quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Suicídio no altar da Catedral de Notre Dame – CONTRA CASAMENTO GAY





Suicídio no altar da Catedral de Notre Dame – CONTRA CASAMENTO GAY

por Cristina Ribeiro, em 21.05.13

Há tempos dei comigo a pensar - ainda bem que o Pai ( falecido em Fevereiro do ano passado ) não teve de assistir à derrocada final duma Europa na qual já se não reconhecia , para não falar no Rapto(roubo e desmoralização) de Portugal, ele que sempre foi, visceralmente, um Patriota  -. Hoje um francês, historiador premiado, de 78 anos, suicidou-se porque não aceitava o caminho por onde os seus novos raptores(JUDAICO SIONISMO) a têm levado. A última gota d'água terá sido a legalização do casamento homossexual.

 "Dominique Venner, ensaísta francês de extrema direita, atirou em si mesmo diante do altar da catedral de Notre Dame em Paris na terça-feira, foi um amargo oponente de casamento do mesmo sexo e da influência do JUDAICO SIONISMO na França."
Suas últimas palavras em seu blog: ---  C’est à une véritable "réforme intellectuelle et morale", comme disait Renan, qu’il faudrait d’abord procéder. Elle devrait permettre une reconquête de la mémoire identitaire française et européenne, dont le besoin n’est pas encore nettement perçu.
Il faudra certainement des geste nouveaux, spectaculaires et symboliques pour ébranler les somnolences, secouer les consciences anesthésiées et réveiller la mémoire de nos origines. Nous entrons dans un temps où les paroles doivent être authentifiées par des actes.
Il faudrait nous souvenir aussi, comme l’a génialement formulé Heidegger (Être et Temps) que l’essence de l’homme est dans son existence et non dans un "autre monde". C’est ici et maintenant que se joue notre destin jusqu’à la dernière seconde. Et cette seconde ultime a autant d’importance que le reste d’une vie. 

TRADUÇÃO AO PORTUGUES:

« Como dizia Renan, é a uma verdadeira "reforma intelectual e moral" que é preciso fazer. Para que se recupere a memória identitária francesas e europeia, cuja necessidade ainda não é sentida com clareza. São precisos gestos espectatculares e simbólico para acordar os sonâmbulos, sacudir as consciências anestesiadas e recuperar a memória das nossa origens. É o tempo de as nossa palavras serem autenticadas com os nossos actos.
É preciso lembrarmo-nos, também, como inicialmente o disse Heidegger (em Ser e Tempo) que a essência do homem está na sua existência, não em "outro mundo". É aqui e agora que se joga o nosso destino, até ao último segundo. E este  último momento tem tanta importância como o resto da vida. »

Nenhum comentário:

Postar um comentário