A nova versão pode controlar ao mesmo tempo dois alvos e, no caso da necessidade, abater cada alvo com um tiro de dois foguetes, aponta um projetista do sistema antitanque de mísseis Kornet, Oleg Yastrebov:
“No sistema está aplicado o princípio de disparar e esquecer. A tarefa do operador consiste apenas em apontar o alvo. A seguir, ele não intervém praticamente em ações do complexo”.
Vários sistemas controlam simultaneamente equipamentos do inimigo. Câmaras térmicas e de televisão de campo largo e estreito e distanciômetro a laser permitem ao operador “captar” máquinas blindadas do inimigo a uma distância de 10 km a qualquer hora do dia e da noite e em quaisquer condições climatéricas.
Há muitas outras qualidades que possam provocar inveja de super-heróis de filmes fantásticos. Durante os testes de campo, o Kornet demostrou que pode controlar não apenas alvos terrestres, mas também aéreos, diz outro projetista do sistema antitanque de mísseis, Igor Сhernosvitov:
“O complexo é capaz de controlar aviões não tripulados, helicópteros e até aviões de assalto de grande velocidade. Durante os testes, vimos que o nosso complexo os pode controlar e destruir”.
Com este fim, o Kornet está munido de dois tipos de foguetes – antitanques com a carga de acumulação e antiaéreos de alta explosão. A rampa de lançamento pode destruir oito alvos e ser rapidamente recarregada, dispondo de mais oito contentores com foguetes.
O novo sistema de mísseis é universal, podendo ser montado já agora em veículos blindados de alta capacidade de trânsito tipo Tigr. Há variantes de montagem do Kornet em veículos blindados de transporte do pessoal e em outras máquinas. Nestes casos, a reserva de munições aumenta e o complexo antitanque passa a ser munido de um sistema de recarga automática.