quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

URUGUAI - MACONHA LEGALIZADA - GOLPE FATAL NO TRÁFICO




ANÁLISE DA NOTÍCIA - "HIPOCRISIA E DROGAS" By

 Mohamad Ali

HIPOCRISIA, NÃO SE ACABA COM ESSE PROBLEMA PORQUE
SIMPLESMENTE, ESTÁ-SE GANHANDO COM ISSO, É COISA DE
 ABUTRE, O GOVERNO PODERIA LEGALIZAR TUDO, TODO TIPO
 DE DROGAS SENDO VENDIDO EM FARMÁCIAS, LEGALIZAR TAMBÉM
 O BICHO E OS CASSINOS, ACABARIA-SE COM 99% DA BANDIDAGEM
 E DA CORRUPÇÃO NO MEIO POLICIAL, SERIA UM PARAÍSO.

DESONERAVA-SE O SETOR DA SAÚDE PÚBLICA, A SAÚDE TERIA MAIS
 CONDIÇÕES DE ATENDER A POPULAÇÃO, DESONERAVA-SE A
SEGURANÇA PÚBLICA, POLÍCIA IRIA FICAR COÇANDO O SACO,
 DESONERAVA-SE O JUDICIÁRIO.

DESONERAVA-SE A PREOCUPAÇÃO DOS PAIS DE ADOLESCENTES,
QUE VIVEM UM PESADELO DE OLHOS ABERTOS, UM VICIADO NA
 FAMÍLIA, CONDENA A TODOS OS COMPONENTES, PAI, MÃE, IRMÃO,
 TIO, AVÓ, AVÔ E ATÉ A VIZINHANÇA.

NAS ESCOLAS É QUE SE COMBATERIA O USO DE DROGAS, DESDE
 A PRÉ INFÂNCIA, NA ESCOLA SE ENSINA GEOGRAFIA, HISTÓRIA,
 PORTUGUÊS E PASSARIA A TER MAIS UMA MATÉRIA, DROGALOGIA
 POR EXEMPLO, APOSTO NA ERRADICAÇÃO ABSOLUTA.

ABSURDO, ESTÁ-SE USANDO O EXÉRCITO CONTRA UM MAL, E O PIOR,
 SABE-SE QUE NÃO VAI RESOLVER NADA!..."MACTUB", ESTÁ ESCRITO.
 O CENÁRIO SÓ ESTÁ SERVINDO PARA QUE ALGUMA AUTORIDADE
DÊM ENTREVISTAS NA TELEVISÃO, COM POSES DE HERÓIS, DEPOIS
DE SE OLHAREM NO ESPELHO.

Senado uruguaio legaliza produção e comércio de maconha

Do UOL, em São Paulo



Uruguai avança na discussão de temas polêmicos17 fotos

14 / 17
30.jul.2013 - Um homem mostra folhas da cannabis sativa,
 popularmente conhecida como maconha. Nesta terça-feira
 (30), parlamentares uruguaios irão votar sobre a legalização
 da erva no país Leia mais Pablo Porciuncula/AFP
Após um longo dia de debate no plenário, o Senado do Uruguai aprovou na noite desta terça-feira (10), por 16 votos a favor e 13 contra, um projeto de lei que legaliza a produção e o comércio de maconha no país. A proposta, considerada única no mundo, foi impulsionada pelo governo, que tem maioria na Casa.
Segundo o governo, o objetivo da lei é tirar poder do narcotráfico e reduzir a dependência dos uruguaios de drogas mais pesadas. Em uma entrevista, o presidente Mujica se referiu ao projeto como uma decisão política que "não é bonita", mas que foi tomada para não "presentear pessoas ao narcotráfico".
O projeto já havia sido aprovado na Câmara dos Deputados, e o presidente José Mujica tem agora dez dias para sancionar a proposta. Após essa etapa, os congressistas terão 120 dias para regulamentar a lei, e então começará a produção e a venda de maconha de forma controlada pelo Estado, que criará um registro de consumidores e distribuirá a substância em farmácias e casas especializadas.
Uma agência estatal, o IRCCA (Instituto de Regulação e Controle de Cannabis ), ligado ao Ministério da Saúde Pública, será responsável, por sua vez, por emitir licenças e controlar produção, distribuição e compra e venda da droga.
Os residentes maiores de 18 anos poderão cultivar até seis plantas, ter acesso à droga em clubes de usuários ou comprar até 40 gramas por mês nas farmácias.Todos os residentes no país maiores de 18 anos que tenham se registrado como consumidores para o uso recreativo ou medicinal da maconha poderão comprar a erva nas farmácias autorizadas. O cultivo de maconha também estará liberado em casa.
No Uruguai, consumir drogas não era penalizado, apenas comercializá-las. O consumo de maconha é o mais estendido entre as drogas ilegais e duplicou nos últimos 10 anos. 
Segundo as autoridades, há 128.000 consumidores de maconha, embora as associações de consumidores calculem que este número alcance os 200.000.

Melhor preço e qualidade

Além de determinar a quantidade máxima que um usuário pode portar, 40 gramas, a lei também determina o máximo que uma pessoa pode gastar por mês com o consumo do produto.
Ainda não está claro, no entanto, qual será o preço da maconha legal. Embora o governo pretenda competir com o narcotráfico estabelecendo preços de mercado --por exemplo, US$ 1 (R$ 2,30) por grama--, organizações de usuários asseguram que essa meta será difícil de ser cumprida. 
O governo planeja atrair os consumidores com uma maconha mais barata e de melhor qualidade que a comprada hoje no mercado ilegal.
"Vamos levar em conta os preços no mercado negro até começarmos a desestruturar o funcionamento deste mercado", declarou à AFP Julio Calzada, secretário-geral da Junta Nacional de Drogas.
Mas a nova lei divide os médicos uruguaios, que afirmam, por um lado, que diminuirá o consumo de drogas mais perigosas enquanto, por outro, que banaliza os efeitos nocivos da maconha.
"A mensagem que você enviará a toda a população é que é uma droga, mas é menos pior que outras drogas e, portanto, passível de ser consumida", afirmou à AFP o psiquiatra Pablo Trelles, que trabalha com jovens viciados.
Já os legisladores da oposição advertem que a lei corre o risco de provocar um aumento do consumo.
Os consumidores também não são unânimes. Alguns não veem com bons olhos o registro para ter acesso à droga.
Calzada admite que o maior risco é que "possa disparar o consumo se não realizarmos bem os controles".

A aprovação foi recebida por aplausos dos 150 militantes a favor da legalização que ocuparam as galerias para assistir ao debate."Dia histórico"

No lado de fora do Senado, centenas de militantes pela legalização - que haviam participado da "última passeada da maconha ilegal" - soltaram fogos de artifício para celebrar a nova lei.
"É um dia histórico", afirmou a organização Regulação Responsável, que realizou várias campanhas para apoiar a legalização.
O senador governista Alberto Couriel destacou que o "Uruguai passa a ser uma espécie de vanguarda internacional neste tema".
"O Uruguai está votando esta lei em um contexto de leis de defesa dos direitos", disse Couriel, lembrando a legalização do aborto e do casamento homossexual, aprovados nos últimos meses.
O plano uruguaio, que excede as legislações dos Estados americanos de Washington e Colorado e de países como Holanda e Espanha, é uma "resposta" ao fracasso da guerra contra as drogas, afirmou o senador Roberto Conde.
O senador assegurou que, entre outros aspectos, a lei busca solucionar a "grotesca incongruência jurídica" no Uruguai, onde o consumo não é discriminado, mas a produção e comercialização, sim.

A experiência se soma à legalização recente do aborto e do casamento gay e 

mantém o Uruguai em uma posição de liderança no reconhecimento de direitos.

A legalização da maconha causou espanto nos vizinhos Brasil e Argentina, e despertou dúvidas sobre seu real efeito se for aplicada em países que sofrem com o narcotráfico, como Colômbia e México. Especialistas no assunto também têm opiniões diferentes.
"O Uruguai pode impulsionar o discurso internacional, científico e político sobre como desenvolver um controle de drogas mais razoável e mais afetivo", declarou à AFP Hanz-Joerg Albrecht, diretor do instituto Max Planck para o direito penal.
Albrechta acredita que os maiores riscos são de aumento do consumo e de que ocorram problemas de saúde na população, mas advertiu que é difícil determinar a causa-efeito deste tipo de casos.
Já Arjan Roskam, dono da holandesa Green House, o maior banco de sementes de maconha do mundo, adverte que se a regulação ocorrer "de uma forma muito socialista não funcionará".
Roskam, um dos especialistas consultados pelo governo uruguaio, comentou à AFP que se tudo depender do Estado e se não for permitida a venda a turistas "seguirá havendo comércio na rua, o que não soluciona o problema" do mercado negro.
Enquanto o governo espera ter pronta a regulamentação da lei em abril de 2014 e o mundo observa, novas lojas especializadas em produtos para o cultivo de maconha ou um banco de sementes local que oferece grãos à espera da legalização mostram que a cultura da maconha é cada vez mais propagada. (Com agências internacionais)

Thiago Furtado
  1. Avatar de AndreAntunes

    AndreAntunes

    3 horas atrás
    Eu nunca ouvi em qualquer noticiário que alguém morreu pq o outro tinha usado ma-conha!! Mas alguém que morreu pq o outro estava embriagado...minha nossa senhora...como eu ouvi e ouço quase q diariamente!
  2. Avatar de AndreAntunes

    AndreAntunes

    3 horas atrás
    Eu nunca ouvi em qualquer noticiário que alguém morreu pq o outro tinha usado ma-conha!! Mas alguém que morreu pq o outro estava embriagado...minha nossa senhora...como eu ouvi e ouço quase q diariamente!!!
  3. Avatar de Wurger Zerstorer

    Wurger Zerstorer

    4 horas atrás
    os usuarios que hoje sao criminosos vao adorar ! vao estar na legalidade. eu acho que tem q liberar mesmo, mas que estes sejam responsaveis pelos seus atos, assim como quem bebe.
  4. Avatar de vramirez

    vramirez

    4 horas atrás
    Tem gente que torce para que não seja melhor a liberação, pois terão menos pessoas para ofender de maneira pejorativa se aqueles que fumam não estiverem mais cometendo um crime. Não poderão mais tratar de maneria preconceituosa queles que portam a erva, e os falso moralistas não poderão mais se sentir superiores aos que fumam a cannabis.
  5. Avatar de Rafamar

    Rafamar

    4 horas atrás
    Bebida alcoolica que é uma das maiores desgraças que existem, tais como mortes no trânsito, homem batendo em mulher, famílias destruídas etc, etc, pode né ?
    1. Avatar de Wurger Zerstorer

      Wurger Zerstorer

      3 horas atrás
      pode ! e agora o alcool vai dividir a culpa.
  6. Avatar de morfeuu

    morfeuu

    5 horas atrás
    A legalização não vai fazer com que os noias parem de assaltar, o viciado quando esta na fissura mata ate a mãe para conseguir droga, o que estou falando aqui pode ser comprovado, pesquisa ai na internet para ver quantas mães de viciados já não foram agredidas, o estado com essa legalização só quer faturar, depois da liberação do álcool e cigarro quantas pessoas deixaram de consumir, ao contrario o cigarro virou moda e só aumentou como aumenta até hoje, conheço muito fumantes de cigarro que não conseguem largar o vicio, se liberarem a maconha nada vai mudar, só o consumo que vai aumentar, o governo vai ganhar com isso e o traficante vai baratear a maconha e induzir o noia a usar outra coisa.
    1. Avatar de LXXXX

      LXXXX

      4 horas atrás
      Acho que você está falando de outras drogas. Matar mãe para poder fumar maconha é a primeira vez que li.
  7. Avatar de ribeiroed

    ribeiroed

    6 horas atrás
    e claro que faz mal sim E DANOSO AO INDIVIDUO SIM, não queiram inventar para INDUÇÃO, o cara vira UM ALOPRADO SIM com tal uso
    1. Avatar de Wurger Zerstorer

      Wurger Zerstorer

      3 horas atrás
      vira sim. tenho amigos que apos anos de uso, nao tem a mesma agilidade de pensamento. ficaram lesados

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário