segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

VENEZUELA - 2a. NA AMÉRICA LATINA E 5a. NO MUNDO EM UNIVERSIDADES


América Latina
Quarta-feira 20 novembro de 2013, 16:12

Venezuela comemora o Dia do Universitário


A turnê culminará no Palácio de Miraflores, onde a juventude reafirmará seu apoio à revolução e à ação contra a corrupção na econômia.(Foto Arquivo)

A mobilização e concentração será acompanhada por grandes concertos e outras atividades culturais para comemorar esta marcha  como "histórica" ​​pelos líderes estudantis, que agradecem a Hugo Chávez, pelas realizações benéficas aos universitários, e pela criação  do dia do universitário.

Jovens venezuelanos e a Juventude que são membros do Partido Socialista Unido da Venezuela (Jpsuv) marcharão na quinta-feira com todos os movimentos estudantis do país em Caracas (capital) para celebrar o Dia do Estudante Universitário.

O Comissário Nacional da Educação Superior no Jpsuv, Willian Gil, disse à imprensa local que a manifestação terá início a partir da Universidade Nacional Experimental das Artes, (centro da capital).

Ele indicou que a mobilização vai culminar no Palácio Miraflores (sede do governo), onde a juventude da República Bolivariana vai ratificar o apoio à revolução socialista liderada pelo presidente Nicolas Maduro.

Eles também demonstram o seu apoio a uma segunda aprovação leitura da Habilitação Lei que autoriza o Executivo a reforçar a luta contra a corrupção e a guerra econômica.

Gil deu as razões, hoje aos estudantes venezuelanos que marcham e comemoram, em contraste com os anos de repressão estudantil durante os governos corruptos do passado, a exemplo do Chile e Brasil, onde os estudantes são surrados e reprimidos em praça pública, além de serem tachados de Bárbaros e Vagabundos, pelos governantes. "A Venezuela é o segundo país da América Latina e o quinto do mundo, com maior número de faculdades de ensino  superior ", disse ele, depois de mencionar que há mais de 30 universidades e 1 500 aldeias universitárias GRATUITAS.

Ele enfatizou que as ações econômicas a serem realizadas pelo governo venezuelano com a Lei de Habilitação, os jovens terão mais visibilidade, pois fazem parte das lutas do povo.  "Por isso, nas universidades, existem brigadas de combate à especulação”, disse ele.

Entre o desempenho das escolas ao longo do processo revolucionário, Gil destacou que hove um aumento do número de alunos na faculdade, que passou de 600 mil alunos em 1998, e hoje, após Chavez ser eleito, já conta com 2 600 000  universitários, o que representa um aumento de 275% por cento.

Ele também expressou graças às políticas implementadas por Chávez, hoje você pode falar sobre realizações na educação universitária com orgulho, pois é fruto de uma ação, antes de tudo soberana e patriótica.


Nenhum comentário:

Postar um comentário