"Todos eles foram levados para um interrogatório na quinta-feira à noite e, até agora, seu destino permanece desconhecido", disse um dos membros da organização. Supõe-se que os médicos tenham sido capturados por militantes do grupo extremista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, ligado à Al-Qaeda.
A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras opera sob os auspícios do chamado Exército Livre da Síria, e seus integrantes entram no país ilegalmente.