNÂ, SÍRIA, IRÂ E CRIMEIA.Ontem, 23:59

Deputada de oposição venezuelana perde mandato

venezuela, protesto, oposição, diosdado cabello, maría corina machado

O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Diosdado Cabello, afirmou nesta segunda que a deputada de oposição María Corina Machado perdeu seu mandato e está proibida de entrar na Casa.

Cabello afirma que Corina violou os artigos 191e 149 da Constituição do país ao aceitar o cargo de representante suplente do Panamá ao solicitar o direito à palavra em uma sessão da OEA (Organização dos Estados Americanos).
O Panamá havia cedido a sua cadeira na sessão para que a deputada fizesse um relato sobre a situação no país, que vive intensos protestos desde o início de fevereiro contra o presidente, Nicolás Maduro.
Os embaixadores dos Estados-membros da OEA aprovaram, no entanto, o pedido da missão venezuelana para que fosse retirado o ponto da agenda dedicado à situação no país, fazendo com que Corina perdesse a palavra.
Cabello, que lidera a maioria governista da Assembleia Nacional, ainda disse que Corina será investigada por "traição à pátria".
"Ela não tem mais imunidade parlamentar, pode ser detida a qualquer momento sem prévia notificação de ninguém", disse Cabello, em sua fala.
O artigo 191 afirma que nenhum deputado "pode aceitar ou exercer cargos públicos sem perder seu mandato, exceto em atividades docentes, acadêmicas, acidentais ou assistenciais, sempre que não suponham dedicação exclusiva". Já o artigo 149 diz que nenhum deputado pode aceitar cargos e honras de governos estrangeiros sem autorização da Assembleia Nacional
Corina é uma das vozes mais estridentes da oposição venezuelana, ao lado de Henrique Capriles, ambos pertencentes à Mesa de Unidade Democrática.
O líder de outro partido de oposição, Leopoldo López, da Vontade Popular, está preso desde fevereiro, acusado pelo governo de incitar distúrbios para lograr um golpe de Estado. Prefeitos oposicionistas também foram detidos por forças nacionais na última semana, também acusados de fomentar os protestos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário