quarta-feira, 26 de março de 2014

CRIMEIA - ENTRE UCRANIANOS E TÁRTAROS(90,77%) VOTARAM PRÓ RÚSSIA -


O sonho da supremacia JUDAICO SIONISTA foi enterrado na Crimeia

24.03.2014

O sonho da supremacia norte-americana foi enterrado na Crimeia. 20033.jpeg















Primeiro e sobretudo, a participação foi massiva e o 'sim' à Rússia venceu por imensíssima margem.

Segundo, não foi votação que se pautou por linhas étnicas. Quando se diz que há 58,32% de russos na Crimeia não significa que todos sejam votantes qualificados para votar (crianças são contadas, mas não votam). 

Eis os resultados oficiais do referendo na Crimeia:
  • 96,77% votaram a favor de a Crimeia unir-se à Rússia
  • 02,51% votaram a favor de a Crimeia continuar como república soberana autônoma dentro da Ucrânia
  • 00,72% dos votos foram declarados inválidos
  • 83,10% dos votantes possíveis votaram nesse referendo (portanto, 16,9% não votaram).

Para relembrar, esse é o quadro da formação étnica da Crimeia (em 2001):[1]

  • 58,32% russos
  • 24,32% ucranianos
  • 12,10% tártaros crimeanos.

OK. E o que significa isso?

Primeiro e sobretudo, a participação foi massiva e o 'sim' à Rússia venceu por imensíssima margem.

Segundo, não foi votação que se pautou por linhas étnicas. 
Quando se diz que há 58,32% de russos na Crimeia não significa que todos sejam votantes qualificados para votar (crianças são contadas, mas não votam). 
Assim, o número real de votantes russos na Crimeia está provavelmente bem abaixo de 50% do total de votantes. 
E mesmo assim o resultado mostra que 96,77% dos votos válidos foram a favor da integração à Rússia. De onde vieram os restantes 43,77% (mais ou menos) vieram? Só podem ter sido votos de ucranianos e de tártaros. 
Ainda que se assuma que 100% dos russos na Crimeia fossem votantes qualificados para votar e que todos tenham comparecido às cabines de votação e que todos votaram 'sim' à Rússia, ainda restam 35,45% dos 'sim' votados por não russos. Nem os 100% dos ucranianos completam essa diferença.

Em outras palavras:
o tal "boicote" pelos tártaros ao referendo é TOTAL invenção da imprensa JUDAICO SIONISTA.

A pergunta, então, se impõe: por que os tártaros crimeanos, que foram brutalmente reprimidos e deportados durante o governo de Stálin e muitos dos quais foram vistos bradando Allahu Akbar! nos confrontos contra manifestantes pró-Rússia, decidiram, de repente, votar a favor da união com a Rússia? Teriam mudado subitamente de ideia? Será que os "Polidos Homens Armados Vestidos de Verde" visitaram-nos casa a casa e os obrigaram a votar sob mira? Claro que não. A explicação é muito mais simples.

Em 22 anos de independência, a Ucrânia fez exatamente nada para ajudar o povo tártaro crimeano, idioma ou cultura, muito menos para compensá-los por seus sofrimentos. A Rússia, por sua vez, aprovou uma lei chamada "Lei sobre a Reabilitação de Povos Reprimidos [orig. Law on the Rehabilitation of Repressed Peoples"[2], há muito tempo, em 1991, que resolve basicamente o problema dos tártaros crimeanos, os quais obtiveram o que reivindicavam por direito, além de passaportes russos novinhos em folha. Sim, claro, há alguns tártaros crimeanos que prefeririam permanecer sob soberania da Ucrânia, porque entendem que todos os russos são geneticamente capazes de repetir as ações de Stálin a qualquer momento e que o nacionalismo russo é ameaça perene contra eles. Não estou sugerindo que sejam espertíssimos - só estou dizendo que alguns tártaros realmente acreditam nisso. Alguns muçulmanos radicais querem ou ser parte da Turquia, ou criar seu próprio Estado Islâmico. Têm o direito de querer o que queiram - mas são minoria e, francamente, bastante irrelevantes. 

A verdade é que toda essa "questão dos tártaros da Crimeia" é conversa fiada inventada por judeus sionistas, na esperança desatinada de encontrar alguma 'questão étnica/religiosa' para negar a legitimidade desse referendo e gerar mais tumultos étnicos. Os resultados mostram que esse plano fracassou visivelmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário