domingo, 1 de dezembro de 2013

TERROR JUDAICO SIONISTA - INCÊNDIO CRIMINOSO NO MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA




O memorial da América Latina tem como objetivo incentivar a UNIÃO CULTURAL, CÍVICA, MUSICAL, POLÍTICA, PATRIÓTICA E NACIONALISTA entre os LATINOS AMERICANOS, tendo como ideário Simón Bolívar (1783-1830), foi um militar e líder político venezuelano. Junto a José de San Martín, foi uma das peças chaves nas guerras de independência da América Espanhola , que serviu de incentivo a:

 "CHE GUEVARA", argentino e ícone da libertação de CUBA, autor da célebre frase - "Estaría dispuesto a entregar mi vida por la liberación de cualquiera de los países de Latinoamérica.", Ernesto Che Guevara - , é sem dúvida o mais conhecido e idolatrado revolucionário do mundo, assassinado na Bolívia pelo JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL

 -- "FIDEL CASTRO", cubano e ex presidente 

-- "RAFAEL CORREA", equatoriano e atual presidente 

-- "EVO MORALES", boliviano e atual presidente 

-- "HUGO CHAVEZ", venezuelano ex presidente, assassinado com CÂNCER INDUZIDO, segundo ele próprio denunciou, pelo JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL 

-- "SALVADOR ALLENDE", chileno assassinado em pleno mandato pelo JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL

-- "JANIO QUADROS", brasileiro renunciou do poder pelas ameaças do JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL, que ele denominou de "FORÇAS OCULTAS"

-- "JANGO"-JOÃO GOULART, brasileiro que sofreu um golpe militar patrocinado pelo JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL em 1964, que o assassinaram posteriormente   no exílio.

-- "LUIS CARLOS PRESTES", militar, brasileiro, revolucionário e criador da Frente antiimperialista, antimonopolista e antilatifundiária, no Brasil

-- "OMAR TORRIJOS", panamenho, assassinado em pleno mandato, teve seu avião sabotado pelo JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL

-- "JOSÉ MUJICA", uruguaio, revolucionário e atual presidente 

-- E muitos outros...

A vida de Simon Bolívar e de seus seguidores, sempre se pautou por um clamor de Liberdade - TERRA E HOMENS LIVRES, e do poeta desta revolução latino americana -- "Juro por Deus, juro por meus pais e juro por minha honra que não descansarei enquanto viver até que tenha libertado a minha pátria". Baseados na Fé, na Força e no Patriotismo.


Che Guevara, se vivo fosse, diria -- Falta libertarmos o BRASIL, a COLÔMBIA, o PARAGUAI, HONDURAS e o CHILE.


O ataque ao Memorial da América Latina, foi feito para derrotar o maior inimigo Ideológico do JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL, que é a cartilha dos ensinamentos de SIMON BOLÍVAR:


Se apenas um homem fosse necessário para sustentar o Estado, esse Estado não deveria existir; e ao fim não existiria.

A confiança tem de dar-nos a paz. Não basta a boa fé, é preciso mostrá-la, porque os homens sempre vêem e poucas vezes pensam.

Compadeçamo-nos mutuamente do povo que obedece e do homem que manda só.

Confio que meus compatriotas e o mundo inteiro possam avaliar justamente minha conduta, e decidir se algum se encontrou jamais em minhas circunstâncias, se algum me excedeu em sacrifícios pela pátria.

Juro por Deus, juro por meus pais e juro por minha honra que não descansarei enquanto viver até que tenha libertado a minha pátria.
Se a natureza se opõe lutaremos contra ela e a faremos com que nos obedeça.

As nações marcham para sua grandeza ao mesmo passo que avança sua educação.

No ordem das vicissitudes humanas não é sempre a maioria da massa física a que decide, mas sim a superioridade da força moral que inclina para si a balança política.

Louvado seja aquele que correndo por entre os escombros da guerra, da política e das desgraças públicas, preserva sua honra intacta.

Como amo a liberdade tenho sentimentos nobres e liberais; e se costumo ser severo, é somente com aqueles que pretendem destruir-nos.

Todos os povos do mundo que lutaram pela liberdade exterminaram no final a seus tiranos.

Nossas discórdias têm sua origem nas duas mais copiosas fontes de calamidade pública: a ignorância e a debilidade.

Para o lucro do triunfo sempre foi indispensável passar pela senda dos sacrifícios.

O soldado bisonho crê que está tudo perdido desde que é derrotado uma vez.

O xadrez é um jogo útil e honesto, indispensável na educação da juventude.

É difícil fazer justiça a quem nos ofendeu.

Um soldado feliz não adquire nenhum direito para mandar na sua pátria. Não é o arbitro das leis nem do governo. É defensor de sua liberdade.

A justiça é a rainha das virtudes republicanas e com ela se sustenta a igualdade e a liberdade.

Os tiranos não podem acercar-se aos muros invencíveis de Colômbia sem expiar com seu impuro sangue a audácia de seus delírios.


HÁ PRECEDENTES DE OUTRO INCÊNDIO CRIMINOSO, O "CULTURA ARTÍSTICA" QUEIMOU EM 2008 E NUNCA FOI REATIVADO,

AOS JUDAICO SIONISTAS DE ISRAEL NÃO INTERESSA ESSES TIPOS ESTABELECIMENTOS, QUE NA REALIDADE, PRA ELES, SÃO VERDADEIROS QUARTÉIS, FORMADORES DE IDEAIS QUE ACABAM ESTIMULANDO O PATRIOTISMO E O NACIONALISMO,


 HAJA VISTO O NOME DO LOCAL ATINGIDO, "SIMÓN BOLIVAR", OS JUDEUS SENTEM URTICÁRIA QUANDO OUVEM ESTE NOME.

SINAL PRIMEIRO DO CRIME -- PRIMEIRO DESLIGARAM OS HIDRANTES


Hidrantes não estariam funcionando no Memorial

Bombeiros enfrentaram dificuldades atípicas para combater as chamas durante o incêndio desta secta-feira no auditório do Memorial da América Latina, na zona oeste de São Paulo. O Estado testemunhou um bombeiro em discussão com um brigadista da equipe do complexo questionando por que os hidrantes do prédio não funcionavam.
Julio Maria
O Auditório Simón Bolívar, no Memorial da América Latina, recebeu, por quase 13 anos, shows de nomes importantes da MPB, como Milton Nascimento, Gal Costa, Paulinho da Viola e Toquinho, e concertos eruditos, sobretudo de orquestras latino-americanas.
Funcionários e artistas temem 'novo cultura artística'

Espaço queimou em 2008 e não reabriu até hoje; auditório recebeu shows importantes da MPB

29 de novembro de 2013 | 23h 55

Incêndio no Memorial destrói 90% do Auditório Simón Bolívar 

Plantas originais de Oscar Niemeyer podem ter sido queimadas; 25 bombeiros se feriram no combate às chamas, na sexta

30 de novembro de 2013 | 14h 25
Bruno Ribeiro - O Estado de S. Paulo
O Corpo de Bombeiros estima que 90% do interior do Auditório Simón Bolívar, no Memorial da América Latina, foi destruído no incêndio ocorrido na tarde de sexta-feira, 29. A corporação só terminou o trabalho de rescaldo no fim da manhã deste sábado. A Fundação Memorial afirma que as chances de a tapeçaria de Tomie Ohtake que enfeitavam a lateral do auditório ter escapado é muito pequena.
Complexo estava sem o alvará da Prefeitura - José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão
Complexo estava sem o alvará da Prefeitura
O incêndio quebrou vidraças, derreteu metais e provocou rachaduras nas paredes. O balanço final dos bombeiros foi de 25 feridos - todos bombeiros que trabalhavam no combate às chamas. Destes, cinco permaneciam internados no Hospital das Clínicas na tarde deste sábado - quatro estavam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
"Queimou tudo. Só ficou um vazio lá dentro. As cadeiras, o palco, o revestimento das paredes, não sobrou nada", disse o 1.º tenente dos Bombeiros Mauro Brancalhão, um dos agentes que entrou no prédio para combater as chamas.
Até as 14h de ontem, agentes da Defesa Civil e da Polícia Científica estavam no interior do Simón Bolívar para avaliar as condições de segurança da estrutura e começar os trabalhos de perícia para descobrir as causas do acidente. Só depois da saída deles, os funcionários do Memorial vão entrar no prédio e fazer um inventário do material perdido nas chamas.
Um homem que se identificou como funcionário do Memorial, Francisco de Assis Gomes, de 67 anos, afirmou que plantas originais de Oscar Niemeyer, autor do projeto do Memorial, estavam em uma sala no interior do auditório."A parte abaixo do palco, com algumas salas e corredores, foi preservada das chamas", disse o major dos Bombeiros Wagner Lechner.
O diretor-presidente da Fundação Memorial da América Latina, João Batista de Andrade, afirmou que ainda não há certeza sobre todos os documentos e materiais que estavam no prédio. "Vocês imaginam como é um teatro. Depois de um ano de funcionamento, sobram alguns materiais. Depois de dois, tem mais um pouco. O Memorial tem 25 anos", contou. "O importante é que, há dois meses, fizemos uma grande limpeza no interior do prédio e retiramos uma série de materiais", disse.
Restauração. O secretário de Estado da Cultura, Marcelo Mattos Araújo, informou que, independentemente do grau da destruição, o Auditório Simón Bolívar será restaurado. "Vamos garantir o mais pronto restauro do auditório." Não havia ainda, entretanto, uma estimativa do prejuízo causado pelo acidente. "A tapeçaria da Tomie Ohtake pode ser feita com facilidade. Ela tem o projeto original", afirmou Andrade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário