A final do concurso realizou-se na semana passada, em Doha, capital do Qatar. Os peritos afirmam que a vitória nele é comparável a um Óscar na cinematografia. É sintomático o fato de este prêmio ter sido atribuído pelo terceiro ano consecutivo ao Radisson Royal Hotel Moscow.
E a luta é mesmo a sério: desde o momento da criação do concurso em 1993 que só líderes da indústria do turismo “lutam” pelo direito a serem considerados o melhor hotel. Por isso, a vitória no concurso, por si só, não pode pertencer a um indigno. As qualidades dos pretendentes são analisadas por conhecidos peritos neste negócio e os vencedores têm a possibilidade de utilizar o emblema da WTA como símbolo de qualidade.
Vladimir Kantorovitch, primeiro vice-presidente da Associação de Operadores Turísticos da Rússia, sente um verdadeiro orgulho pelo resultado conseguido:
“Os hotéis em Moscou e São Petersburgo são realmente de excelente qualidade. Isso diz respeito tanto aos edifícios, como instalações, quartos e serviço. Eu fui testemunha disso numerosas vezes. Por isso, a vitória não surpreende nada. O prêmio encontrou o eu herói. Tanto mais que a média anual de ocupação desse hotel: 80% é um índice muito bom”.
Hoje, o Radisson Royal Hotel Moscow tem o maior e mais variado número de quartos entre os hotéis de cinco estrelas da capital: quase 500 quartos de luxo e 38 apartamentos com uma área até 370 metros quadrados. Alguns deles estão equipados com cozinha e servem para longas estadias. No complexo existem restaurantes de comida italiana, iraniana e mediterrânea, um bar, uma sala de conferências, piscina, spa, sauna e um lugar reservado a crianças.
Ou seja, tem tudo aquilo de que hóspedes abastados necessitam para uma estadia confortável e memorável. Serguei Chpilko, presidente do Comité para o Turismo e Hotelaria da cidade de Moscou, chamou-lhe hotel notável:
“E não só do ponto de vista do serviço prestado aos turistas de negócios, mas em geral. Trata-se de um projeto completamente único, e não só no plano arquitetónico. Onde encontram um hotel com o seu próprio cais e a sua frota fluvial ultramoderna de barcos que quebram gelo e realizam passeios no rio Moscou durante todo o ano? Além disso, o hotel dispõe de uma coleção enorme e única de obras de arte no estilo do realismo socialista: pintura e escultura. E tem também originalidades como um restaurante para dois por debaixo de um pináculo”.
Um pináculo de 73 metros coroa um edifício de 34 andar, com uma altura total de 200 metros. Vale a pena salientar que o edifício do hotel é considerado uma obra de arte do período soviético. Na edificação do complexo participaram conhecidos especialistas, incluindo Arkadi Mordvinov, presidente da Academia de Arquitetura da URSS. No total, nesse projeto trabalhou um coletivo criativo e técnico de dois mil profissionais escolhidos a dedo. E isto sem falar dos construtores.
 Claro que semelhante edifício grandioso e belo não podia escapar à atenção de pintores e cineastas, e não só russos. No edifício, por exemplo, acontece a ação de um dos emblemáticos filmes de Hollywood “A Good Day do Die Hard”, que teve Bruce Willis como protagonista principal.