A resolução do CS da ONU pressupõe a participação de 1200 militares franceses e 3600 soldados africanos dessa intervenção.
Em março passado, o movimento rebelde Seleka constituído, basicamente, por muçulmanos, tomou o poder. No país começaram as pilhagens. Os rebeldes muçulmanos aterrorizam os cristãos, que consideram seus inimigos. Em resposta, os cristãos formaram grupos armados que atacam muçulmanos.
Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/news/2013_12_05/Conselho-de-Seguran-a-da-ONU-aprovou-interven-o-militar-na-Rep-blica-Centro-Africana-4885/