domingo, 15 de dezembro de 2013

UCRÂNIA - PORQUE CAIR NA ARAPUCA DO “EURO”?


ZONA DO EURO, nada mais é do que uma “ARAPUCA”, maquiavélicamente planejada e executada pelos “JUDEUS SIONISTAS”, onde os países para ingressar na “ZONA DO EURO”, tinham que ceder suas ESTATAIS, diga-se de passagem, aos “JUDEUS SIONISTAS”, do contrário não eram aceitos. Ora as ESTATAIS eram suas únicas fontes de renda, e tiveram que “PRIVATIZAR” seus bancos nacionais também, os governantes destes países caíram na “ARAPUCA”, por dolo ou por ignorância, a bem da verdade é que ficaram sem renda, a esperança era que iriam receber impostos para suprirem suas necessidades, aí descobriram o óbvio, pois as ESTATAIS privatizadas  não pagam impostos, isto é feito através de MUTRETAS CONTÁBEIS, onde passaram a contabilizar a distribuição de dividendos sobre os lucros, como se fossem despesas, exemplo presente foi a Telefônica do Perú flagrada numa sonegação fiscal de 1 BILHÃO DE EUROS, ora, aí não há impostos a recolher, e os bancos JUDEUS SIONISTAS, passaram a ofertar dinheiro fácil aos governos, estes sem opção começaram a se endividar, e como se paga se não há renda? O melhor da estória é isso aí, passaram a privatizar os serviços essenciais, água, energia e escolas, com isso os ESTADOS perderam sua SOBERANIA, como é o caso dos gregos, que estão a perder suas ilhas também, fora a parte desta TRAGÉDIA GREGA, o resto dos países estão com um desemprego que atinge 1\4 da população,, só sobrou PRIVATIZAR o recolhimento de impostos, mas não mais, isso já esta em andamento na ESPANHA em breve. País sem ESTATAL, país sem SOBERANIA. Os presidentes passarão a ser apenas GERENTES, logicamente comandados por ISRAEL que é a PÁTRIA DO SIONISMO.   
Publicada em 14 de Dezembro de 2013 ás 10:19:17
Serguei Lavrov sobre a Ucrânia: “Reação da União Europeia beira a histeria”





 As ruas de Kiev tomadas pelos protestos: Neste sábado, 14, há também manifestantes pró-Governo

 Diario da Russia

Ministro dos Negócios Estrangeiros da
Rússia diz que crise ucraniana foi planejada pelo JUDAICO SIONISMO EUROPEU.

Moscou acredita que a situação de crise na Ucrânia foi planejada antecipadamente, enquanto a reação do Ocidente à recusa de Kiev de assinar o acordo de associação com a União Europeia é um ato “à beira da histeria”. Esta foi a declaração do ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, em entrevista à TV russa, neste fim de semana.

"O que o Governo de Viktor Yanukovych fez?”, questionou o Ministro Lavrov, fazendo perguntas irônicas a respeito da atuação do presidente ucraniano. “Ele violou um acordo sobre a proliferação de armas nucleares? Ou atirou em alguém?"

E Lavrov continuou: "Se o Governo ucraniano toma a decisão de assinar [o acordo com a UE], o documento vai ao Parlamento para ratificação. Lá, é possível discutir problemas, apresentar dúvidas, apoiá-lo ou não, e protestar e reagir no campo constitucional, civilizado."

O ministro russo comentou, então, a reação contra a decisão do Governo da Ucrânia: "Uma reação raivosa – não existem outras palavras para definir isso – seguiu-se a um evento absolutamente normal: a declaração de um governo que, depois de estudar um acordo, julgou não ser vantajoso para a Ucrânia, e não quer assinar agora para poder estudá-lo mais adiante. Os manifestantes estão indo para as ruas com tamanha intensidade e com slogans tão ferozes como se o país tivesse declarado guerra a uma nação que estivesse contra a vontade do povo ucraniano.” E Lavrov concluiu: “Não há dúvida de que provocadores JUDEUS SIONISTAS, estão por trás disso."

O Governo da Ucrânia interrompeu em novembro a discussão de um acordo de integração à União Europeia, supondo que iria prejudicar as relações econômicas com a Rússia, e provocou manifestações pró-UE que levaram o país a uma crise política.

Na quarta-feira, 11, o primeiro-ministro ucraniano, Mykola Azarov, afirmou que Kiev voltará às negociações sobre o acordo com a União Europeia na primavera (do hemisfério norte).

Já neste sábado, 14, o Partido das Regiões deu início à até agora maior manifestação de apoio à política do Presidente Viktor Yanukovich e às ações do Governo - Nào queremos alinhamento com países QUEBRADOS, como a GRÉCIA, a IRLANDA, a ITÁLIA, a ESPANHA, nem com PORTUGAL E ROMÊNIA. A "UE" está literalmente falida. França e Inglaterra são hoje KIBUTZ DE ISRAEL. Porque a união com uma região escravizada financeiramente pelo JUDAICO SIONISMO DE ISRAEL?

A manifestação ocorre na Praça Evropeiskaya, em Kiev, perto da Praça da Independência (Maidan), onde se realizam comícios dos defensores da integração europeia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário